Fábricas de Medíocres

| Partilhar
«Mas há ainda pior: as juventudes partidárias, hoje sem expressão nos liceus e universidades, possuem, no entanto, uma relevância enorme nos aparelhos. Aliás, é dessa triste colheita que se fazem grande parte dos dirigentes de topo dos partidos e, por afinidade, do Governo e da Administração. Gente que vagueia nas assessorias, nos gabinetes do poder, sem nunca ter trabalhado, sem se cultivar, sem qualquer preparação.»

O artigo de CAA, além de certo, é altamente oportuno.
É por estas e por outras que CAA é um dos meus bloggers preferidos.

7 comentários:

  1. Completamente de acordo. As jotas, como colégios de fidalgos, entretidos em cartazes e em idolatria, são o prolongar do cancro.

    ResponderEliminar
  2. E a verdade verdadinha, essa massa de gente que vagueia nas juventudes partidárias na sua grande maioria só conhece o que são directivas e obdiencias aos "chefinhos" e depois quando já na vida de trabalho real, utilizam as mesmas tecnicas nas quais foram instruídos ou seja; 1º o Partido, depois o Partido e sempre o Partido, e o País esse pode esperar, são os tais "BOYS" que depois vão ser os administradores e directores gerais, secretarios, ministros, sei lá, são aquilo a que eu chamo os "Partidocratas" que de nivel tecnico, ciêntifico e até Politico pouco têm, mas assim vai este País à beira mar plantado, e com gente dessa a «Governar» pobres de nós....Quem nos acode?...

    ResponderEliminar
  3. Considero a afirmação completamente descabida de significado e reveladora de uma completa ignorância no que se passa ao interno das juventudes políticas.
    Uma teoria geral perjurativa das juventudes partidárias torna-se injusta para muitos desses jovens que muito vão fazendo pela política local. Fala-se que os jovens deviam interessar-se mais pela política e quando se interessam falam deles desta maneira.

    http://sociologavense.blogspot.com/2007/10/os-jotinhas.html

    ResponderEliminar
  4. Juventudes partidárias em Portugal são um antro de medíocres. Nem é de boas famílias ou fidalgos que se fala, é de gente que tem consciência que é incapaz de fazer o que quer que seja e se agarra às Jotas para conseguir um tacho no futuro. Incrível o baixo nível dos jotinhas em Portugal.

    ResponderEliminar
  5. Ir a uma reunião de jotas de braga dá medo. Seja qual for o partido, aquela gente nem sabe escrever direito...

    ResponderEliminar
  6. "Perjorativa" diz a Helena.

    ResponderEliminar
  7. Concordo plenamente com este post e com os respectivos comentários. De facto, actualmente as jotas partidárias são um antro de formação de subservientes acéfalos, autênticas "madrassas" que formam os chamados "Boys do tipo yes man".
    Hoje somos governados por gentes saídas dessas pseudo-escolas cujo trajecto político-profissional foi o seguinte:
    1º Amaram o partido acima de todas as coisas e em quaisquer circunstâncias
    2º tiraram um curso de forma manhosa e com aproveitamento duvidoso
    3º estagiaram no gabinete do ministro
    4º no final do curso foram promovidos a acessores do ministro, sem perceberem patabina de nada
    5º "portaram-se bem" e foram promovidos a chefe de gabinete
    6º Ajudaram outros da sua laia a seguir o mesmo trajecto, mas falando sempre de cima para baixo, quanto mais não seja para marcarem presença.
    7º conseguiram ser eleitos deputados à AR....
    8º hoje falam de tudo com tanto à vontade, mesmo que não percebam nada do que dizem
    9º - com um bocado de sorte podem chegar a primeiro ministro...mas atenção que só existe um poleiro para muitos galos.
    10 - Não se lhes (re)conhece passado profissional algum e hoje quem nos governa...

    ResponderEliminar

Antes de comentar leia sobre a nossa Política de Comentários.

"Mi vida en tus manos", um filme de Nuno Beato

Pesquisar no Avenida Central




Subscreva os Nossos Conteúdos
por Correio Electrónico


Contadores