Democracia Participativa

| Partilhar
Ao longo dos próximos tempos publicarei vários textos e contributos a propósito da temática da Democracia Participativa. Começamos com as palavras do Prof. Doutor Manuel Pinto, docente do Departamento de Ciências da Comunicação da Universidade do Minho, numa entrevista recente ao Diário do Minho:

«O caso desencadeado pela iniciativa do blog “Avenida Central” é muito interessante por vários motivos. Porque dá conta de um esforço sério e atento do autor daquele meio de comunicação digital; porque dá expressão independente a uma preocupação partilhada por muitos outros concidadãos; porque “obriga” as várias forças políticas a vir a terreiro pronunciar-se; e porque entra num jogo de marcação-complementaridade relativamente aos “media” locais. Casos destes têm-se vindo a multiplicar noutras paragens. São sinais de um tempo novo em que, com novas ferramentas de informação e de actuação em rede, é possível criar condições para enfrentar problemas velhos. Braga é uma cidade amiga dos carros. E pode ser mais amiga das pessoas e do ambiente. Pela via do blog, lançou-se um problema para a mesa do debate público. Se viesse de um partido (como já tinha vindo), provavelmente não passaria de uma ideia. Agora, pode não ir muito mais longe do que isso (oxalá me engane), mas abriu um terreno inovador de intervenção cívica e criou um precedente de democracia participativa

4 comentários:

  1. Gostava apenas de corrigir o nome do docente... é Manuel Pinto e não Manuel Pinho

    ResponderEliminar
  2. Caro Pedro Morgado, daqui fala o caloiro de Medicina da UM, com o qual ja tives-te oportunidade de dialogar umas tantas vezes. Já te tinha prometido uma visita ao teu blog. Ora aí está!

    Só gostava de deixar aqui uma pequena pergunta retórica:

    Não será a Democracia Participativa uma utopia?

    Até que ponto terá influência a participação social (como a que tu praticas) no desenvolvimento dos municípios e do país se este está minado de interesses pessoais e egoísmo? Intervir vale sempre a pena, mas até que ponto?

    Agradecia que me esclarecesses! Se o preferires discutias isto comigo na UM.

    Um grande abraço.

    ResponderEliminar
  3. Caro Miguel,

    Sê bem vindo.
    Terei todo o gosto em falar contigo sobre esta temática pessoalmente.

    Ao longo dos próximos tempos, várias personalidades vão contribuir com perspectivas sobre a Democracia Participativa.

    Uma coisa é certa: há uma simpatica quase unânime pela Democracia Participativa que é acompanhada por um repulsa disfarsada pelo trabalho dos cidadãos activos independentes de partidos.

    Abraço
    Pedro Morgado

    ResponderEliminar

Antes de comentar leia sobre a nossa Política de Comentários.

"Mi vida en tus manos", um filme de Nuno Beato

Pesquisar no Avenida Central




Subscreva os Nossos Conteúdos
por Correio Electrónico


Contadores