A Crise do PSD

| Partilhar
«O exercício do poder é o grande motivador da política em Portugal. Isso explica bem, porque razão é difícil fazer oposição no nosso país. Nunca existiu uma tradição de uma oposição forte e coerente no nosso sistema político, com um programa alternativo ao do governo.»

Bruno Gonçalves não deixa de ter razão. O problema é que, por norma, os governos portugueses também não costumam ter um programa para que se lhe possa contrapor alternativa. A crise aberta no PSD, se conduzisse ao abandono dos dois candidatos, seria uma excelente oportunidade para o partido abandonar o pendor que JPP caracteriza como «clientelar e provinciano» e, após clarificação ideológica, avançar com um projecto de governação concreto capaz de reunir os militantes e agregar contributos da sociedade civil independente.

1 comentário:

  1. Pedro Morgado acho bem que te preocupes com o teu partido.

    Mendes e Menezes não são solução.

    António Borges, sim. faz por isso.

    ResponderEliminar

Antes de comentar leia sobre a nossa Política de Comentários.

"Mi vida en tus manos", um filme de Nuno Beato

Pesquisar no Avenida Central




Subscreva os Nossos Conteúdos
por Correio Electrónico


Contadores