A L E L U I A

| Partilhar
Novo hospital de Braga pronto dentro de três anos

Aberta discussão para nome do novo hospital

8 comentários:

  1. Se o actual perdurar após o inicio de actividade do novo, apoio a iniciativa. Senão, se o actual fechar, mantém-se o nome, não vejo razões para o alterar.

    ResponderEliminar
  2. O Mesquita não conseguiu pôr o nome dele no Estádio (por isso o quis chamar de municipal - para que quando bater a bota, a obra do estado tenha o nome do criador) portanto não me admiraria nada se se fizesse ao hospital. Até tem o irmão lá para dar uma ajudinha...

    ResponderEliminar
  3. Por acaso essa do Mesquita vai-lhe sair pela culatra pois, seja lá o nome com que um dia baptizarem o estadio, ele há de ficar sempre conhecido como a "Pedreira".
    O hospital...é uma pena o nome "S. João" já estar ocupado. Como tradicionalmente os hospitais têm nomes de santos eu proporia o nome do padroeiro da cidade "Hospital de S.Geraldo".

    ResponderEliminar
  4. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  5. "Estádio da Pedreira" ficaria melhor que Municipal de Braga, mas isso é a minha opinião.
    Ao novo hospital baptizava-o de Hospital Elísio de Moura, uma homenagem ao maior médico bracarense.
    Elísio de Azevedo e Moura (Braga, 30 de Agosto de 1877 — 18 de Junho de 1977) foi um médico psiquiatra bracarense e primeiro bastonário da Ordem dos Médicos.

    Elísio de Moura notabilizou-se no ensino e investigação da Psiquiatria e Neurologia, tendo contribuído, no início da República, para a manutenção do ensino da Medicina na Universidade de Coimbra, que estava em risco de passar para as novas universidades de Lisboa e Porto.

    Elísio de Moura era filho de José Alves de Moura, um bacharel formado em Teologia, professor e, mais tarde, Reitor do Liceu de Braga e de Dona Emília da Costa Pereira de Azevedo e Moura. Foi o quarto de dez filhos deste casal, tendo sido o único que seguiu Medicina.

    Ao longo da sua vida escolar Elísio de Moura distinguiu-se sempre pela precocidade e brilho. A 15 de Outubro de 1892, apenas com quinze anos de idade, inscreveu-se na Universidade de Coimbra, como aluno de Matemática e Filosofia. A 10 de Julho de 1895, obteve o grau de Bacharel em Filosofia.

    Inscreveu-se então na Faculdade de Medicina, frequentando o Curso de Medicina de 1895 a 1901. A 1 de Março de 1901 fez acto de licenciatura. Aprovado com distinção, é nomeado, em 1902, professor substituto da Faculdade de Medicina de Coimbra.

    Mais tarde, como professor catedrático, rege as cadeiras de Patologia Interna, Propedêutica Médica, Obstetrícia e Pediatria. Terá sido a regência das cadeiras de Patologia Interna e de Clínica Médica que motivou Elísio de Moura para o estudo de Neurologia e Psiquiatria.

    Em 1907, consegue, graças à sua notoriedade, dar início em Portugal ao ensino de Neurologia e Psiquiatria, na Universidade de Coimbra.

    A par da investigação e do ensino, o médico dedicou também parte do seu tempo à fundação e direcção daquela que é hoje conhecida como Casa da Infância Dr Elísio de Moura em Coimbra.

    Em 1939, os colegas elegeram-no para primeiro bastonário da Ordem dos Médicos.

    ResponderEliminar
  6. Completamente de acordo com o snitrom... É também a minha opção.

    Acho que os santos era no tempo em que a Igreja era proprietária dos hospitais... Agora o Estado é laico (ou deve ser) e os hospitais são públicos...

    ResponderEliminar
  7. Realmente tenho de me render às evidências - Hospital Elísio de Moura fica melhor. Ignorava que ele tinha sido médico, assim sendo é realmente um nome muito adequado.

    ResponderEliminar

Antes de comentar leia sobre a nossa Política de Comentários.

"Mi vida en tus manos", um filme de Nuno Beato

Pesquisar no Avenida Central




Subscreva os Nossos Conteúdos
por Correio Electrónico


Contadores