Paulo Portas ou o poder a todo o custo

| Partilhar
Se Portas pudesse, mandava o General Gomes da Costa tomar o partido de assalto.

2 comentários:

  1. Ele tem aquilo ganho.
    O apelo ao consenso não visa obter votos: visa minimizar estragos, reparar, o melhor possível, o que etsá em pantanas...

    ResponderEliminar
  2. Caro Pedro,

    Não entendo como se pode acusar Paulo Portas de tomar de assalto o poder no CDS. A estratégia pode não ter sido a mais correcta, pois PP queria derrotar rapidamente Ribeiro e Castro sem passar pelo incómodo de um debate sério. Mas quando se sabe que a maior parte do CDS aspira pela sua liderança, que tem grande parte das concelhias e distritais a apoiá-lo, como se pode dizer isso? Como é que alguém quer assaltar o poder quando é desejado pelos militantes? Num partido democrático, e apesar das trapalhadas, ganha quem tiver os votos dos militantes. E neste caso, não tenho dúvidas que Paulo Portas vai tê-los. Em congresso ou em directas.

    ResponderEliminar

Antes de comentar leia sobre a nossa Política de Comentários.

"Mi vida en tus manos", um filme de Nuno Beato

Pesquisar no Avenida Central




Subscreva os Nossos Conteúdos
por Correio Electrónico


Contadores