A Paragem do Autocarro

| Partilhar
bus-stop
© Dario Silva, 13-10-2009

O autocarro é uma benção, é até o mais eclético e omnipresente transporte colectivo. O autocarro é também um óptimo complemento ao comboio e particularmente útil quando recolhe os passageiros numa estação ferroviária e os entrega na universidade, na escola, na fábrica. Mais admirável se torna quando o bilhete do comboio é, simultaneamente, o bilhete do autocarro.

E quem me explica porque é um bilhete simples de TUB Tadim-Braga (€ 1,75 para 7 km) custa quase tanto como um bilhete simples de comboio Braga-Porto (€ 2,15 para 56,5 km a São Bento)?

Aqueles que nos governam localmente desde 1976 têm alguma explicação ou não tenho o direito a ver o tema debatido?

10 comentários:

  1. Antes da crítica negativa... a positiva, reconheço a evolução que a TUB tem feito, na sua frota e na própria publicidade.

    Agora os preços... julgo que mesmo os comboios poderiam ser mais baratos para incitar o seu uso diário... então dos autocarros da TUB nem se fala :)

    Para além do preço temos também a própria rede da TUB.

    Dou o meu exemplo...
    Só comprei veículo no final do curso e por isso dependi de boleias (pais, amigos) pois a TUB não engloba um percurso que considero importante.
    O percurso teria 5 km e passaria por locais importantes. Começaria na rotunda da Universidade do Minho e terminaria em Nogueira (onde está localizado o antigo bairro da universidade), passando por várias zonas novas de residências de estudantes, funcionários e professores; para além locais de interesse "comercial(?)" (Continente, aki, radiopopular, makro, mediamarkt, cidadela electrónica, lidl...), também muito útil aos estudantes sem carta de condução/veículo. Andar a pé seria solução... mas para situações pontuais... não aplicável qdo são percursos diários entre trabalho-residência ou para fazer compras...

    Os transportes públicos ainda têm "muito que andar", para um dia deixarmos o carrinho em casa e tornarmos o nosso ambiente, e mesmo o trânsito, mais saudável.

    ResponderEliminar
  2. Muito bom post, Dario.

    Eu apostava num debate a sério sobre este tema, à volta da mesa, com ideias e soluções. Será que se convidássemos o senhor de '76 ele aceitaria debater ideias? Eu pessoalmente gostava.

    ResponderEliminar
  3. Infelizmente foi um tema que passou demasiado ao lado das autárquicas.

    ResponderEliminar
  4. "Será que se convidássemos o senhor de '76 ele aceitaria debater ideias? Eu pessoalmente gostava."

    Provavelmente o senhor não aceitaria, a julgar pela recente postura no que a debates concerne. Eu também gostava.

    ResponderEliminar
  5. Os transporte urbanos em Braga saõ extremamente caros para a pouca qualidade que oferecem. Sou de Braga mas há 3 anos a que estou num país estrangeiro, de nível económico ligeiramente inferior ao de Portugal, numa cidade bem menor que Braga, e aqui os transportes são de maior qualidade (com grande disponibilidade de horários e variedade de meios de transporte: autocarro e eléctrico) e paga-se muito menos por um bilhete (mais de três vezes menos). E aqui também há uma coisa que não sei por que raio Braga não tem: transportes nocturnos.

    ResponderEliminar
  6. Além de económico, já é "in" ir de Braga ao Porto de comboio.
    Mas os autocarros ainda são para as crianças, emigrantes, idosos e outros desvalidos da sorte que não têm a possibilidade de comprar um carro.
    Antes (e além) de mudar os preços é necessário mudar as mentalidades. De cima a baixo. E vice-versa.

    ResponderEliminar
  7. Eu gostaria de saber onde têm melhor qualidade preço no país. E onde tem havido renovação de frota, criação de novos trajectos, melhoria das frequências e aposta nas energias renováveis que não na TUB.
    Movimentos era forçar o governo a apoiar financeiramente os transportes urbanos em todo o país, e não apenas em Lisboa e Porto.
    Quanto ao senhor de 76, temos a felicidade de ele ter considerado estratégico e necessário para o desenvolvimento estratégico manter os transportes urbanos, e confiar-lhe igualmente um carácter social.
    Mais fácil era fazer como outros concelhos. Não ter transportes urbanos e não ter apoio social a estudantes, idosos e famílias com rendimentos baixos.

    ResponderEliminar
  8. Sr.. José Pedro Magalhães já alguma vez foi a Coimbra? Tem lá um bom exemplo do que é transportes públicos a TUB já esteve pior mas tem de batalhar muito para um dia ter qualidade mínima, isto para não falar de exemplos vindos de fora das nossa fronteira e cidades com metade da população da nossa

    ResponderEliminar
  9. Seria interessante que fossem apuradas as "borlas"dadas, pelo TUB, algumas pessoas.Talvez aí os preços praticados pudessem ser susceptíveis de alguma redução.

    ResponderEliminar

Antes de comentar leia sobre a nossa Política de Comentários.

"Mi vida en tus manos", um filme de Nuno Beato

Pesquisar no Avenida Central




Subscreva os Nossos Conteúdos
por Correio Electrónico


Contadores