Modelos de Avaliação

| Partilhar
«A Fenprof enviou esta manhã uma carta à nova ministra da Educação, Isabel Alçada, pedindo a suspensão urgente do modelo de avaliação» [Público]

Depois de tantos meses de luta, o país continua por saber qual é o modelo de avaliação que a Fenprof defende. A menos que aquela proposta da auto-avaliação fosse para levar a sério...

7 comentários:

  1. O ensino em Portugal não é a miséria que é por falta (apenas) de recursos, más políticas dos governos ou ignorância dos alunos. É também - diria até em grande parte pela experiência que tive - pela incompetência de muitos professores. Aliando isto ao corporativismo profissional que tem como objectivo fazer menos pelo menor tempo possível, temos a fórmula certa para um ensino que nos envergonha a todos. A auto avaliação proposta por esses senhores, demonstra bem o que querem para o ensino. Já agora, porque não põem os alunos a auto avaliarem-se? Enfim, Portugal dos pequeninos. Só espero que a oposição não queira arranjar votos há custa do País, voltando a por esses senhores à sombra da bananeira. Querem ensinar? Estudem. Estudaram? Confira-se em avaliação.

    ResponderEliminar
  2. Nós, que frequentamos as escolas, sabemos por que razão eles não querem ser avaliados...

    ResponderEliminar
  3. Dizer ou defender que a FENPROF não tem modelo de avaliação é uma atitude de má fé para com os professores que se batem por um modelo de avaliação sem ambiguidades e sobretudo sem a aberração do modelo do Estatuto da Carreira Docente, com a estúpida categoria de professor Titular, onde é privilegiada a carreira recente, essencialmente burocrática dos últimos anos, onde é completamente esquecida a longa formação e os muitos anos de bom trabalho pedagógico, onde professores com menos experiência vão classificar os professores com mais competência.

    ResponderEliminar
  4. Acho muito interessante que um médico tenha uma opinião sobre a avaliação de outra classe. Mesmo que desconheça os problemas dessa classe é livre para ter uma opinião e faz bem em a tornar pública.

    Só que eu não me esqueço que é o mesmo médico que se revolta contra o aumento de vagas nos cursos de medicina numa atitude de puro corpativismo. A melhor forma de nos defendermos da concorrência é evitar a concorrência. E não me venha com a treta que é muito complicado formar um médico, que é muito caro, etc. O mesmo também poderia ser dito sobre muitas profissões.

    Já agora gostava de saber a sua opinião sobre a notícia relativa aos milhares de portugueses que vão ficar sem médico de família em poucos anos? Julgo que foi em Braga, num evento do S. Marcos que foi dito que não há capacidade de substituir os médicos que se reformarão nos próximos tempos, não lhe parece um bom tema? Não possui opinião sobre ele?

    Cada vez acho mais estranha e interessada a sua agenda. Claro que é livre para a escolher, mas a minha opinião sobre as suas escolhas também é livre.

    ResponderEliminar
  5. Independentemente do evoluir da questão da avaliação - esteja ou não a nova equipa ministerial aberta a alterações ao actual modelo - estou certo de que Mário Nogueira não descansa enquanto não garantir finalmente a substituição de Carvalho da Silva à frente da CGTP... para desgosto dos trabalhadores portugueses, em geral...

    ResponderEliminar
  6. Tenho toda a certeza que o Pedro Morgado conhecerá um professor a que possa chamar competente.
    Que se preocupe muito com a escola e alunos.
    Que tenha sido avaliado mas no deu departamento não haja quotas para Excelentes e Muito Bons suficientes para que todos os que o sejam na realidade o possam ser no papelucho do Ministério da Educação e tenha que se contentar com o mesmo Bom que os que (e sei que existem,mas não são a generalidade,como não são a generalidade os seus colegas incompetentes ou vendidos às companhias farmacêuticas e sempre impunes) pouco ou nada fazem.
    Que tenha condições para ser Titular mas mais uma vez,hellas,as quotas não permitem que o seja,nem na folha de vencimento.

    Fale com ele e tente saber o porquê da indignação justificada com este modelo de avaliação que tenho a certeza não conhece,limitando-se a "emprenhar pelo ouvido" como muitos portugueses que foram atrás da exímia estratégia governamental de culpabilização pública dos professores pelo descalabro em que caiu a Educação.
    Talvez aí consiga ser objectivo e deixe de colar a Fenprof a todos os professores.Seja sério.

    Quanto à sua classe,o comentador CPS já disse o que deveria ser dito.Seja,também aí,sério.

    ResponderEliminar
  7. Em qualquer empresa ninguém sobe de posto devido ao nº de anos de serviço. Além de ter que haver mérito, também tem que haver um lugar disponivel para a subida.
    Parece-me que o problema dos professores é exactamente esse. Mesmo que alterem o sistema de avaliação, a contestação não vai acabar, Pois, o que querem é continuar a progredir na carreira automaticamente.

    ResponderEliminar

Antes de comentar leia sobre a nossa Política de Comentários.

"Mi vida en tus manos", um filme de Nuno Beato

Pesquisar no Avenida Central




Subscreva os Nossos Conteúdos
por Correio Electrónico


Contadores