As Eleições em Guimarães

| Partilhar
O acto eleitoral de domingo passado reforçou a maioria absoluta de António Magalhães à frente da edilidade Vimaranense, e do Partido Socialista em Guimarães.

Que Guimarães é Socialista, já não é de hoje. Mas a vitória redundante do Partido Socialista em Guimarães deve ser analisada tendo em conta o efeito Magalhães, tanto mais quando na maior parte das freguesias a votação no PS para a Câmara Municipal é superior à votação para a Assembleia Municipal e completamente contrária à votação para as Assembleias de Freguesia, onde o PS perde. A título de exemplo, nas seis freguesias urbanas (S. Sebastião; S. Paio; Oliveira; Azurém; Creixomil e Urgeses) o Partido Socialista, nas votações para a Assembleia Municipal e para a Câmara Municipal, ganha em toda a linha, apesar de apenas ter ganho três das seis Assembleias de Freguesia). Nas principais nove Vilas do Concelho, cinco são lideradas pelo Partido Socialista, uma por um movimento independente e as restantes três pelo PSD. No entanto, nessas mesmas nove vilas, à excepção, da freguesia de Caldelas, António Magalhães e o Partido Socialista vencem com larga maioria as votações para a Câmara Municipal e para a Assembleia Municipal.

Embora não unânime a votação é esclarecedora. Das 69 freguesias do Concelho, apenas 4 não deram a vitória ao Partido Socialista e a António Magalhães. Todas as outras, independentemente da cor político-partidária eleita, entendem que para a Câmara Municipal o Presidente em exercício é o melhor para o Concelho, totalizando 53,9% dos votos.

Com esta votação o Partido Socialista elege: 7 vereadores, mais um que no mandato anterior; 37 deputados para a Assembleia Municipal, mais três que no mandato anterior; ganha 48 freguesias, mais duas que no mandato anterior.

O que terá feito os vimaranenses eleger e reforçar a maioria de Magalhães? Para quem é vimaranense como eu, e apesar de ter assistido a uma campanha eleitoral comedida, é fácil explicar as razões de tamanho sucesso: o trabalho e o resultado desse trabalho ao longo dos sucessivos mandatos, que culminará com a organização de um evento de carácter internacional, a CEC2012.

5 comentários:

  1. Levei 2 jornalistas suíços convidados da Região dos Vinhos Verdes a visitar Guimarães... a visita guiada foi excelente, o dinamismo que o Turismo respira é de louvar e a CEC de 2012 merece os parabéns de todos os portugueses por quem trabalhou para essa candidatura! A recuperação urbana é de facto uma mais valia e tomara que a minha querida Bracara Augusta aprendesse alguma coisa com os vimaraneneses nesta área, já q no futebol estamos a liderar!!!!

    ResponderEliminar
  2. John of God Pine Tree ou os comidos por lorpas

    John of God Pine Tree, vulgo João de Deus Pinheiro, ex-ministro e ex-comissário europeu, prócere do cavaquismo e sem obra política notável, lisboeta retinto, ou melhor, verdínto, porque a alface é verde, fez-se eleger deputado, como cabeça de lista do PSD, por Braga. Participou em debates, analisou problemas do distrito, fez promessas. Deu até lustro ao ego dos bracarenses - os citadinos - falando-lhes de Braga e da sua importância como contraponto ao "portocentrismo" - é assim que se ganham votos em Braga. Os debates em que o senhor interveio, a par com igual pára-quedista do partido irmão, foram transmitidos por TV's, rádios locais e até blogues. Não tenho memória de alguém lhe ter perguntado se o mandato era para cumprir ou se andava ali só a trabalhar para a manutenção dos seus níveis de militância fazendo o frete de andar a aturar os parolos lá do Minho durante duas semanas. Os bracarenses vão ser agora representados por um jotinha que não foi capaz de arregimentar votos suficientes para se fazer eleger e que o povo claramente rejeitou porque impediu que o PSD elegesse deputados suficientes que cobrissem o lugar que o imberbe ocupava na lista. Cada povo tem o sistema político que merece. Mas há quem mereça mais que outros.

    ResponderEliminar
  3. O homem é simples, e sabe o que é uma cidade de futuro.

    Estudo em Guimarães, a ligação que a cidade tem com a universidade é bastante forte. Existem várias actividades e parcerias entre ambas as instituições. Projectos comuns como Campurbis exemplificado no Museu dos Cortumes, requalificação da ribeira de couros, entre muitos outros.

    Guimarães é uma cidade aberta, de espírito livre, que se sabe contextualizar na sua importância cultural e progredir com base nessa mesma cultura.

    Creio que isto explica a esperada e maioritária vitória de António Magalhães.

    Como Bracarense e Minhoto que sou, orgulho-me de Guimarães vir a ser CEC2012 lamentando apenas a falta de inovação e qualidade da cidade anexa em que vivo.
    João Rodrigues

    ResponderEliminar
  4. Uma reflexão sobre João de Deus Pinheiro num post em que se fala de António Magalhães tem, no mínimo, o mérito de confirmar que os políticos não são todos iguais.
    Quem vota em Magalhães está a eleger um Presidente de Câmara. Nenhum cargo ministerial o faria abandonar a autarquia.

    ResponderEliminar
  5. o que é uma vitória redundante?

    ResponderEliminar

Antes de comentar leia sobre a nossa Política de Comentários.

"Mi vida en tus manos", um filme de Nuno Beato

Pesquisar no Avenida Central




Subscreva os Nossos Conteúdos
por Correio Electrónico


Contadores