Admirável Mundo Novo

| Partilhar
O protótipo PETMAN, nome que ironiza em tradução literária "homem de estimação", é o primeiro robot que deambula como uma pessoa. As semelhanças são tais que perturbam. É também ele uma nesga aberta a um futuro cada vez mais próximo onde, para o bem e para o mal, as máquinas hão-de substituir o Homem em muitas das suas tarefas. Espera-se, a bem da espécie, e o mesmo não se fala da inteligência, que nunca o substituam por inteiro. via [Público]

2 comentários:

  1. Dá que pensar... seriamente no futuro! Se lhes dão inteligencia mesmo que artificial, poderão vir a tornar-se uma ameaça, e não é ficção cientifica, é realidade. Abraço.

    ResponderEliminar
  2. Esta quinta, no programa da SIC Notícias FalarGlobal, vi uma máquina que "ensinava" as pessoas paraplégicas andar, ou pelo menos a estimular, quer os músculos, quer o cerebro em situação vertical. Aí o benefício pode realmente existir e faz sentido desenvolver a robótica nesse sentido.

    No entanto, a sede de conhecimento e de fazer nesta área, incute-me um certo medo, creio ser pouco necessário, e ser apenas motivo de realização pessoal. Ao que me parece, neste momento não acrescenta nada de socialmente útil, este tipo de invenções, o PETMAN.
    João Rodrigues

    ResponderEliminar

Antes de comentar leia sobre a nossa Política de Comentários.

"Mi vida en tus manos", um filme de Nuno Beato

Pesquisar no Avenida Central




Subscreva os Nossos Conteúdos
por Correio Electrónico


Contadores