A Verdade do PSD

| Partilhar

© João Henriques
O voto num determinado candidato pode custar 25 ou 30 euros. O PSD tem sido marcado por tantas disputas internas nos últimos anos, para a direcção nacional e para a distrital de Lisboa, que para melhorar o resultado eleitoral houve quem comprasse votos a militantes angariados em bairros sociais, denunciam militantes e ex-militantes do partido (...). [Sábado]

A revista Sábado avança em exclusivo com uma reportagem sobre negócio de compra de votos no PSD que envolvem directa ou indirectamente alguns candidatos às próximas eleições legislativas. É este o PSD de Verdade que Manuela Ferreira Leite quer oferecer a Portugal.

A ler: António Preto acusado de comprar votos a 25 euros no PSD, Público; Da Desilusão, Avenida Central, Eleições internas: votos do PSD valem 25 a 30 euros em Lisboa, iOnline; Militantes acusam Preto de comprar votos, Diário de Notícias.

12 comentários:

  1. Acho melhor começarem a mudar a cor do blogue...

    ResponderEliminar
  2. Parece-me curioso que o destaque vá sempre para situações não provadas e que o mesmo tratamento não seja dado à politica de verdade do PS. Ou será que o caso Freeport, as licenciaturas a um Domingo ou as pressões à comunicação social, não deverão merecer destaque devido nesta altura?
    Será que a política de verdade dos 300 mil postos de trabalho prometidos pelo PS não deverão merecer também uma chamada de atenção por parte do blogue? Será que a propaganda mentirosa dos magalhães não é também um belo exemplo do que não é política de verdade? Será que a escamoteada demissão de Campos e Cunha, os deslizes de Lino, os falhanços do Silva, os cornos de Pinho não merecem a devida lembrança? Será que as contradições de Sócrates, as guerras perdidas com Cavaco, o falhanço do estatuto dos açores, do caso esquecido dos camionistas, não merece a correcta análise, agora também em período eleitoral? Será que os 10 mil euros a que Sócrates foi condenado por desmentir evidências em 2008, não merece uma linha, agora na análise dos candidatos? E a perseguição constante aos jornalistas e os 9 processos que lhes colocou? E o professor de inglês, com 20 anos de carreira, suspenso por ter opinião? E a mentira com que tentou enganar o país sobre a compra da media capital pela PT? E os elogios de Jaime Gama, figura destacada do PS, a Alberto João Jardim? Enfim, muitos e muitos casos, que gostaria de ver neste blogue comentados nesta altura, para que passasse a ser mais isento no que a este aspecto diz respeito e menos colorido de rosa. Além de política de verdade, haja isenção... de verdade.

    ResponderEliminar
  3. Caro Vimaranes,

    Em primeiro devo esclarecer que um blogue não tem qualquer dever de isenção. Quem nos lê sabe que apenas transmitimos as nossas opiniões independentes sobre os mais variados assuntos. Em cada momento, damos as nossas opiniões e todos têm o direito de questioná-las como tu fizeste.

    Por outro lado, também não me parece muito correcto que se minimizem as trafulhices do PSD com as trafulhices do PS. A líder do PSD é que escolheu para si um slogan de verdade quando, na realidade, foi eleita por um sistema repleto de esquemas corruptos. A líder do PSD é que escolheu para si um slogan de verdade quando na verdade integra nas suas listas figuras como Alberto João Jardim ou António Preto.

    É injusto que questiones o tratamento que o Avenida deu aos deslizes de Lino ou à censura ao prof. Charrua porque como podes comprovar fomos bem mais ácidos que agora. Agora não queiras que branqueie a desilusão que tem sido Manuela Ferreira Leite nesta campanha só porque é conveniente em termos eleitorais ou porque dá impressão que estamos a defender este ou aquele. Eu que não percebo muito de política prefiro vê-la para além dos partidos.

    Abraço! : )

    P.S. (ups! lol) - foram 150.000 e não 300.000 empregos...

    ResponderEliminar
  4. Acerca do tema Manuela Moura Guedes, este blog colocou uma frase e uma foto para discutir um tema escandaloso durante dois dias, um tema que deveria preocupar qualquer cidadão que preze a liberdade. O frenesim com esta notícia vergonhosa (com toda a razão de ser, aviso desde já), mostra bem as assimetrias e como o lápis rosa pinta bem a exposição noticiosa no blog.

    ResponderEliminar
  5. Tens razão Cláudio, foi lapso meu. Queria escrever 2 coisas e acabei por juntar tudo numa.
    Referia-me aos 150 mil postos de trabalhos prometidos e aos 300 mil idosos que prometeram tirar da pobreza.

    Esqueceste-te de referir alguns nomes que estão na lista do PS. Não te lembras de nenhum que tenha estado envolvido num caso de tráfico de diamantes?

    ResponderEliminar
  6. Bruno,

    Digo o mesmo que disse ao Vimaranes: não é possível discutir política sem partidarismo? Este é ou não é um caso grave?

    Além do mais, a nossa disponibilidade para escrever não é a mesma ao longo do tempo. O blogue é um hobbie não é um emprego ou obrigação.

    ResponderEliminar
  7. "Não é possível discutir política sem partidarismo? Este é ou não é um caso grave?"

    Primeiro, espero sinceramente que sim Pedro, que seja possível. Segundo, é certamente um caso grave, tal como eu referi e defendi a cobertura que se fez.

    Obviamente acredito que não exista disponibilidade a 100% neste blog, mas é desconfortável ver esta cobertura e lembrar-me daquela singela frase durante dois dias neste blog. Será que não havia mesmo mais tempo para escrever outra linha? Mas enfim, não insisto nesta questão.

    ResponderEliminar
  8. Curioso, o timing da notícia da Sábado. Se o que diz a reportagem é o que noticia o site do Público, não traz qualquer novidade, a não ser acrescentar o nome de António Preto a uma prática que todos sabemos existir. Estão esquecidos do que se passou nas eleições directas com os votos de Famalicão? Milhares de militantes tiveram as suas quotas pagas a partir da mesma caixa Multibanco, ao ritmo de dois pagamentos de quotas por minuto.

    Os partidos políticos são imperfeitos, têm uma lógica de funcionamento que não é muitas das vezes correcta, mas são o que temos. Podemos lutar para aperfeiçoá-los ou não.

    Depois, também é público que casos similares acontecem nos outros partidos políticos. Não percebo o porquê desta reportagem num período de campanha eleitoral, senão numa lógica de os media entrarem na disputa eleitoral sem qualquer transparência. Ao menos que se assumam em editorial contra o PSD, pois assim saberemos com o que podemos contar!

    ResponderEliminar
  9. Fiquei hoje a saber que em caso de vitoria do psd em Braga este blog terá os dias contados.
    E os seus autores vão atravessar o deserto como se costuma dizer.

    ResponderEliminar
  10. A situação em si nem sei se é grave... porque isso de comprar votos não passa de uma boa "treta", se o voto é secreto como se comprarm votos?
    Se alguém me conseguir explicar isso...
    No máximo alguém pagava a outro para ir votar, no intuito de ganhar o voto para a sua lista ou coisa parecida!
    Pelos vistos é uma situação que há em todos os partidos, como Lobo Xavier admitiu na Quadratura do circulo, sem que Pacheco Pereira e António Costa o desmentissem.
    Só que neste momento no PSD há muita gente contra a lider e há que atingir as pessoas que estão mais perto dela, ou será que só o Preto pagava aos militantes? Porque ap+areceu praticamente só o nome dele?

    ResponderEliminar

Antes de comentar leia sobre a nossa Política de Comentários.

"Mi vida en tus manos", um filme de Nuno Beato

Pesquisar no Avenida Central




Subscreva os Nossos Conteúdos
por Correio Electrónico


Contadores