Do Portugal Napolitano

| Partilhar
Anote-se para que se conste: sempre que não houver agente de autoridade com ordem explicita para parar, é permitido atropelar livremente. Nem é necessário fazer cuidado de quem restou para trás estatelado. Neste país, está visto quem manda e nem vale a pena perder tempo a desbridar patetices à Ferreira Leite, nem a modernice do teleponto de Sócrates.

O F.C. Porto, que nem tem nada a ver com as cuecas do caso, já veio comunicar em socorro do presidente que, está visto, se confunde com a instituição. O pior, no meio disto tudo, é a vocação de alguns liberais da praça para desculpar com unhas e dentes o modo destas enormidades da sociedade portuguesa. Presos, quanto mais não seja, ao silêncio a que se prestam oportunamente.

13 comentários:

  1. Sem dúvida, há quem mande em Portugal e ninguém lhes toca porque têm medo DO POLVO!

    ResponderEliminar
  2. Não, o caso é ainda mais grave.

    Como quem ia a conduzir não era o Pinto da Costa e sim o motorista, o Futebol Clube do Porto tomou para si as dores do tal motorista. É ele, afinal, que parece confundir-se com o clube.

    E, depois de tamanha desfaçatez (enormidade, mesmo), há gente por essa blogosfera fora que não aproveita logo para cair encarniçadamente em cima do presidente do Futebol Clube do Porto?
    A lata desta gente!


    Claro que, estando nós a falar de um genocídio na forma tentada (é óbvio que só uma enorme imperícia do motorista o levou a falhar a tentativa de assassinato de todos os jornalista do mundo e arredores), seria de esperar nada menos que um julgamento sumário seguido de fuzilamento em praça pública. Mas porque é que o Pinto da Costa haveria de merecer menos que o Ceausesco?


    Incrível como há gente capaz de dar o benefício da dúvida ao motorista do Pinto da Costa. Até parece que alguma vez houve quem atropelasse uma pessoa sem intenção...

    ResponderEliminar
  3. para começar, senhor Pimenta, eu como portuense sinto-me insultado com o título do seu post. mas a desonestidade intelectual felizmente é livre e não merece cadeia. no entanto, qualifica e classifica quem a exerce como modo de exorcizar as suas frustrações.

    se o senhor Pimenta se desse ao trabalho de visionar as imagens que existem do incidente só com muito esforço, e desonestidade, é que poderá qualificar aquilo como um atropelamento e muito menos premeditado. eu vejo um reporter a correr, que provavelmente é atingido de raspão pelo veículo e só cai depois deste passar. e mais ainda, ouço o apito do polícia mas não consigo - nem ninguém conseguee - visionar qualquer "palmada no tejadilho" que muitos pretendem dizer-nos que existiu. tentar fazer deste episódio mais um motivo para denegrir uma pessoa e uma instituição que, é verdade, se distingue e subiu muito acima da mediocridade em que vossa excelência vegeta é pusilãmine. mas enfim, a crapulice também é livre e não paga imposto.

    "sempre que não houver agente de autoridade com ordem explicita para parar, é permitido atropelar livremente"

    esta frase é uma manipulação digna de alguém cujos princĩpios rastejam há muito na mais infecta lama.

    as imagens:

    http://tv1.rtp.pt/noticias/?headline=20&visual=9&tm=8&t=Carro-de-Pinto-da-Costa-abalroou-fotografo-a-saida-do-tribunal.rtp&article=273857

    ResponderEliminar
  4. Peço desculpa ao senhor António Alves, mas nem sequer falei em Porto, mas sim Portugal. O senhor é que confunde a cidade com a instituição das Antas, e na trapalhada confirma o gratinado camorrianóide da coisa.

    De resto, era de prever, não se pode tocar na Vaca Sagrada do Futebol, porque as tripas facilmente tomam o lugar do cérebro.

    ResponderEliminar
  5. meu caro Pimenta

    não tente fazer dos outros parvos porque a sua intenção de conotação abjecta é evidente

    a única relação com tripas que eu encontro neste caso é o facto da imensa mole de intelectuais de esgoto, na qual vossa senhoria 'pretensiosamente' se insere, mal ouve o nome de Pinto da Costa ou Porto começar logo a escrever com o intestino grosso.

    não se agite muito porque quanto mais se agitar mais fede.

    ResponderEliminar
  6. Afinal o fotografo era suicida, esse tratante...

    ResponderEliminar
  7. Atenção que a imprensa noticiou que foi "o carro" do Pinto da Costa que atropelou o jornalista.

    Espero que esse "carro" tenha termo de identidade e residencia...

    ResponderEliminar
  8. 26/08/2009
    Comunicado da FC Porto – Futebol, SAD

    No seguimento de análise aos relatos da Comunicação Social acerca de uma ocorrência que envolveu um veículo do FC Porto, à saída do Tribunal de S. João Novo, vem o Conselho de Administração da FC Porto – Futebol, SAD recordar o seguinte:

    1 - Apesar das tentativas de intoxicação da opinião pública, com escritos e ditos incongruentes, a força das imagens prevalece e permite desenhar e comprovar aquilo que, de facto, se passou ontem;

    2 – Como pode constatar-se pelas imagens (momento 1), o veículo do FC Porto arrancou de forma contida e iniciou de imediato um demorado processo de travagem, prolongado até à curva à direita, uma vez que surgiram vários fotógrafos de entre os carros estacionados;

    3 – Estranha-se, portanto, que o Sindicato de Jornalistas fale em «marcha acelerada». E estranha-se ainda mais aqueles que se referem a «atropelo», quando são precisamente os seus profissionais que atropelam o civismo das regras de trânsito, lançando-se precipitadamente para a via pública (momento 2);

    4 – As imagens permitem ainda perceber (momento 3) a queda de alguém na retaguarda da viatura do FC Porto, em posição imperceptível para os seus ocupantes;

    5 – É igualmente inequívoco que o agente da autoridade que aparece nas imagens (momento 4) está sempre posicionado por trás da viatura, portanto, se emitiu qualquer sinalética (não é visível em momento algum), jamais esta podia ter sido percepcionada pelos ocupantes do automóvel;

    6 – Por fim, é falso que a pessoa pretensamente atingida tenha ficado caída na rua, uma vez que se levantou de pronto e correu rua abaixo, praticamente à mesma velocidade do veículo (momento 5).

    Porto, 26 de Agosto de 2009
    este comunicado do FC Porto parece-me uma descrição bas

    as imagens:

    http://tv1.rtp.pt/noticias/?headline=20&visual=9&tm=8&t=Carro-de-Pinto-da-Costa-abalroou-fotografo-a-saida-do-tribunal.rtp&article=273857

    só um crápula; um desonesto, um indecente é que podia ter escrito isto:

    "Anote-se para que se conste: sempre que não houver agente de autoridade com ordem explicita para parar, é permitido atropelar livremente. Nem é necessário fazer cuidado de quem restou para trás estatelado."

    ResponderEliminar
  9. Escusa de me insultar, caro António Alves. Tinha-o em melhor conta.

    Paciência. Eu ironizei. Apesar de tudo, o que se nota do comunicado é um chuto para canto. Não houve pelo menos a decência por parte do FCPorto ou figuras anexadas de tentar esclarecer a situação, Pelo contrário, limita-se a atirar as culpas a um desgraçado - que por muita culpa que tenha - merecia outra abordagem. Não discuto mais consigo, nem este nem outros assuntos. Passe bem.

    ResponderEliminar
  10. Caro Vitor Pimenta,

    agora que já tomou a posição que o seu ego e o seu orgulho exigiam, e até já teve tempo para dormir sobre o assunto, volte por favor a ler as sua posta e as suas respostas.

    Tente ler isso como se fosse uma pessoa fora do assunto, sem conhecer pessoalmente o postador nem os leitores com os quais ele estabeleceu diálogo.

    No meio escrito, sem a ajuda das expressões faciais nem do tom de voz, é fácil as posições extremarem-se e as pessoas em geral ficarem muito indignadas com coisas que, se calhar, nem seriam motivo para tanto.

    Por favor, leve isso em conta quando escrever novas postas. É que, para além de um possível aumento de audiências do blogue, este tom de crispação e permanente confrontação com os leitores não pode fazer bem a ninguém. Nem a si, nem a quem o lê.

    ResponderEliminar
  11. Viva o Mesquita Machado, o Benfica e a(s) Imaculada(s) Conceição e cidade de Braga.

    Bracarensehámuitoexilado.

    ResponderEliminar
  12. A última versão diz que o fotografo é que atropelou o carro de Pinto da Costa...

    ResponderEliminar

Antes de comentar leia sobre a nossa Política de Comentários.

"Mi vida en tus manos", um filme de Nuno Beato

Pesquisar no Avenida Central




Subscreva os Nossos Conteúdos
por Correio Electrónico


Contadores