O Primeiro Rasgão no Asfalto

| Partilhar
Obras na Nova Avenida da Liberdade, Braga

Quando uma rua, uma avenida ou uma estrada acabam de ser asfaltadas, surgem, pelo menos, duas perguntas: Ao fim de quanto tempo receberão o primeiro rasgão? Que instituição tratará de o fazer?

Em relação à Avenida da Liberdade, em Braga, a resposta acaba de ser dada. Asfaltada pouco antes das Festas de S. João, a avenida recebeu hoje o primeiro buraco. A iniciativa pertenceu à EDP.

Outras Perspectivas do Rasgão: 1 e 2.

12 comentários:

  1. Ainda não perceberam que perderam o alicate e andam à sua procura!

    Almerindo Margoto

    ResponderEliminar
  2. Nem acredito… Como pode ser possível, já vai ficar lá um remendo.. Será que vai ficar como estava no dia da inauguração?

    Haja inteligência e coloquem isso como estava antes…

    ResponderEliminar
  3. Isto tem um nome: inauguração-à-pressa (se bem que triunfal) ou incompetência. De uma ou outra forma, uma habilidade só tornada possível graças ao dinheiro dos meus impostos.

    ResponderEliminar
  4. Velho e triste hábito português, visto com inusitada frequência, de que o expoente máximo é partir para obras de saneamento básico após a colocação de asfalto nas estradas

    ResponderEliminar
  5. Foi inaugurado no dia não foi? O resto não interessa...

    ResponderEliminar
  6. cambada de incompetentes!

    ResponderEliminar
  7. Em Guimarães, costuma dizer-se que foram procurar as cuecas de Afonso Henriques...
    Em braga, se calhar buscam os boxers de Mesquita Machado...

    ResponderEliminar
  8. Não é para defender ou elogiar o regime de então, mas somente para dizer que somos capazes de fazer de forma diferente organizada. Não é do meu tempo, mas quem é diz que no tempo da «outra senhora» isto não acontecia. Qualquer intervenção na estrada era coordenada com todas as entidades que poderiam num tempo muito próximo ter tb programa uma intervenção para o mesmo espaço. Não só se ganhava em incómodos, mas sobretudo se ganhava em poupar dinheiro público.
    Agora, no nosso tempo, como diz o post, não há estrada que resista intacta por muito tempo.
    E para além do desperdício de dinheiro, geralmente público, existe a lei do remendo, isto é, estraga-se toda uma estrada, mas a entidade que o fez somente tem de remendar para ficar tudo bem...
    Deveria ser, estragou a estrada compõe-na na totalidade, e não remendá-la como acontece... Mas estamos na democracia, e cada um faz como lhe apetece...

    ResponderEliminar
  9. Descansem, na Bélgica é como aí. Ainda nem o alcatrão estava há 24 horas na autoestrada entre Bruxelas e Antuérpia e já havia um rasgão de 3 kms...

    ResponderEliminar
  10. Se os defeitos não são descobertos dentro do prazo de garantia(?)a factura é ainda maior.Venham eles enquanto é tempo...

    ResponderEliminar
  11. Será o prenúncio do próximo rasgão nos cueiros de D.Xicus Mesquistus?Creio que sim.

    ResponderEliminar
  12. Esqueceram-se de um templo romano lá em baixo?

    ResponderEliminar

Antes de comentar leia sobre a nossa Política de Comentários.

"Mi vida en tus manos", um filme de Nuno Beato

Pesquisar no Avenida Central




Subscreva os Nossos Conteúdos
por Correio Electrónico


Contadores