Capítulo 26: da nossa câmara

| Partilhar
Por estes dias vivemos dias difíceis e previsões catastróficas para a economia portuguesa - sendo especialmente catastróficas para as economias dos portugueses. Ninguém sabe muito bem quando é que as coisas vão melhorar e ninguém arrisca previsões, mas, ainda assim, vamos ouvindo críticas insistentes à falta de previsões atempadas sobre a crise que vivemos.

Uns que dizem que era previsível, outros que dizem que ninguém poderia prever. O que no início parecia uma discussão, é hoje uma batalha inconsequente; e dirão vocês: isso sim, era altamente previsível.

De facto, a política tem perdido qualidade e, com ela, o interesse que antes gerava - e deve gerar - entre os cidadãos de um qualquer país. Pode ser que a esperança Obama ajude a mudar o actual paradigma - e que isso crie efeito bola de neve em direcção ao nosso país -, mas com os jogos de "deixa ver se hoje faltam muitos e isto passa" dá a impressão de que a nossa política chegou a um ponto de onde não há retorno possível.

0 Comentários

Enviar um comentário

Antes de comentar leia sobre a nossa Política de Comentários.

"Mi vida en tus manos", um filme de Nuno Beato

Pesquisar no Avenida Central




Subscreva os Nossos Conteúdos
por Correio Electrónico


Contadores