Defesa da Honra

| Partilhar
«Permita-se-me que tome hoje as dores do Estatuto Editorial do "Diário do Minho" e seja a "voz dos sem voz", vindo em defesa da honra de cães, gatos, macacos, tílias, pinheiros, e bichos e plantas em geral, dióicos ou monóicos, gravemente ofendidos num artigo assinado naquele jornal pelo padre Carlindo Vieira. Condenando o casamento entre pessoas do mesmo sexo, o bondoso sacerdote - que, segundo a estimada revista "Celebração Litúrgica", "considera a pena uma parte importante do seu ministério" - invoca "os animais" e o "reino vegetal" para dizer que o "cruzamento" (elegante sinónimo de casamento) "sempre se fez entre sexos diferentes", alegando que "em quaisquer destes reinos da natureza houve sempre cientistas famosos que nunca pensaram de outra forma".

Os meus gatos Tobias e Nhacas, embora não sendo cientistas famosos do reino animal, pensam de outra forma. Vivem em união de facto, e o padre Carlindo fica desde já convidado a vir vê-los cruzar-se ou lá o que aquilo é na sala de estar, como fazem na rua (admito que em Braga, a católica, haja mais respeito) os gatos e cães da vizinhança.
» [Manuel António Pina, JN]

Os textos de Manuel António Pina são uma das melhores razões para ler o Jornal de Notícias.

4 comentários:

  1. Também acho!
    Cumprimnetos e mais uma vez, parabéns pelo blog.

    ResponderEliminar
  2. Infelizmente também há razões enormes para não o ler... http://twitter.com/raul_pereira/statuses/945037983

    Mas é uma boa defesa da honra, sim.

    ResponderEliminar

Antes de comentar leia sobre a nossa Política de Comentários.

"Mi vida en tus manos", um filme de Nuno Beato

Pesquisar no Avenida Central




Subscreva os Nossos Conteúdos
por Correio Electrónico


Contadores