Eleições à Vista

| Partilhar
Nas vésperas das últimas eleições, Mesquita Machado mandou construir uma ciclovia caduca desde nascença, mandou arranjar os canteiros e separadores centrais das avenidas, mandou ornamentar as rotundas, mandou lavar os túneis, mandou asfaltar as estradas e, entre outras coisas, mandou afixar cartazes a lembrar que Braga era uma «cidade do século XXI».

Há coisas que nunca mudam. Multiplicam-se as evidências (1, 2, 3 e 4) de que, depois de 3 anos sem uma única obra assinalável, os próximos 12 meses serão recheados de obras e propaganda.

16 comentários:

  1. Não percebo os comentários à ciclovia. Só peca por ser a única!

    ResponderEliminar
  2. Caro Ricardo,

    A ciclovia é perigosa e tem vários erros de construção. Além do mais, atingiu um estado de degradação demasiado elevado para só terem passado 3 anos sobre a sua construção...

    ResponderEliminar
  3. Foi construída à imagem do criador, errónea, perigosa para os bracarenses e com muito pouca consistência.
    As que aí vêm prometem mais do mesmo.

    ResponderEliminar
  4. Ainda no outro dia percorri toda a ciclovia de bicicleta. Não tive problemas nenhuns. É uma ciclovia urbana, num município sem muito dinheiro e endividado.
    Como ando de bicicleta todos os dias e tenho experiência de outras ciclovias, digo-vos já que, para ciclovia urbana nem é assim tão má. O meu único problema com aquela ciclovia é ser a única.

    ResponderEliminar
  5. Quanto aos comentários de ser mal desenhada, digo-vos que o problema daquela ciclovia são os automobilistas Portugueses que não tem respeito NENHUM pelos ciclistas.

    ResponderEliminar
  6. Não está no melhor estado e deveriam ser criados mais corredores para bicicletas na cidade, de forma a que o povo aderisse mais a esse meio de transporte, mas ainda bem que temos uma, ao menos uma.
    Na minha opinião, seria realmente necessário muito mais respeito por parte dos automobilistas.

    "Foi construída à imagem do criador, errónea, perigosa para os bracarenses e com muito pouca consistência.
    As que aí vêm prometem mais do mesmo."
    Quanto a este comentário, só falta saber se caso o seu "patrão" for eleito vai haver uma melhor ciclovia, mais cuidada, se vão surgir parques, etc. Ou se tudo não passa de conversa fiada.
    Falar é fácil.

    ResponderEliminar
  7. Caro koolricky (ricardo, presumo),
    Os reparos à ciclovia (que para um município "sem dinheiro e endividado" custou mais de 50 mil contos) foram muitos desde a sua génese.
    O tempo só lhes deu razão pela confirmação da perigosidade do traçado, das inúmeras interrupções da via, da má qualidade dos materiais e dos riscos para a segurança dos que nela circulam.
    Percebo que ache melhor aquela do que nenhuma, mas algo bem feito de raíz evitaria as reparações anunciadas apenas três anos depois.
    Quanto ao LDS, vote no "patrão" do João e sinta a diferença. Enquanto não votar não vou poder fazer. Só falar mesmo...

    ResponderEliminar
  8. Sr Patrão

    Volto a frisar que o traçado não é perigoso, perigosos são os condutores e qualquer pessoa que circule de bicicleta poderá constatar esse facto. Só é pena não se poder instalar câmaras e radares em cada "via mais rápida" da cidade, ajudaria a melhorar a condução.
    Se e quando puder fazer algo em relação à ciclovia, quando me cruzar consigo nos corredores da CMB apresentar-me-ei e cobrar-lhe-ei essa "vontade" que demonstra de melhorar as infraestruturas para os ciclistas de Braga. E continuarei a estar atento às alternativas que a oposição apresenta.

    Cumprimentos

    ResponderEliminar
  9. Caro Ricardo Rio.

    Não pretendo dizer que esta é a melhor ciclovia urbana do mundo, porque não é. Posso por exemplo dizer que a marginal de Palma de Maiorca é muito melhor. Mas essa ciclovia foi feita para turistas.
    Não sei se usa ciclovias todos os dias mas eu uso-as, no Reino Unido, e já tive a oportunidade de as usar em várias cidades. Deixe-me que lhe diga que em termos de traçado, em nada estas são melhores que a de Braga. Quanto à protecção aos ciclistas, estas são abertas (ou seja, não há protecção entre bicicletas e ciclistas). Não há luzes que indicam a ciclovia e o pavimento é de alcatrão, pintado de vermelho.
    Por isso não critico esta ciclovia. Entre gastar 250 mil euros numa ciclovia e 250 mil em cinco preferiria a segunda opção. Pelo menos, poderia deslocar-me de bicicleta com relativa segurançao ao invés do que acontece agora. Ou ando nos passeios e ouço insultos dos peões ou ando na estrada e ouço insultos dos condutores.
    No blog Mesa da Ciência já por diversas vezes alertei para o facto de estarmos a perder uma oportunidade única de ligar a ciclovia existente à Universidade do Minho e esta a uma ciclovia através dum Rio Este requalificado, passando pelo Instituto Ibérico de Nanotecnologia, parque da rodovia, piscinas/Clube de Ténis, courts de Stª Tecla, parque da ponte. Espero que nas próximas eleições me/nos tragam alternativas.

    ResponderEliminar
  10. "Ainda no outro dia percorri toda a ciclovia de bicicleta. Não tive problemas nenhuns"

    Deves ter percorrido a pé porque de bicicleta e a tentar fugir dos carros que saem do estacionamento é um perigo, digo eu e muitos outros.
    Agora que 2009 se aproxima é curioso ver os apoiantes do actual regime a tentar dizer que tudo é belo e perfeito.

    ResponderEliminar
  11. Caro João:
    Percorri a ciclovia na minha bicicleta. Entrei um Fraião na rotunda do Colégio das Freiras e saí em Lamaçães, perto do extinto restaurante Japonês.
    O que me descreveste é um problema que afecta todas as ciclovias urbanas. Mas é circunscrito com uma atitude construtiva e o respeito por parte dos automobilistas. Em POrtugal, isso pouco existe.
    Quanto mais criticam esta ciclovia mais eu acho que ela é boa.

    ResponderEliminar
  12. Outra coisa João, se és leitor do blog onde escrevo, depressa se aperceberás que sou tudo menos apoiante do actual regime. Se sou alguma coisa, sou um apoiante de que muito precisa de mudar, e isso não vai acontecer com as mesmas pessoas à frente da Câmara. Mas uma coisa é ser crítico. Outra coisa é ser apoiante/bota abaixo. Apesar de serem antagónicos, são farinha do mesmo saco.

    ResponderEliminar
  13. O principal sintoma de que a ciclovia é má é a sua pouca utilização.Podias dizer que esse é um mal dos portugueses (não fazerem exercício) mas basta ver as melhorias que se fizeram na rodovia (depois daquilo se ter transformado num lamaçal) para constatar que esta se tornou num pólo de atracção.

    ResponderEliminar
  14. João, o sintoma de ciclovia ser pouco usada é este: "a maior parte das pessoas que a critica, nunca a percorreu de bicicleta". Se é culpa dos Portugueses que não gostam de andar de bicicleta? Isso já é outro assunto, completamente diferente!

    ResponderEliminar
  15. Posso dizer que hoje usei toda a ciclovia e a unica coisa que tenho a apontar a propósito da mesmo é alguma degradação do piso em alguns sitíos. Não conta para mim o lixo que lá está, ou os reflectores partidos porque isso decorre de parvoíce "tuga", logo não posso imputar isso a nenhuma instituição.

    Cumprimentos

    ResponderEliminar

Antes de comentar leia sobre a nossa Política de Comentários.

"Mi vida en tus manos", um filme de Nuno Beato

Pesquisar no Avenida Central




Subscreva os Nossos Conteúdos
por Correio Electrónico


Contadores