| Partilhar
Avenida Monumental

Braga antes de Augusto:
incerteza e especulação


20070602_Braga_termas_romanas02
© VR2006

Tendo visitado recentemente a página da Wikipédia, concretamente o artigo ali publicado com o título “História de Braga”, não pude deixar de reparar com uma maior atenção para o capítulo denominado “Pré-História”. Neste capítulo fala-se de vários vestígios conhecidos de ocupação humana na zona de Braga, anteriores à Romanização, nomeadamente a Mamoa de Lamas e a necrópole dos Granjinhos. Menciona-se também a existência de vários povoados da Idade do Ferro na área do Concelho, o período histórico que antecedeu a integração no Império Romano: o Castro Máximo, o Castro de Monte Redondo, Santa Marta das Cortiças, entre outros. Após a enumeração, surge a seguinte frase: “Apesar de estes serem os únicos castros que chegaram até hoje (...), existe ainda um grande castro, a Cividade.”

A frase aqui citada, à qual se seguiram várias considerações, bastante discutíveis, acerca da existência de um núcleo urbano pré-romano em Braga, impressionou-me bastante, ainda que o “existe” tenha sido cautelosamente escrito em itálico. Impressionou-me também o argumento invocado de que o “castro” existe, mas não se sabe onde é, porque estará debaixo de Monumentos Nacionais, o “que impede a realização de pesquisas arqueológicas profundas”!! Além do facto de a razão invocada não ser válida, é demasiado tendencioso atestar a existência de um núcleo urbano, numa determinada época, do qual nenhum vestígio jamais foi detectado em décadas de escavações arqueológicas em Braga (algumas sob Monumentos Nacionais, naturalmente).

É verdade que esta temática tem sido sobejamente discutida nos meios científicos, mas não é suposto uma base de dados informativa basear-se em argumentos cientificamente mais sólidos? Talvez por inabilidade da minha parte, não encontrei nenhuma referência a um autor ou autores do texto aqui referido. No entanto, já me tinha dado conta das abordagens unilaterais dos textos da Wikipédia, onde também se encontram publicadas algumas ideias pouco fundamentadas em relação à Citânia de Briteiros...

6 comentários:

  1. Caro Gonçalo,

    Haveria alguma viabilidade de se reconstruir uma casa romana em Braga?

    ResponderEliminar
  2. Caro Gonçalo,

    A Wikipédia Lusófona é, tal como todas as Wikipedia existentes, uma "enciclopédia multilíngüe online livre, colaborativa, ou seja, escrita internacionalmente por várias pessoas comuns de diversas regiões do mundo, todas elas voluntárias. Por ser livre, entende-se que qualquer artigo dessa obra pode ser transcrito, modificado e ampliado, desde que preservados os direitos de cópia e modificações, visto que o conteúdo da Wikipédia está sob a licença GNU/FDL (ou GFDL)." (artigo Wikipédia, na Wikipédia Lusófona)

    Quer isto dizer que você, se considerar que consegue escrever, alterar, acrescentar com maior qualidade um qualquer artigo pode e deve fazê-lo! Se discorda do conteúdo de um artigo pode também utilizar as páginas de discussão para fundamentar as suas razões e ver assim, caso a comunidade considere oportuno, ver o artigo alterado, corrigido ou até apagado.

    ResponderEliminar
  3. Reforço a ideia indicada acima. São precisamente as pessoas com especial entendimento na matéria como o Senhor que deveriam submeter bons artigos e completos para a Wikipédia. Podemos ter excelentes documentações históricas na wiki. Para isso, basta apenas que as pessoas contribuam!

    ResponderEliminar
  4. Caros Spicka e Emanuel,

    É verdade que a Wikipédia permite que os utilizadores participem na concepção dos artigos disponíveis, no entanto, nada nos garante que o que eu escrever lá não seja posteriormente apagado ou alterado. Apesar de reconhecer que a Wikipédia concentra um enorme volume de informações, e de por vezes recorrer a ela, não concordo muito com o sistema de "enciclopédia livre". Penso que os artigos deviam ser redigidos, ou pelo menos corrigidos, por especialistas das várias matérias, garantindo assim a qualidade das informações publicadas. No entanto, e seguindo a vossa sugestão, vou tentar contribuir para a redacção deste artigo.
    Já agora, eu não tenho um especial entendimento na questão da fundação de Bracara, apenas me vou informando nas publicações recentes.

    Quanto à questão do caro Pedro, eu penso que existe viabilidade nessa ideia. Naturalmente, a reconstituição arquitectónica de uma casa romana teria que ser feita de raíz, posto que uma reconstrução, por muito fidedigna que nos possa parecer, é sempre uma interpretação própria, e iria afectar as ruínas originais.
    As estruturas arqueológicas devem ser mantidas como foram postas a descoberto, na medida do possível, com uma incidência mínima de restauro.
    Uma reconstituição à escala teria que ser uma estrutura concebida para o efeito, mas que, em meu entender, só poderia ser viabilizada por uma actividade de dinamização futura. Por exemplo, uma casa romana poderia albergar um restaurante temático ou, porque não, umas termas romanas, como já se fez por exemplo em Espanha, perto de Mérida (http://www.balneariodealange.com/spanish/index.htm).
    Seria uma ideia bastante inovadora, mas que precisaria de motivar o investimento privado das empresas bracarenses.

    ResponderEliminar
  5. Caro Gonçalo:
    "É verdade que a Wikipédia permite que os utilizadores participem na concepção dos artigos disponíveis"

    Não permite. É essa a única forma de ela funcionar.

    "no entanto, nada nos garante que o que eu escrever lá não seja posteriormente apagado ou alterado."

    Pois não. Graças a Deus, os artigos da Wikipédia existem para isso mesmo: para serem modificados. Um texto fixo é um texto morto (na Wikipédia, claro). Se alguém modificar o que o Gonçalo escrever (ainda mais indicando fontes bibliográficas credíveis), terá de justificar essas alterações se alguém (como o próprio Gonçalo) pedir essa justificação. Claro que poderá entrar numa disputa com outra pessoa que tenha uma opinião diversa, mas é exactamente a procura de um consenso que move a Wikipédia. E é essa a sua vantagem em relação a Enciclopédias normais, escritas por especialistas.

    "Apesar de reconhecer que a Wikipédia concentra um enorme volume de informações, e de por vezes recorrer a ela, não concordo muito com o sistema de "enciclopédia livre"."

    É pena. Creio que é apenas por (ainda) não entender o conceito.

    "Penso que os artigos deviam ser redigidos, ou pelo menos corrigidos, por especialistas das várias matérias,"

    Se assim fosse, a Wikipédia teria meia dúzia de artigos, todos eles parciais, segundo a óptica dos especialistas. Não é esse o objectivo da Wikipédia. Os textos da Wikipédia estão e estarão sempre a pedir para serem modificados e discutidos. São textos a pedirem para ser lidos com desconfiança. Ler a Wikipédia (sabendo o que se está a fazer) é exercitar o sentido crítico. O Gonçalo já o faz quando aponta erros ao artigo em questão, é certo, mas é importante alargar essa desconfiança a mais pessoas. O post que escreveu vai exactamente de encontro ao espírito wikipedista, só é pena que não transmita a ideia essencial em relação à Wikipédia: o importante não são os textos, mas a sua história (pode aceder a todas as versões dos artigos numa aba própria e compará-las) e as discussões que foram feitas ao longo do tempo. Assim, até pode ser que as suas contribuições acabem por desaparecer do texto final, mas perdurarão as versões antigas do artigo que poderão ser acedidas por alguém que queira entender o artigo de uma forma diacrónica (é algo que aconselho a todos: usar o histórico dos artigos, ainda que possa haver um choque inicial ao depararem-se com algumas absurdidades) - e, acima de tudo, sempre poderá chegar a altura em que alguém verá que as contribuições do Gonçalo estavam mais acertadas e volte a colocar o texto. Isso é fascinante (mas isso sou eu a falar). Há ainda a discussão dos artigos onde poderá colocar as suas críticas e discutir com algum utilizador que não concorde com as suas contribuições, de modo a tentarem chegar a um consenso.

    "garantindo assim a qualidade das informações publicadas."

    O importante não é a qualidade das informações veiculadas (isso é importante para outros meios de comunicação, não para a Wikipédia), mas o processo de construção dos artigos. A discussão, na Wikipédia, é mais importante que o artigo em si. Esse tem valor como objecto que se procura aperfeiçoar sempre mais, questionando-se sempre o seu estado actual. Para isso é preciso que as pessoas aceitem discutir e aceitem que as suas "verdades" sejam postas em causa. O grande valor da Wikipédia está mesmo nessa procura da melhor apresentação dos factos, de um modo que seja aceite por todos (é utópico? claro que sim. Mas no melhor dos sentidos da palavra utopia.). Claro que se quer assinar o artigo no final, a Wikipédia não é o melhor local. Mas digo que é, de facto, pena que as pessoas não entendam como seria vantajoso para todos aceitarem participar na Wikipédia ouvindo os outros que não pensam como nós e discutindo com eles (e aceitando as regras de funcionamento: coisa que a maioria dos intelectuais não aceita, porque não admite que alguém que sabe menos que ele sobre um assunto - mas que sabe mais do que ele sobre o que é a Wikipédia - lhe diga o que é aceitável ou não num artigo de uma "enciclopédia livre").

    "No entanto, e seguindo a vossa sugestão, vou tentar contribuir para a redacção deste artigo."

    Bravo!... mas tendo em conta o que escreve neste comentário, temo o pior... Temo que entre em choque com algum utilizador da Wikipédia e que confunda esse utilizador da Wikipédia com a própria Wikipédia. Convém entender que o importante não é ganhar uma batalha ("é um castro"... "não é um castro" mas: "o autor X diz que é um castro, sem fundamentar a sua afirmação, já que os castros são Y" - por exemplo.

    "Já agora, eu não tenho um especial entendimento na questão da fundação de Bracara, apenas me vou informando nas publicações recentes."

    Quem contribui para a Wikipédia não são especialistas - geralmente são até pessoas com grandes falhas e lacunas a nível intelectual e cultural. Se o Gonçalo é uma pessoa "apenas" bem informada, já está numa posição bem acima do normal contribuidor da Wikipédia. De facto, se verificar bem, o espantoso é como a Wikipédia tem tanta informação de valor (mesmo com falhas graves - se olharmos para os artigos como produtos finais) sendo feita por pessoas tão vulgares e pouco informadas - e mesmo mal intencionadas... é porque há, de facto, motivos para crer num novo paradigma.

    Abraços.

    Manuel Anastácio
    (http://literaturas.blogs.sapo.pt)

    ResponderEliminar

Antes de comentar leia sobre a nossa Política de Comentários.

"Mi vida en tus manos", um filme de Nuno Beato

Pesquisar no Avenida Central




Subscreva os Nossos Conteúdos
por Correio Electrónico


Contadores