A Barbearia Mais Antiga de Braga

| Partilhar
Barbearia I
© Maar

Carla Pessoa, no blogue Pozinhos de Perlimpimpim, retoma a questão da morte da barbearia mais antiga de Braga. Património de altíssimo interesse cultural, histórico e arquitectónica, a barbearia está à mercê das decisões da autarquia. Tal como escreve, «a Câmara Municipal de Braga, governada há mais de 30 anos por Francisco Mesquita Machado, não se tem pronunciado mas é a única entidade que pode fazer alguma coisa para salvar este riquíssimo património.»

Há interesses imobiliários para aquele local? Então encomendem o requiem para mais este pedaço da Braga antiga e colectiva de que todos gostamos...

10 comentários:

  1. Será que cabe aqui dentro um shopping?
    Se sim, o espaço está a salvo: preserva-se-lhe o nome
    E passa a ser "Shopping Barba e Cabelo"...

    ResponderEliminar
  2. Mesmo ao lado, no edifício onde funcionou até há bem pouco tempo o Sindicdo do Comércio, existe utra relíquia condenada à mesma sentença: o Salão Egípcio.
    Consta que estes edifícios vão dar lugar a uma galeria comercial com vista para o jardim de Santa Bárbara...
    A ver vamos.

    ResponderEliminar
  3. É... são as virtudes e os defeitos da iniciativa privada. Mas eu prefiro.

    ResponderEliminar
  4. A iniciativa privada (em Braga, pelo menos) encarrega-se de fazer aquilo que o poder público se encarrega de permitir.
    Continuemos a saga: venda-se o solo, o subsolo e o super-solo de Braga.
    Se não dá lucro, não tem interesse.

    ResponderEliminar
  5. Barbearia histórica e situada numa das mais antigas Ruas da cidade, será moderno destruir um tal património?Aos poucos o interesse económico impõe a regra da modernidade...valorizar espaços na procura do lucro.

    ResponderEliminar
  6. Da Braga em que cresci já muito se perdeu. É nestas alturas que recordo uma conversa com o Sr. Cruz da antiga Livraria Cruz. Quando se trata do comércio tradicional há sempre uma massa de falsos nostálgicos com as facturas dos hiper nos bolsos. É que esta questão possui dois problemas distintos o do património da barbearia e o da barbearia. E o da barbearia só se resolve com clientes. De certa forma esta barbearia não é mais do que metáfora da morte de uma cidade de ruas e de pessoas. Só que o processo não começou aqui.

    ResponderEliminar
  7. Olá Pedro,

    Interessa manter o tema tal como a chama ... Bem aceso!

    Bem-haja a todos!

    Carla Pessoa

    ResponderEliminar
  8. Está na consciência de cada um fazer o que sente que é certo, por isso na minha consciência acho que temos o dever de agir e tentar preservar todo o património que ainda existe, para que as gerações seguintes consigam ter alguma herança cultural e alguns valores por mais básicos que sejam.
    Está mesmo nas nossas mãos tentarmos fazer alguma coisa pelo que é nosso e deixar de criticar e dizer mal de tudo o que é nosso, e ao contrário do que já foi dito aqui, não são os hipermercados nem os grandes grupos económicos nem o poder privado que criam estas situações, somos mesmo nós com a nossa mesquinhez portuguesa e com muita falta de princípios.
    Pessoas como estas que tomam a iniciativa de nos seus blogues discutirem estes assuntos que dizem respeito a todos nós, são dignos de todo o respeito e consideração possíveis.
    Deixo aqui o meu profundo apoio.

    Cumprimentos a todos.

    ResponderEliminar
  9. venho por este meio mostrar a minha tristeza se a Barbearia que era di meu avô, e agora onde trabalha o meu tio fechar, é uma vergonha ter uma coisa tao bonita e que cada vez se vê menos desaparecer.
    Espero que isso nunca aconteça pois aquela barbearia tem muita história para contar.

    ResponderEliminar

Antes de comentar leia sobre a nossa Política de Comentários.

"Mi vida en tus manos", um filme de Nuno Beato

Pesquisar no Avenida Central




Subscreva os Nossos Conteúdos
por Correio Electrónico


Contadores