A Agere e o Lixo

| Partilhar
Suponho que, enquanto não aparecer uma alma muitíssimo caridosa possuindo um razoável talento para o desenho, a cidade de Braga continuará com o aspecto imundo que, em certos sítios e frequentemente, tem. Só alguém com muita paciência e abundantes dotes pedagógicos tornaria impossível que os senhores que mandam na Agere não entendessem algo básico: os caixotes do lixo que penduraram em diversos postes da cidade são de péssima qualidade, o que faz com que se abram tão-somente porque não suportam o peso do lixo, como muita gente já teve oportunidade de reparar, às vezes, se assim se pode dizer, sem proveitosas consequências.

Que o diga o rapazinho que, há não muito tempo, seguia à minha frente na Avenida Central. Em vez de atirar para o chão uma pequena garrafa de um refrigerante, bem-educado, resolveu colocá-la num caixote do lixo. Resultado: a mãe deu-lhe um estalo. A senhora caminhava à frente do miúdo e, quando ouviu o barulho provocado pelo lixo que caiu ao chão, olhou para trás e, vendo o filho junto do sítio da ocorrência, julgou que ele era o seu voluntário causador. Não era.

O fundo dos caixotes do lixo abre-se, vale a pena repeti-lo, apenas porque não suporta o peso de certos objectos aí depositados. Não é, pois, necessário a acção de qualquer vândalo para que haja continuamente lixo espalhado pelo chão da cidade. A Agere encarrega-se de usar o dinheiro dos bracarenses para comprar estes singulares objectos que, por si só, garantem uma sujidade permanente. Se uma alma caridosa e com habilidade para o desenho aparecesse, ficar-se-ia, pelo menos, a saber que os senhores da Agere adquirem os caixotes do lixo bem sabendo que são eles próprios (os caixotes, claro) que deviam ir para o lixo.

2 comentários:

  1. Bom, este é um assunto sobre o qual penso muitas vezes. Esses ditos caixotes do lixo, para além de serem verdadeiramente horríveis, grande parte das vezes "lixam" tudo.

    De vez em quando, acontece que alguém se lembra de queimar um destes caixotes (que são de um plástico verde lindo de morrer).

    Naturalmente que não concordo com este tipo de acções (vandalismo, por assim dizer), mas às vezes apetece mesmo acertar umas contas com estes caixotes de lixo... incompetentes na sua função. Ou com quem é responsável por eles.

    ResponderEliminar
  2. Bastava a esses senhores passear um pouco por outras cidades. Por exemplo em Barcelona os caixotes são bem largos, não estas porcarias verdes com uma pequeníssima abertura, e abundam.
    Tentem vislumbrar caixotes do lixo nas redondezas da Universidade do Minho.
    ALiás, basta ver o esterco terceiro-mundista que se instala no Macdonalds ali perto.
    Junta-se a pouca educação e sermos (serem!) pouco civilizados com a ausência de caixotes do lixo e é ver belos espectáculos de caixotes, copos, guardanapos, restos de batatas fritas, tudo estendido pelo chão! É lindo! Então ao domingo, pelas 22h, passem lá...

    Às vezes pergunto-me se os responsáveis por esta cidade vivem nela. Se andam pelas suas ruas.
    3º mundo junto ao que ser quer de 1º: UM, futuro INL... que bela imagem.

    ResponderEliminar

Antes de comentar leia sobre a nossa Política de Comentários.

"Mi vida en tus manos", um filme de Nuno Beato

Pesquisar no Avenida Central




Subscreva os Nossos Conteúdos
por Correio Electrónico


Contadores