Minho: Politicamente Abaixo de Zero (III)

| Partilhar
O Bloco de Esquerda anunciou que vai chamar Mário Lino ao Parlamento para explicar a injustiça causada pelo congelamento dos passes sociais apenas nas regiões de Lisboa e do Porto. O Governo vai explicando que «quanto aos passes de outros municípios [fora de Lisboa e Porto], são da responsabiliade destes municípios. Estamos dispostos a reforçar as ajudas que lhes prestamos, pois já os ajudamos em várias áreas, como nos transportes (...) e na bilhética

Seja como for, a verdade é uma: não se justifica continuar a financiar os transportes de Lisboa e do Porto à margem do que sucede no resto do país. Mas sobre isto, nem uma palavra dos centralistas de Lisboa e dos regionalistas do Porto. Infelizmente.

12 comentários:

  1. «A Câmara de Braga vai suportar um aumento de seis por cento dos passes sociais nos Transportes Urbanos de Braga, já que o Governo apenas congelou os de Lisboa e do Porto, disse, hoje, o seu Presidente.
    "Quero manifestar o meu desagrado pelo que ouvi ser anunciado, que o Governo não iria aumentar os passes sociais do Porto e Lisboa. Há uma injustiça no tratamento dos portugueses", declarou.
    O autarca falava aos jornalistas nos Paços do Concelho, no final da reunião do Executivo.

    Para o autarca socialista, "em termos de política de transportes temos portugueses de primeira, que são os de Lisboa e do Porto, e os outros, os de segunda".
    "Não vou deixar que, por um tratamento desigual do Governo, os bracarenses tenham um aumento dos passes sociais, mesmo que o Governo não nos compense deste aumento de custos dos combustíveis", declarou.
    Mesquita Machado garantiu que "a Câmara irá fazer um esforço financeiro e não irá aumentar os preços dos passes sociais este ano, compensando a empresa municipal dos Transportes Urbanos pelo diferencial de custos derivados do aumento do gasóleo"».

    © 2008 LUSA - Agência de Notícias de Portugal, S.A

    ResponderEliminar
  2. Lol. Maioritariamente os de Lisboa e os do Porto só se interessam por eles próprios. E quando falam do que não é deles é para proveito próprio.

    ResponderEliminar
  3. Não enfio o carapuço, Pedro:

    https://www.blogger.com/comment.g?blogID=6555611667510440690&postID=5117316387330361469

    ResponderEliminar
  4. o costume: a desonestidade intelectual do senhor morgado.

    ResponderEliminar
  5. Sempre a mesma mer**! Lisboa e Porto... o resto parece paisagem! Eu como minhoto juntava-e à Galiza e mandava-os comer tripas com alface...

    Independência do minho e já!!!

    ResponderEliminar
  6. Esqueci-me de dizer que há mais Portugal para lá de Lisboa e do Porto.

    ResponderEliminar
  7. Caro Bracarense

    Os portugueses de Braga não são de segunda categoria, são de terceira, porque de segunda são os do Porto; de primeira são apenas os de Lisboa e nós, os bragançanos, somos o refugo.

    Peço desculpa pela brevidade do comentário, mas como não sou funcionário público, não tenho dia e noite para estar blogar.

    Muito obrigado!

    J. Tomás

    ResponderEliminar
  8. Eu sou do Porto e defendo a regionalização autónoma.
    Para que não digam que ninguem no Porto está contra isto sugiro que leiam este artigo do meu blogue:

    http://gentesdonorte.blogspot.com/2008/05/o-principe-e-os-passes-sociais.html

    Sinceramente não entendo a atitude que tentam fazer prevalecer neste blogue. Esta medida não é boa para o Porto, muito pelo contrário, e basta pensar um pouco para perceber porque.

    Que pretendem os Bracarenses daqui? Ficar sós contra tudo e todos? Agora os do Porto são centralistas??!?!? Devem estar a gozar. Vamos tambem falar da Braga centralista, que no seu concelho tem "aldeias" que estão completamente subdesenvolvidas relativamente a Braga?!?!!
    São essas atitudes que fazzem com que muitos guimaranenses que conheço estejam muito mais virados para o POrto que para Braga por isso tenham juízo.

    ResponderEliminar
  9. Perdão, escrevi conselho e deveria ter escrito distrito

    ResponderEliminar
  10. O problema não deve ser relativizado a Distritos.As realidades é que demonstram os problemas existentes e porventura a desigualdade de tratamentos.Nada de regionalismos excessivos.Lisboa e Porto é uma realidade o resto do País outra, a partir daí cada um tire as ilações e conclusões que entenda.

    ResponderEliminar
  11. Quando não é Lisboa, é Porto... Enfim!

    ResponderEliminar
  12. Não é verdade. Como pode ver aqui, na questão 25, há quem no Porto (neste caso no PSD) se revolte contra os privilégios atribuidos a Lisboa e Porto:

    http://portolaranja.blogspot.com/2008/05/liderana-do-psd-as-questes-que.html

    ResponderEliminar

Antes de comentar leia sobre a nossa Política de Comentários.

"Mi vida en tus manos", um filme de Nuno Beato

Pesquisar no Avenida Central




Subscreva os Nossos Conteúdos
por Correio Electrónico


Contadores