A «Média Europeia» Quando Convém...

| Partilhar
O Ministro da Economia diz que o preço dos combustíveis em Portugal está próximo da média europeia. Pena que os salários dos portugueses estejam tão longe dessa mesma média...

13 comentários:

  1. O mesmo pensamento que também me ocorreu...
    Era tão bom os salários também estarem pelo menos na média da UE

    ResponderEliminar
  2. Este ministro é um espanto.Até se dá ao luxo de gozar com os Portugueses.

    ResponderEliminar
  3. Bem pior que os comentários de Manuel Pinho sobre este assunto, são os comentários dos candidatos à liderança do PSD, que diga-se em abono da verdade, foi o partido que liberalizou os preços dos produtos petrolíferos para "haver maior concorrência".

    Também o PSD tem culpas no cartório no que toca à remuneração dos portugueses e no modelo de desenvolvimento económico adoptado, assente na baixa qualificação e remuneração dos trabalhadores, e nos salários principescos dos gestores, esses sim, muito acima da média europeia.

    Olhando com olhos de ver, PS e PSD, assemelham-se a Dupont e Dupond.

    ResponderEliminar
  4. O facto do preço da gasolina ser praticamente o mesmo em toda a europa é normalíssimo. O petróleo é um bem importado que é vendido a todos - sejam eles portugueses, belgas ou chineses - ao mesmo preço. Já os salários dependem acima de tudo da produtividade. Como a produtividade da economia portuguesa é baixa os salários têm que ser logicamente baixos. Qualquer outra analogia é demagógica.
    Em vez de se chorarem tanto comecem por ser mais produtivos. Por exemplo: gastem menos gasolina e façam mais trabalho com ela. Em vez de andarem sozinhos nos vossos lindos popós andem, por exemplo, com mais 3 pessoas. É mais produtivo (transportam 4 pessoas em vez de uma) e gastam menos gasolina (um carro gasta menos que 4). Sejam PRODUTIVOS. Se optarem pelos transportes públicos ainda melhor.

    ResponderEliminar
  5. Mais um que fala, fala e diz nada. Afinal vivemos onde? Quem tem responsabilidades politicas, que decorrem do voto e dum programa? Então onde estão as respostas aos problemas? Vá lá façam coisa que se veja e parem de se desresponsabilizar.Ninguém acusou ninguém, mas precisamos os nossos eleitos apresentem soluções, porque acreditem os problemas sabemos à muito existem.Falem um pouco menos e por favor façam muito mais.Não permitam que o País tenha gente com fome, não aceitem serenamente o desemprego, não atirem a toalha ao chão e ponham os nossos solos a produzir, apostem na Agricultura, nas pequenas e médias Empresas, na Saúde, no apoio aos idosos, nos serviços Públicos...enfim ponham o País a produzir e ocupem o povo.Será pedir muito? Não porque vocês políticos sempre prometeram muito mais.Parem para reflectir na opinião Internacional, sobre a nossa pobreza.

    ResponderEliminar
  6. Falar de MÉDIA, quando em 27 estamos abaixo, muito abaixo do meio da tabela, parece ridiculo.SEjamos coerentes e aceitemos a realidade, somos hoje o que Anos atrás escreveu um poeta, "pequenos, pobres e incultos" acrescento mas vaIDOSOS E CONVENCIDOS.Onde se viu falar em grandes eventos e ter FOME no país? Onde se viu protagonismo e mediatismo diário na Imprensa e um POVO na MISÉRIA? Afinal o que prometem para o PAÍS? O caos desorganizado, ou o regresso ás senhas, ao compadrio, à exploração ou mesmo à limitação de Direitos cívicos? Para aí caminhamos à velocidade do TGV por enquanto.

    ResponderEliminar
  7. Falam em Direitos e Igualdade...Pergunto de quem e em relação a quem? Falar nas Empresas, nos Jornais e qualquer dia em Público...sem censura já é coisa rara.Dúvidam...olhem em volta e reflitam sobre o que vai sendo escrito...vejam como se pode ser despedido ou mesmo o que dá origem a um Processo disciplinar, vejam o poder dos que têm poder e depois, comparem os direitos do cidadão.

    ResponderEliminar
  8. Cromos do Ai e tal...26 de maio de 2008 às 19:08

    E só politicos da treta portugueses da treta tanta...Se há tanta gente tão inteligente o que estão aqui a fazer façam algo de produtivo para o nosso país...ignorantes que só sabem opinar contra o pobre a culpa é sempre do desgraçado. Limpem a boca antes de falarem daqueles que faem alguma coisa neste país. Cromos!!

    ResponderEliminar
  9. Pedro Romano uuuuuuuu!!!!onde está?

    ResponderEliminar
  10. Parece a doença é grave, temos doentes dos partidos do poder...com mau perder.Alguém hoje tem descaramento para dizxer o País está bem? Sejamos honestos isto está perto do caos.Alguns porque têm salários garantidos ou taxos certos, não querem ver e ouvir verdades.Não brinquem com os pobres...eles, nós somos a verdadeira maioria.Desculpem-me os funcionários públicos honestos e são por certo a maioria, mas pensem nos que vivem com reformas e pensões abaixo dos 600E? São milhões.Isto está mal e vai piorar com mentalidades tacanhas, clubistas...que vivem apenas a cor do partido.Estranha doença esta que se transferiu, ao que parece, do Futebol para a política.

    ResponderEliminar
  11. Andamos a olhar para os partidos Ploliticos, como algo de imprescindivel e depois surgem fundamentalistas cegos que se sentem ofendidos quando alguém ousa dizer aquilo que só não vê quem não quer...tudo ou quase tudo que demal ocorreu nas últimas décadas, são resultado de opções erradas e teimosias politicas dos principais partidos.Pagamos hoje a factura.Lamento tantos "seguidores" de lideres que nos levaram à situação actual.É crise a mais...no tempo...nas esperanças e no futuro.Olhem e vejam, temos hoje FOME EM PORTUGAL, pessoas que passam sem uma refeição.Devíamos ter vergonha de falar em politica.

    ResponderEliminar
  12. Salários e reformas! Então não é que o poder de compra dos pensionistas caiu quase 30 por cento nos últimos 10 Anos!Comparem apenas os preços do Pão, leite, transportes, café, rendas de casa, Luz e água com as pensões abaioxo dos 1000E!Já não falo nos combustíveis porque é aconselhável os Reformados andarem a pé.Têm tempo.Claro que quem recebe salários ou reformas elevadas, chama a isto populismo e dôr de cotovêlo, porque para eles tudo é barato e até acham bem as desigualdades, a ponto de dizerem, com algum laconismo..."aprendam a viver com pouco, só compro quando posso".

    ResponderEliminar
  13. Última hora...diz-se que os nossos Politicos, num acto de solidariedade que lhes fica bem, perante os problemas sociais do País, estudam a hipótese de ainda no corrente Ano abdicarem de uma parte do Salário e ainda dos subsidios de férias, para demonstrarem estão com o POVO.A ser verdade, devemos congratolarmo-nos, por iniciativa inédita e merecedora de elogios e gratidão.Ainda bem que compreendem o povo e estão ao seu lado.Aguardo a confirmação do que se diz por aí. porque sinceramente fiquei com dúbidas.

    ResponderEliminar

Antes de comentar leia sobre a nossa Política de Comentários.

"Mi vida en tus manos", um filme de Nuno Beato

Pesquisar no Avenida Central




Subscreva os Nossos Conteúdos
por Correio Electrónico


Contadores