Há Circo no Theatro?

| Partilhar
Diz-se em surdina que Paulo Brandão vai sair do Theatro Circo. Se acontecer, o discurso oficial depressa se encarregará de transformar o bestial em besta, Braga perderá o melhor programador nacional e voltará à penumbra cultural dos últimos anos.

Numa entrevista ao jornal O Balcão, Adolfo Luxúria Canibal assume com desassombro o que há muito se vai dizendo em surdina, acusando directamente Rui Madeira, administrador do Theatro Circo e director da Companhia de Teatro de Braga, de estar à espera do «poleiro» e de receber «um salário que é o dobro do salário médio nacional

Ora leiam com muita atenção: «E chegamos a uma fase actual que é gritante. O TC tem um programador que não programa porque não o deixam programar. O TC despede ou tenta despedir todos os funcionários que tem a trabalhar que faziam um trabalho interessante e importante para que a casa mantivesse os niveis de qualidade que nos habituou nos primeiros seis meses com a desculpa de que se vai tornar mais barato baixando a programação e contratando serviços a privados, fora do TC, que é muito estranho, e alegando que está sem capacidade financeira para fazer a gestão do espaço.
Na altura da abertura subscrevi uma carta dirigida ao Presidente da Câmara dando os parabéns pela aposta que me parecia ganha e tanto quanto sei a casa nesses primeiros seis meses não deu prejuizo. Se dá prejuizo é porventura depois da desacelaração da programação e da interferência da Administração na programação. Nós chegamos a caricaturas de vermos o mês de Março, por exemplo, em que o programador não tem um único espectáculo programado por ele, são todos programados pela Administração do TC. Se é a Administração que manda e programa para que é que querem um programador?
»

13 comentários:

  1. a entrevista do adolfo luxúria no balcão desta semana diz muita coisa... pena é que não se faça nada. e se calhar o que ele vem fazer com a entrevista é tentar que o paulo brandão desista dessa ideia...

    ResponderEliminar
  2. sobre este ass: ver o farricoco com informação adicional

    ResponderEliminar
  3. «um salário que é o dobro do salário médio nacional.» O dobro do salário medio nacional é pouco para o cargo! A grande questão é s o Rui Madeira é competente ou não!

    ResponderEliminar
  4. O Brandão vai para a Casa da Música? E o gajo da casa da música que venha para o Theatro Circo? Se for acaso, até se devia pagar para o virem buscar. Não é que seja assim má a agenda do Theatro... mas a Casa da Música tem tido vida... Principalmente com os Clubbings mensais... Que são só a melhor iniciativa a nível cultural - para jovens até 25-30, convém frisar - de que há memória.

    ResponderEliminar
  5. Pois é... jls. De facto, a Casa da Música tem sido excepcional em programação. Pena é que, em Braga, experiências do género no Teatro Circo não tenham tido o mesmo sucesso imediato... e não foi por falta de capacidade do Paulo Brandão. Apenas cito como exemplo o Festival de Musica Electrónica - ou coisa parecida - há alguns meses atrás. Estive lá e, para além de mim, estavam apenas uma dúzia, se tanto. Quanto ao "zum-zum" da tentativa de "correrem" com o MELHOR-PROGRAMADOR-QUE-BRAGA-JAMAIS-TEVE, apetece dizer que já começa a ser um péssimo hábito. Há um ano aconteceu o mesmo e correu mesmo um abaixo-assinado pela cidade para impedir que os "abutres" saltassem para a carne fresca e apetecível chamada "Theatro Circo". O ciclo da estória repete-se, e os protagonistas são os mesmos... Deixem o HOMEM - Paulo Brandão - trabalhar em paz... E metam a inveja na viola do saco.

    ResponderEliminar
  6. Admiro o Luxuria por ainda não ter desistido de Braga. Por não se ter vendido como o seu colega de banda que agora até director de serviços na Camara mais suspeita do país.

    Braga é definitivamente um caso perdido. Faz bem o Paulo Brandão em sair de Braga pois aqui não há espaço para alguém talentoso e competente.

    Tragam logo os Malucos do Riso e o Toni Carreira para o Teatro do Circo. Que tristeza....

    ResponderEliminar
  7. Então foram buscar o homem à Casa das Artes e agora podem deixa-lo regressar a Famalicão?

    Que o deixem ir.

    E que continue a desenvolver o trabalho que lá sabia fazer tão bem.

    Para mim, Famalicão, Braga ou Guimarães, tanto faz - vou quando entender que devo ir.

    Quanto ao Theatro Circo, pelo que costa, parece que a mediocridade crónica continua instalada.

    ResponderEliminar
  8. o director da Companhia de Teatro de Braga,aterrou de pára-quedas nas terras bracaras e é um grande "artista".Tudo o resto são invejas..................

    ResponderEliminar
  9. JLS falas do que não sabes! Capacidade e entendimento é o que não falta, faltam é meios. Há! Foste ao Theatro Circo ver algum dos eventos de música electrónica que lá aconteceram?

    ResponderEliminar
  10. Esse Rui Madeira é contestado por todos. Nunca escutei alguém elogiar esse homem. No que se refere ao seu trabalho considero-o um pouco além do medíocre. Quer como pessoa que como profissional em nada se destaca. Nem os próprios atores da CTB o suportam.

    Alguém me consegue explicar porque ainda ninguém correu com esse gajo? Qual a razão para ele ainda se manter naquele lugar? Por favor expliquem pois não consigo mesmo entender...

    ResponderEliminar
  11. Anda tudo cego: o problema não é o Madeira, é da invejosa da vereadora Ildinha que manda no Madeira e ele vai-se aproveitando dela. Quanto ao Brandão é um grande nabo, pois devia era demitir-se.

    ResponderEliminar
  12. Por acaso acho que Paulo Brandão não deveria ganhar tanto como ganha nem devia ter um orçamento com o que tem ou teve , pelo menos no 1º ano...

    Ter uma boa programação não é ter sempre espectáculos sejam eles quias forem nem hà orçamentos individuais que resistam apesar de em Braga haver muita pequena burguesia...

    Quanto ao Rui Madeira, sinceramente gostei dele nos primeiros anos de Braga quando fazia ainda sessões/debates culturais na Casa Nogueira da Silva...

    Depois ganhou arrogância e presunção, ao que me dizem sendo, inclusivamente intratável nas relações profissionais.

    Porém parece-me competente nas suas várias áreas de intervenção, acreditando também que haja rivalidade com o Paulo Brandão (dois galos, um no poleiro e outro não...).

    Se perder o feitio de "cidadão que está de mal com a vida" e tornar-se mais tolerante, pode continuar a facturar...

    ResponderEliminar
  13. Meus caros amigos, quer me parecer, que vossas excelências andam muito mal informados e enganados. O que realmente se passa, é que contráriamente ao que é dito, não é Rui Madeira a querer o lugar de Paulo Brandão, pelo contrário, mas sim o referido Luxúria dito canibal, que parece não querer descansar enquanto não o conseguir, denegrindo e não deixando trabalhar, nem Paulo Brandão nem a administração do Theatro Circo. Mas e ainda, não quer chegar ao mesmo e estar sujeito, como o Paulo Brandão a ser dirigido pelo Rui Madeira, que não passa de administrador delegado, sob a direção de um concelho de administração, esse sim de fraca formação cultural.
    Mais, quanto à idolatria que fazem relativa a esse senhor Luxúria, não lhe é devida, e nem vossas excelências vos passa pela cabeça, a bisca que estão a idolatrar. Ainda, acrescento que nunca fui admirador desse sr. Rui Madeira, mas custa-me ver tanta injustiça feita em seu nome, mas é o que se passa quando se tem que dar a cara por outros. E mais não digo.

    ResponderEliminar

Antes de comentar leia sobre a nossa Política de Comentários.

"Mi vida en tus manos", um filme de Nuno Beato

Pesquisar no Avenida Central




Subscreva os Nossos Conteúdos
por Correio Electrónico


Contadores