Georden: A Propósito dos Transportes Públicos de Braga

| Partilhar
«Uma possibilidade seria também o eléctrico ou o metro de superfície, mas tal deveria ter sido levado em conta aquando da pedonização alargada e mal estruturada de parte importante do centro (mas poderá afigurar-se como alternativa se não pensado como projecto turístico ou pseudo saudosista), e do sistema de transportes que não foi programado para funcionar, em termos práticos, como transporte público. Os problemas não são de hoje, reflectem uma ideia errada de crescimento da cidade que já tem quatro décadas mas que agora se agudizou.

Na realidade nós sabemos que o transporte público em Braga é cogitado em termos sociais e vai de encontro à máxima portuguesas de que quem não tem carro caça com BUS. Ainda é um mini tabu andar de Bus. Coisa de velhotes, alguns estudantes e…pobres. E assim o pensam técnicos e sobretudo o poder político, que, obviamente não os utiliza. Antes de pedirmos a redução da viagem Porto/Braga de comboio para 40 minutos deveríamos reflectir nestes 45, a carvão.»

Versão Integral de Leitura Obrigatória.

20 comentários:

  1. Concordo plenamente.A cidade carece de alterações profundas rumo à evolução dos transportes dentro dela.Necessitamos dum poder autárquico com visão para o futuro e que tenha presente essa realidade que são o tipo de clientes.É evidente quem não circula de carro raramente faz parte dos planos de mobilidade na cidade e redondezas, só assim se explica a precaridade dos serviços de transportes em Braga, mesmo depois de 33 Anos de progresso e ajudas económicas.Braga é cidade parada nesta matéria, porque os seus políticos não viajam nos transportes públicos que é coisa para o povo.

    ResponderEliminar
  2. Braga é muito mas muito parola. Não existe coisa mais provinciana do que aqueles que andam de carro por acharem que os autocarros são coisa para pobres e para velhos. Quando nas principais cidades do mundo o luxo é não se precisar de carro.

    Mas em Braga a parolada ainda continua a pegar no carro para andar uma avenida e para estacioná-lo em segunda fila.

    O problema maior é que quem vem para aqui escrever e criticar o estado das coisas também não prescinde do seu carrinho para ir para o trabalho, universidade, café, shopping, super mercado etc Quando poderiam perfeitamente ir de autocarro ou até a pé.

    Por que não começamos a mudar isto? É que falar é muito fácil....

    ResponderEliminar
  3. Tens toda a razão. Até porque isso só se passa em Braga, o resto do país é perfeito, aliás tu, és perfeito, nunca pegaste no carro sem precisares.
    Digo mais: És um ser espectacular !!!!

    ResponderEliminar
  4. Parte do problema resolve-se sem sequer se tocar nos autocarros.
    Que tal multar todos aqueles que estacionam na Rua D. Pedro V que não deviam lá estar? Uma semana de policías a multar, chegaria para ensinar umas coisas a algumas pessoas. E dava-se uso ao reboque da Polícia Municipal.
    Outra solução, é os papás que vão buscar os filhinhos à creche na Rua do Raio, não estacionarem lá o carro, que os vão buscar a pé e estacionem o carro noutro sítio. Mania de parar em 2ª fila ....

    ResponderEliminar
  5. O anónimo das 16:21 é o verdadeiro "chuta para a frente".

    Que me interessa a mim que em outras cidades seja igual ou pior??? O que me interessa é em Braga e é sobre isso que se escreve.

    Por em Famalicão, por exemplo, ser igual ou pior já me deixa mais tranquilo???

    Começa a pensar antes de escrever...

    ResponderEliminar
  6. O problema é dos dois lados, e não apenas d'um.
    Os TUB porque apostam numa filosofia errada, não servindo em grande parte os interesses da população. A população porque tem maus hábitos.
    Mas cabe aos TUB e à CMB alterar a sua filosofia, e fazer uma campanha de sensibilização pela população.
    Uma solução muito simples é por exemplo fazer parques de estacionamento (pago juntamente com o passe) na periferia, e fazer passar por lá os autocarros. Temos que nos lembrar que muita gente vive no concelho de Braga, mas trabalha cá. Outros, apesar de viver no concelho, os TUB não serve inteiramente, porque não é rentável fazer passar autocarros em 20 em 20 mim numa freguesia. É compreensível.
    Se fizerem um parque de estacionamento e uma pequena central em Palmeira, Gualtar/S. Pedro Este, Arcos, Celeirós e Sequeira, e fazer passar por aqui frequentemente autocarros e quem sabe as camionetas, descentralizando a actual central de camionagem em trajectos regionais, a coisa até pegava. E quem sabe, com o sistema a resultar, até já tinham um bom mercado, sem correr riscos, para lançar as linhas do eléctrico (era só interligar estas estações passando pelo centro).
    Basta é ter vontade e engenho!

    ResponderEliminar
  7. E eu queria saber onde é que eu vou estacionar o meu carro se a rua D. Pedro V for só para autocarros. Deviam era fechar a rua aos autocarros que a enchem de fumo o dia todo. Respeitem as pessoas que cá moram

    ResponderEliminar
  8. Já que se fala em transportes, o tema combustiveis vem quase sempre à baila por causa dos preços etc:

    http://sol.sapo.pt/blogs/raiox/archive/2008/02/27/O-pre_E700_o-do-petr_F300_leo.aspx

    Pedro, sugiro uma referência ao post em cima se possível. A análise pode ser subtil mas que é intrigante é...

    ResponderEliminar
  9. http://sol.sapo.pt/blogs/raiox/archive/2008/02/27/
    O-pre_E700_o-do-petr_F300_leo.aspx

    assim está correcto.

    ResponderEliminar
  10. Andar a pé e de transportes públicos foi sempre o meu lema, porém cada um utiliza o que lhe dá mais proveito.Concordo com os que dizem Braga está mal de transportes e pouco evoluiu em 30 Anos, apesar de ser uma cidade em crescimento constante.Soluções dependem apenas da vontade dos políticos, coisa dificil porque não utilizam este tipo de transportes.Assim resta-nos as próximas eleições e uma escolha acertada ou pelo menos com vontade de mudar as situações de caos nos transportes da cidade.Quanto aos estacionamentos, vigora a lei da selva, perante um não te rales de quem devia actuar ou prevenir.

    ResponderEliminar
  11. Comparando, chego de Braga ao Porto em menos de 1 hora e de Braga, estação, a Gualtar em média em 30 minutos e muitas vezes em 50 minutos.Quanto ao preço temos de comparar o preço do comboio e o do Metro, para depois sentir a diferença relativamente aos TUB.Enfim teremos nós cidadãos algum dia tomado posição ou exigido melhores condições de mobilidade na cidade?A culpa não é apenas dos autarcas, somos nós que sabendo eles se esquecem de nós no dia das eleições, continuamos a não pressionar ou mesmo exigir, uma vontade de alternativas aos TUB e aceitamos pagar um transporte que já está ultrapassado na cidade.Estacionamentos, vias de circulação, mudanças, afinal não é competência dos políticos do poder?

    ResponderEliminar
  12. «só assim se explica a precaridade dos serviços de transportes em Braga, mesmo depois de 33 Anos de progresso e ajudas económicas.Braga é cidade parada nesta matéria, porque os seus políticos não viajam nos transportes públicos que é coisa para o povo.»

    Sim, mas está-se a esquecer de uma parte. Não são só "os seus" políticos. Braga, em termos de transporte, não tem as regalias que Porto e Lisboa têm, quanto a comparticipações.

    ResponderEliminar
  13. «E quem sabe, com o sistema a resultar, até já tinham um bom mercado, sem correr riscos, para lançar as linhas do eléctrico (era só interligar estas estações passando pelo centro).»

    Sem concorrência, sem transportes alternativos, sem trajectos alternativos, sem horários alternativos, não me parece que seja assim tão tiro e queda.

    ResponderEliminar
  14. Concordo! A política de transportes e trâsito em Braga não está a defender a Segurança... A Variante de Lamaçães, por exemplo ainda não foi pintada convenientemente
    Abraço

    ResponderEliminar
  15. Neste assunto a culpa deve ser atribuída não só a CMB não só as pessoas que circulam em Braga mas principalmente ao modelo de fenecimento do governo, ou será justo um utilizador dos TUB para percorrer cerca de 7km paga 1.60 num só sentido e os utilizadores do STCP ou da CARRIS paguem 0.90 para fazer talvez ai uns 14km. Como é possível as frotas dos veículos serem tão desiguais em Braga compra-se autocarros supostamente novos já com 10 ou mais anos de utilização no estrangeiro e nestas outras duas a maioria dos autocarros em circulação não terão mais de 5 anos. Entre muitas outras coisas… Eu ate poderia aceitar uma diferenciação devido as diferentes proporções destas cidades em relação ao resto das cidades portuguesas mas a diferença é astronómica e um habitante de Braga desconta tanto como um de Lisboa e do Porto…
    Neste caso estou a referi-me aos TUB e a cidade de Braga mas muitos outros casos iguais ao deste como por exemplo em Coimbra que ao menos mostra bem o seu descontento perante esta descriminação.
    http://www.cm-coimbra.pt/imgs/_index/noticias/transpUrbanosCbr.jpg

    ResponderEliminar
  16. Vou aqui dar um exemplo que penso que poderia dar bons resultados na cidade de Braga.
    Tive a oportunidade de acompanhar o Sporting Clube de BRAGA na sua deslocação a cidade (fantástica e bela) Verona uma cidade muito semelhante em termos de população a cidade de Braga e fiquei muito bem impressionado, o sistema consiste numa espesse de (rede de metro) mas feita em BUS com vários circuitos em que o tempo de espera não ultrapassara os 15 minutos, com paragens nos principais pontos da cidade.
    Fica aqui o mapa dos circuitos: http://www.amt.it/linee_orari/index_lineeOrari.asp

    ResponderEliminar
  17. Anónimo das 19:52

    A minha intenção foi criticar uma afirmação estúpida e desproporcionada no mínimo como é dizer "Braga é muito mas muito parola...". Como se este tipo de situações fosse exclusiva de Braga. Só em Braga é que as pessoas têm este tipo de comportamentos. Este é um problema da sociedade portuguesa como um todo e não de uma comunidade específica.
    Realmente é preciso pensar antes de falar, e lançar cimento para a parede a ver se cola, não será a melhor abordagem, como o Sr. Anónimo(19:52) fez.

    Cumprimentos

    ResponderEliminar
  18. Estou "plenamente" de acordo com tudo o que foi postado atrás! Mais umas achegas.
    Reponham os autocarros em ruas onde agora já é possível estacionar de qualquer maneira (Sto André, S. Gonçalo);
    Ponham mais carreiras para as freguesias periféricas, isso dá votos;
    Que todos os autocarros sejam proibidos de transportar qualquer residente do centro histórico para o resto da cidade (já são);
    Radares de controlo de velocidade às 7 da matina em algumas artérias para apanhar os autocarros aceleras (S. Victor, D. Pedro V);
    Carreiras acompanhadas de polícia municipal para multar criteriosamente os veículos mal estacionados;
    Obrigatoriedade dos vereadores e restante seita só poderem aparecer no trabalho de autocarro;

    Toninho Regadas

    ResponderEliminar
  19. É fácil dizer que é bom viver em Braga, quando no dia a dia não temos problemas de deslocação e o preço do Autocarro ou da gasolina não afecta o nosso orçamento.Lamento algumas verdades continuem a merecer como resposta a ironia em vez do debate sério e preocupado que a situação requer.Enfim não vale a pena falar quando o autismo está instalado e apenas as ideias de uns quantos iluminados prevalecem como indiscutíveis.

    ResponderEliminar
  20. http://www.evora.net/sitee/linha_azul.asp

    eu já ficava contente se Braga não fosse ainda uma das poucas cidades do país que ainda não recolhem e deixam gente na Estação!

    E então se for grátis, ainda melhor!

    DN

    ResponderEliminar

Antes de comentar leia sobre a nossa Política de Comentários.

"Mi vida en tus manos", um filme de Nuno Beato

Pesquisar no Avenida Central




Subscreva os Nossos Conteúdos
por Correio Electrónico


Contadores