Frases que fascinam...

| Partilhar
«Afinal de contas, com esta história do báculo, a Cividade foi falada em todos os órgãos de comunicação social, desde jornais, passando pela rádio, até à televisão.»

Presidente da Junta de Freguesia da Cividade [O Balcão]

12 comentários:

  1. Todo o conteúdo deste jornal brasileiro é uma autêntica piada, mais um exemplar de horrível jornalismo e pior escrita do Português.
    Quanto ao rigor jornalístico, repare-se no seguinte excerto:

    «“Já alertámos a Câmara
    Municipal de Braga no sentido
    de que não se percebe como, sendo
    isto uma propriedade da autarquia,
    nada se fez até agora”, referiu o
    responsável. (...) O Balcão tentou ainda ouvir o executivo
    da Câmara Municipal de Guimarães
    sobre esta questão mas, à
    hora do fecho desta edição, tal não
    tinha sido ainda possível».
    Mas é claro, nenhum elemento do Executivo Municipal de Guimarães, muito menos o Executivo (todos os vereadores), estaria disponível, mesmo que o jornalista tivesse tentado, o que não aconteceu de facto, para falar sobre um caso que, alegadamente, poderá dizer respeito a Braga.
    Apenas um exemplo, mas o bastante para dizer que o autor da peça em causa deveria, no mínimo, regressar já ao primeiro ano do curso universitário... e daqui a uns anos tentar o mercado de trabalho.

    ResponderEliminar
  2. Para que não se confundam a "estórias" que “O Balcão” nos apresenta esta semana, o trecho a que o anónimo se refere diz respeito a uma notícia sobre actos de vandalismo e roubos no Kartódromo de Braga e não ao báculo com formas peculiares.

    Curioso é também notar a criteriosa escolha de algumas expressões no artigo sobre as formas fálicas da estátua de D. João Peculiar. “O assunto está agora nas mãos da Igreja” e “a posição do presidente da Junta de Freguesia não muda” são duas delas.

    De facto, uma leitura do jornal só reforça a tese de que é preciso retirar imediatamente a estátua. A cidade fica perturbada com a presença daquelas formas e perde a capacidade de raciocinar...

    Ou é isso ou um anúncio que este mesmo jornal publicou, pelo menos, na edição de 9 de Novembro: “Rapaz, Braga, 26 anos, porte atlético, bem dotado, atiro com boa penetração”...

    Por favor, não digam mal desta publicação, nem peçam que ela mude. Não contribuam para o fim de alguns momentos lúdicos dos bracarenses...

    ResponderEliminar
  3. A 12 de Agosto, quando no Bracara Angustia divulgámos o post "Que báculo Peculiar, D. Jõao", estavamso longe de imaginar o impacto que veio a ter na comunicação social portuguesa e não só (coincidência? talvez).
    A 27 de Agosto, quando se discutia a paternidade da estátua (uma vez que a placa identificativa do auor tinha sido retirada), escrevemos outro post sobre Raúl Xavier, o suposto escultor autor de tal obra, tal como consta no local.
    Há bem poucos dias e após algumas consultas bibligráficas, verificamos que algo do que nós e outros blogers pensavamos, não batia certo.
    Afinal quem foi o autor da escultura?
    No pedestal tem a inscrição de Raul Xavier. Será verdade?
    Este escultor nasceu em 1894 e morreu em 1964. Será que a estátua esteve guardada nas "catacumbas da sé durante quase quatro décadas".
    Mas reparem bem no estilo. Parece não haver semelhanças entre esta e outra do mesmo autor (pio XII) situada na Srª-a-Branca.
    Outra "canhota" para a fogueira: Estão a ver o arranjo que fizeram no largo da SÉ? Olhem para o mural (parte sul da Sé), reparem nas esculturas que estão fixadas na parede, comparem os estilos e, por fim, tirem as conclusões que quiserem.
    O que é certo é corremos o risco de termos em Braga uma escultura feita "post mortem" do autor.
    um abraço para todos

    ResponderEliminar
  4. Mas ainda se admiram com a cultura que impera por aí? Estamos em Poortugal...

    ResponderEliminar
  5. Cumpra a legislação Sr Presidente da Junta
    3 — Compete à junta de freguesia no âmbito do ordenamento do território e urbanismo:
    a) Participar, nos termos a acordar com a câmara municipal, no processo de elaboração dos planos municipais de ordenamento do território;
    b) Colaborar, nos termos a acordar com a câmara municipal, no inquérito público dos planos municipais do ordenamento do território;
    c) ...
    d) ...
    e) Pronunciar-se sobre projectos de construção e de ocupação da via pública, sempre que tal lhe for requerido pela câmara municipal;
    f) ...

    ResponderEliminar
  6. Propõe-se que o báculo seja incorporado nas armas de braga,como simbolo da vitalidade.

    ResponderEliminar
  7. É verdade, Lois Lane tem razão.
    Não acabem com o Balcão, há tanto tempo que a cidade não tinha um folhetim capaz de colocar os bracarenses às gargalhadas. E pedagocicamente falando é essêncial, um exemplo perfeito do jornalismo que não se deve fazer, para os aprendizes de jornalistas dissecarem nas aulas.
    Mas a dúvida surge sempre, quem é que tem a coragem de aplicar dinheiro num projecto daquela natureza? Mas se querem continuar, pelo menos não menosprezem as pessoas que até se dão ao trabalho de folhear o "jornal" (para ver se anda melhorzinho de saúde) e façam uma revisão atenta dos textos.É que ter que levar com um português que mais perece acabado de sair das dobregens de uma novela mexicana...Ah! E o nome? "O Balcão"???

    ResponderEliminar
  8. pedagocicamente falando é essêncial..., dobregens..., é a escrever assim que nós nos entendemos! realmente... em duas palavras, aqui lhe deixo um aconselho... dicionário / enciclopédia (compre)

    ResponderEliminar
  9. "aconselho" perceberam a ironia?

    ResponderEliminar
  10. A importância que atribuem ás "gafes" deste jornal, são no fundo publicidade gratuita que o mesmo agradece!

    ResponderEliminar
  11. realmente o super "homen" tem uma visão raio-x fantástica e nunca se engana enquanto está a digitar um texto.
    És o meu herói!!!

    ResponderEliminar
  12. Oops, afinal enganei-me. Não é heróico, é irónico.
    À falta de opiniões, vai ficando atento aos erros ortográficos dos outros, tenho a certeza que todos lhe agradecem: eu, o Pedro Morgado, que fica com um blog impecavelmente comentado e as editoras deste país. Tem preferência por alguma?
    Vá, é que sem as suas observações começo a sentir-me desorientado...
    Mas não seja modesto, toda esta demonstração de atenção e perfeccionismo é para ver se arranja trabalhinho n' "O Balcão", não é? Acho muito bem, tem o perfil ideal.

    ResponderEliminar

Antes de comentar leia sobre a nossa Política de Comentários.

"Mi vida en tus manos", um filme de Nuno Beato

Pesquisar no Avenida Central




Subscreva os Nossos Conteúdos
por Correio Electrónico


Contadores