Evidentemente.

| Partilhar


Só por precipitação ou má fé se pode afirmar que deturpei as palavras de alguém. Vejam com os vossos olhos o que está escrito na edição online do Correio do Minho, comparem com a citação que aqui fiz e retirem as conclusões dos ataques, insultos, ameaças e calúnias de que fui alvo.

22 comentários:

  1. Sim, copiaste o que o Correio do Minho diz. Resta saber se essa citação está correcta. Mas uma coisa é certa, os erros da citação original são evidentes. Mas, realmente, até os erros copiaste.

    ResponderEliminar
  2. PS: Tive a ver com mais atenção o resto do artigo... não percebo como é que o CM não contrata alunos do 1º ano da Ciências da Comunicação, com jornalistas assim...

    ResponderEliminar
  3. Pedro, não se deixe intimidar pelas ameaças, calunias ou insultos.... O que verdadeiramente os preocupa não é um mero erro ortográfico ou de sintaxe cometido por um escriba estagiário, mas sim a verdade.
    Os nossos Edis tem pavor a tudo que seja comunicação de grande difusão não controlada. Ficam muito chateados quando alguém tem coragem, como o Pedro a tem de manter um Blog que além de ser um verdadeiro forum de Democracia é um lugar onde se pode denunciar o que verdadeiramente se faz de bem ou de mal nesta nossa cidade. Ora quando os argumentos escasseiam, então recorre-se á calunia e ás ameaças.

    ResponderEliminar
  4. Leio regularmente o Avenida Central e prestei particular atenção aos dois episódios que se passaram entre o autor do blog e o presidente da junta de freguesia de Gualtar.
    No primeiro episódio, porque um cidadão alerta para algumas promessas eleitorais ainda por cumprir, o presidente da junta "sai a terreiro" e, depois de alguns "mimos" linguísticos, arroga-se no direito de convocar o munícipe para estar presente numa reunião na junta de freguesia para aí tecer as críticas que julgasse oportunas. Que arrogância! Quem é o presidente da junta de freguesia para convocar quem quer que seja, apenas porque se vem a público denunciar um conjunto de promessas eleitorais por cumprir?
    No segundo episódio, em que o autor do blog faz referência a uma notícia do jornal o Correio do Minho (transcrita integralmente da versão online, como pude verificar), sobre uma máquina que a Câmara Municipal deveria ter removido da via pública, o presidente da junta profere um violento ataque ao mesmo munícipe, um ataque deselegante, mal educado, que demonstra bem o baixo nível e a falta de polimento de alguns dos nossos autarcas.
    Fiquei perfeitamente estupefacto.
    A confirmar-se que as duas respostas foram escritas pelo presidente da junta (João Nogeuira), o caso merece divulgação de âmbito mais alargado. Não vá amanhã um munícipe tecer um comentário e sujeitar-se a um chorrilho de insultos e à deselegância de quem deveria saber ouvir e ter grandeza de espírito.
    É que, também sou Gualtarense e sinto-me envergonhado.
    E ainda dizem que os pequenos tiranetes já tinham sido aniquilados...


    P.S. - Não me identifico apenas para não correr o risco de também vir ser convocado para uma reunião na junta de freguesia.

    ResponderEliminar
  5. Infelizmente o nível do comentário do senhor presidente da junta de Gualtar, é apenas demonstrativo da ignorância e imbecilidade que vai graçando nas juntas por este país. Um comentário de alguém com responsabilidades nos termos em que é feito e numa caixa de comentários de um blogue, apenas deixa patente o nível da pessoa em causa.

    Definitivamente, os habitantes da dita freguesia, vão ter de começar a ter mais atenção na escolha dos seus eleitos. E se o senhor presidente da junta tiver ainda alguma noção do ridículo não deixará de se penitenciar pela forma algo brejeira como se dirigiu ao autor do blogue.

    E já agora, quero dar os parabéns ao jornalista do CM é que definitivamente, é um erro com muito sentido de humor e que curiosamente, nem eu tinha reparado antes de ver os comentários nas caixas de comentários. EHEHE

    ResponderEliminar
  6. Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

    ResponderEliminar
  7. Caro anónimo (03:07),

    Apaguei o seu comentário, reescrevendo-o sem algumas das referências que fez ao senhor Presidente da Junta.

    Agradeço-lhe todo o apoio manifestado e espero que compreenda a minha decisão.

    PM

    ResponderEliminar
  8. Eu adiro ao seu repto e proponho manifestação pela liberdade de opinião na Assembleia de Freguesia do dia 27! Quem vai?

    ResponderEliminar
  9. Já não é a primeira vez que o digo, Braga ainda não se apercebeu que a ditadura terminou à mais de 30 anos.

    ResponderEliminar
  10. Este episódio demonstra, mais uma vez, que a nível local a política, na sua concepção mais lata, não existe. O que existe, quando muito, é a politiquice.

    As questões são invariavelmente personalizadas e descem ao nível do insulto e das ameaças. Não há debate de ideias e projectos. Há duelos com hora marcada.

    Enquanto os “políticos” - se é que tal se lhes pode chamar - não conseguirem olhar para além do seu umbigo, dificilmente se poderá dizer que estão ao serviço do bem comum, a finalidade para a qual são eleitos.

    ResponderEliminar
  11. Eu acrescentaria "falta de inteligência" à "precipitação ou má fé". Qualquer um com um mínimo da dita concordaria que o seu post inicial até incluía um elogio ao presidente da Junta de Gualtar.
    Enfim.
    Tanto que se podia escrever sobre isto. Mas deixe antes que tamanhos disparates resvalem na couraça da sua indiferença. Ou não.
    Importante será que não se deixe intimidar.
    Ganho cada vez mais vontade de ir à Assembleia de Freguesia de dia 27.
    Encontramo-nos lá?

    Saudações de um gualtarense,
    GS

    ResponderEliminar
  12. O presidente da Junta de Gualtar mostrou que qualquer ignorante que fale alto pode ter sucesso na política. Fico para ver as cenas do próximo capítulo e para ver as desculpas desse dirigente de bairro.

    ResponderEliminar
  13. Não sei quem tem mais culpa (o jornalista, o autarca, o blogger?!

    A mim, não me parece que seja o Pedro Morgado.

    Mas, estranho, este caso está, sem dúvida!

    ResponderEliminar
  14. O Sr. Presidente da Junta, que já foi Vereador, foi eleito. Quer dizer: foi escolhido como o melhor para a função. Ou os outros candidatos eram muito maus ou quem o escolheu estava muito distraído. O problema principal da nossa democracia é a profunda distração dos eleitores

    ResponderEliminar
  15. Quem é o presidente da Junta? É esse tal de João Nogueira? Bem, das duas uma: ou é uma completa besta ou então aquele comentário não foi feito realmente por ele, mas sim por alguém a fazer-se passar por ele. Que tirem conclusões os que o conhecem, que eu não sou nem daí de perto. Mas deve ter sido brincadeira de alguém. Porque se tivesse sido mesmo ele, até o Avelino Ferreira Torres era mais educado.

    ResponderEliminar
  16. Pedro não desistas nem te deixes intimidar pelos novos lacaios.A verdade é como o bom azeite vem sempre ao de cima

    ResponderEliminar
  17. Como se escreve noutro tópico do Blog, "Não estivessemos em Portugal, Não estivessemos em Portugal"

    Viva o Portugal dos pequeninos!!!

    Pedro parabéns pelo Blog.
    Tudo que aqui for escrito, desde que baseado em factos e na verdade (que acredito que sim) não deves deixar passar.

    Feliz Natal a todos.

    ResponderEliminar
  18. Caro Pedro:
    Ataques, insultos, ameaças, calúnias e pior ainda, perseguição profissional, é o tratamento dado pela "entourage" de Mesquita Machado a quem exerce "cidadania incomodativa" (para alguns, claro). O problema é que esta gentinha, sendo mais obediente que inteligente,adere de forma cega às orientações do líder espiritual.
    Não desanime nem tenha medo. Pois sabe muito bem que Mesquita Machado tem pavor da imprensa e é na imprensa que temos a nossa arma poderosa.
    Bom Natal
    RR

    ResponderEliminar
  19. É necessário fazer alguma limpeza no terreno político em Portugal, de forma análoga à que pretendem fazer com as claques de futebol. Uma limpeza democrática, contrariando todos os estratagemas eleitoralistas de muitos politiqueiros que estão no poder. Claro que os politiqueiros locais mais não fazem do que copiar o que vêem fazer aos seus congéneres de âmbito nacional. Estamos a ser governados há trinta anos por políticos dos maiores partidos portugueses e vejam como tudo fazem para que acreditemos na competência, rigor e seriedade que não têm. Até parece que não são eles os maiores responsáveis pelos lugares cimeiros que Portugal ocupa na tabela do que é mais negativo a nível europeu.
    O presidente da junta de Gualtar apenas corporiza este papel no seu pelouro. Dócil e prestável no período de campanha, felino no momento da prestação de contas. Vejam como se incomoda com as verdades (o que vi denunciar são apenas factos) e como tenta intimidar e aniquilar (recorrendo ao insulto e à ameaça, fazendo lembrar outros tempos) as vozes que denunciam a sua incompetência ou discordam das políticas de subserviência instaladas. A linguagem e a forma insultuosa como este indivíduo se dirige a um cidadão não é própria do léxico autárquico, nem democrático. Uma postura ainda mais lamentável quando proveniente de um ex-vereador da Câmara Municipal que teve a seu cargo, pasme-se, o pelouro da educação (já se esqueceram?).
    Força Pedro. Não se deixe intimidar. É preciso denunciar e desmascarar estes impostores. Como é Natal não seria pior oferecer um espelho ao senhor presidente da junta para ver a figura que vai fazendo como “autarca”. Concordo com o repto de alguns munícipes participarem na assembleia de freguesia no dia 27. Sobretudo se isso servir para explicar a esse senhor o que é democracia, cidadania e civismo.
    Desejo-lhe um Feliz Natal e muita força para 2008.

    Um Gualtarense


    P.S. – Utilizo o e-mail que divulga no seu blogue para lhe enviar o meu contacto pessoal e disponibilizar gratuitamente os meus serviços, caso decida apresentar queixa contra os insultos de que foi alvo.

    ResponderEliminar
  20. Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

    ResponderEliminar
  21. Toninho Regadas
    "Se há politiquetes e politicões cacarejando infernalmente de crista alta, crê bem, meu caro amigo, que fervem por igual os literatetes e literatões rabiscando de cabeça baixa. Quid Inde? Que só é grande o que se levanta acima da imbecilidade vaidosa, do egoísmo tacanho, da chatinagem intrigante". Eça de Queiroz
    Apoio-o Pedro!

    ResponderEliminar

Antes de comentar leia sobre a nossa Política de Comentários.

"Mi vida en tus manos", um filme de Nuno Beato

Pesquisar no Avenida Central




Subscreva os Nossos Conteúdos
por Correio Electrónico


Contadores