República

| Partilhar
«Para quem nasceu numa república, mesmo se sob Salazar, a ideia da monarquia surge como qualquer coisa de tão distante que chega a ser romântica. Criança, lembro-me de adorar “a Inglaterra” (que para mim era um país que incluia aquilo a que se dá o nome de Reino Unido ou Grã-Bretanha) e a sua rainha. É normal, creio, gostar de rainhas e reis e princesas e princípes quando se é menina, embalada por mil contos de Perrault e Andersen, cinderelas, brancas de neve e anões. Uma amiga minha, que cresceu no Estoril, vizinha do exílio dos reis de Espanha, chegou até a dizer à mãe, quando ela um dia lhe disse que podia ser tudo o que quisesse, “Então quero ser princesa”.»

A Monarquia presta-se a histórias de encantar, tem glamour e é simpática, mas falha no essencial. O desígnio do país não pode estar geneticamente determinado, devendo ser decidido livremente por todos os seus cidadãos. A avó da Fernanda Câncio tinha razão.

4 comentários:

  1. Tb não se percebe como é que uma pessoa democraticamente eleita para representar o país (pouco mais que boneco figurativo) sem ter glamour e muito menos a sua simpatia ser consensual consegue gastar ao nossos bolsos por cidadão bem mais que por exemplo os "geneticamente decididos" de espanha.
    Também é incompreensível porque raio é que todos os ex-presidentes da república tem direito a levar consigo carros, etc e a manter ad eternum assesores, motoristas, etc...
    O que vale é que cá eles lá ficam 10 anos de cada vez e ao todo nem dá muitos para sustentar faustos escondidos.
    E aliás, pensando bem, até já estamos habituados a pagar para o poder político "mamar"

    P.S:Espero que leiam nesta palavras que nada tenho contra a democracia e muito menos sou monárquico. Só não gosto é de despesismo!!!

    ResponderEliminar
  2. Nos países onde impera o regime monarquico os seus cidadãos são de segunda, pois estão impedios pelas constituições de chegar ao mais alto da nação. Não há profissão mais estupida e mais entediante do que a de Rei.

    ResponderEliminar
  3. As monarquias constitucionais e as monarquias parlamentares são países que funcionam e muito bem! Vejamos os exemplos do Reino Unido, Espanha e até Suécia, países, cada um com o seu estilo monárquico-democrático bem esclarecido nas respectivas constituições, com bons níveis de qualidade de vida e onde todos os habitantes teem oportunidade de almejar uma posição de relevência no poder político...

    Não defendo a monarquia, mas há monarquias e monarquias...

    Espero que entendam o que quero dizer...

    ResponderEliminar
  4. MONARQUIA é um absurdo, pois o povo não tem direito a ser eleito monarca (por exemplo).
    No entanto não quero com isto dizer que a REPUBLICA é o sistema perfeito, pois se o fosse não teríamos individuos como o Botas de SANTA COMBA DÃO a governar, ou este que temos agora e outros que infelizmente já passaram e continuarão a passar pelo nosso Governo. Quanto a presidenres da mesma, eu sou mesmo a favor que depois de passarem por lá que se lhes dê uma reforma condigna ao cargo que ocuparam, mas que se lhes retire os previlégios e benesses de que neste momento usufruem, pois quanto a mim é pouco justo, democrático e sem espirito Républicano ter benesses das quais os outros cidadãos não usufruem.

    ResponderEliminar

Antes de comentar leia sobre a nossa Política de Comentários.

"Mi vida en tus manos", um filme de Nuno Beato

Pesquisar no Avenida Central




Subscreva os Nossos Conteúdos
por Correio Electrónico


Contadores