Ideias para Braga: Reorganizar a Sinalética

| Partilhar
Normalmente, as placas colocadas nas ruas e eixos viários servem para ajudar os condutores e orientar o trânsito. Em Braga, as placas servem para... baralhar. Quem entra na cidade vindo de Chaves e quer ir para o Porto encontra uma primeira placa que indica que deve manter-se na faixa central para seguir em direcção à A3 (a indicação "Porto" era desejável aqui). Mas, uns metros à frente, desaparece a indicação da A3 e a sugestão da Câmara de Braga para ir para o Porto é passar para a faixa da esquerda, atravessar toda a rodovia e seguir pela EN14. Por outro lado, a indicação do "Parque da Ponte" é, no mínimo, curiosa. Imagino que as pessoas que chegam a Braga não virão propriamente à procura de um jardim abandonado... Em vez disso, afigura-se-me como bem mais útil indicarem o melhor trajecto para o Parque de Exposições ou a Estação de Caminhos de Ferro.

Em Braga, a sinalética é uma tremenda confusão. A poluição visual é enorme: existem uns 10 tipos de placas diferentes não havendo qualquer coerência gráfica nem sentido de estética na colocação das mesmas. Na rotunda das piscinas, por exemplo, a placa que indica o cemitério público está misturada com indicações para shoppings, stands e hóteis. Junto ao Braga Parque surge uma indicação de "trânsito local". Parecia-me mais preciso e adequado indicar "Qta dos Congregados" e "Enguardas", que são as principais zonas habitacionais servidas por aquele desvio.

Estes são apenas alguns exemplos. Fica o alerta: é tempo de se reorganizar toda a sinalética da cidade.

8 comentários:

  1. Tens toda a razão...

    Por motivos profissionais (mestrado) tenho-me deslocado a Braga algumas vezes nos últimos tempos (e continuarei a ir) e, para quem não conhece a cidade, como é o meu caso, são muitas as voltas que dou até descobrir que andei quase ao lado dos locais onde tenho que ir...

    E para voltar para o Porto ou Vila Real, é tanto ou mais complicado...

    Um abraço

    ResponderEliminar
  2. Aqui no Brasil o nome é sinalização.Achei interessante aí ser sinalética.Por aqui o Código de Trânsito regula a sinalização que é com placas de cor verde e escrito em branco dando até o tamanho das letras. Muitas vezes é preciso perguntar no caminho porque, quem não conhece o local falta mais especificações.Muita gente verifica nos mapas antes, para facilitar.
    Estas que você mostra parece que são de lugares muito perto um do outro por isso todas juntas.Senão apareceriam de acordo com a sequência, não?

    ResponderEliminar
  3. Eu acho que este post é bastante pertinente. A sinalização bracarense é demasiado fraca. Por exemplo, na via rápida junto ao carrefour existe uma ponte com as respectivas entradas e saidas, mas não existe uma única seta. Zero.

    ResponderEliminar
  4. Tens toda a razão... só menos numa coisa:
    «Na rotunda das piscinas, por exemplo, a placa que indica o cemitério público está misturada com indicações para shoppings, stands e hóteis.»
    Isto tem toda a lógica!!! Então? É a morte do €... do nosso bolso!

    ResponderEliminar
  5. Ideias para Braga: reorganizar a cabeça dos indígenas.

    ResponderEliminar
  6. Bom tópico.
    É certamente uma "ferida" da nossa cidade.
    Era importante que a sinalética obedecesse a critérios, de forma sistemática e não avulsa.
    A indicação hoteleira (a amarelo) não deve estar misturada com publicidade a estabelecimentos comerciais, entre outros. Faltam indicações para complexos e equipamentos desportivos (laranja). A informação genérica das localidade vizinhas, das saídas principais ou dos serviços essenciais pode ser melhor organizada e mais abundante, etc.
    Tenho a certeza de que a má sinalética afugenta os visitantes, fazendo-os perder muito tempo, o que é mau para todos.

    ResponderEliminar
  7. Fui ontem com o meu puto à Bracalândia e pude verificar que não é só no local da foto que o forasteiro se pode baralhar.

    ResponderEliminar
  8. O problema da sinalética é recorrente em todo o país, e não só em Braga. Atrevo-me a dizer que será uma das razões pelos nossos números de sinistralidade rodoviária. No Reino Unido, não só as informações são dadas muito antes das saídas como também a sinalética horizontal é muito mais completa, o que desanuvia a vertical. Os Ingleses conduzem muito pior que nós mas têm menos acidentes. Aposto que muita dessa diferença vem da sinalética.

    ResponderEliminar

Antes de comentar leia sobre a nossa Política de Comentários.

"Mi vida en tus manos", um filme de Nuno Beato

Pesquisar no Avenida Central




Subscreva os Nossos Conteúdos
por Correio Electrónico


Contadores