S. João: Contributos para o Renascimento

| Partilhar
2004 Braga São João
© VRFoto

A tradição, por si só, já não tem capacidade para atrair gente nova para estas paragens. Mas atrair gente nova não pode significar perder o sentido do que é a tradição nem, necessariamente, a sua descaracterização. Como tal, qualquer reformulação das Festas do S. João de Braga deve ter a preocupação de garantir a harmonia entre a manutenção das tradições e a criação de condições capazes de atrair novos públicos.
.
1) Condição essencial para a melhoria das condições das Festas de S. João é a reabilitação do Parque de S. João da Ponte e a limpeza e recuperação do Rio Este e das suas margens. Após estas intervenções, a zona nobre das festas terão mais dignidade para receber os foliões. Como pode a festa continuar a fazer-se ao ritmo dos odores de um rio que corre encimentado e poluído? Por outro lado, a Comissão de Festas deveria definir com clareza o perímetro das festas oficiais, onde deve concentrar toda a animação e oferta de serviços. Esse perímetro deve incluir a Avenida Central, a Avenida da Liberdade e o Parque de S. João da Ponte.
.
2) Parece-me acertada a realização do Festival de Folclore e do Encontro Internacional de Gigantones e Cabeçudos no fim de semana que precede as festas. Há que recuperar a corrida do S. João, melhorando a sua atractividade através do reforço dos prémios com a ajuda de patrocinadores.
.
3) A proibição do lançamento dos balões de S. João tem que ser negociada com o Governo e deveria ser reivindicada pela Câmara de Braga (num país em que há excepções locais para matar animais...). De qualquer modo, hoje em dia já existem formas de adornar os balões com materiais luminosos não inflamáveis. Basta imaginação. O lançamento dos balões deveria acontecer entre as 22.00 e as 00.00.
.
4) Na zona do Parque de S. João da Ponte deve ser criada uma zona de alimentação, idêntica à da Festa da Cerveja, onde se concentrem estabelecimentos que inspiram confiança aos consumidores relativamente à qualidade da comida servida. A Festa da Cerveja, uma iniciativa a realizar no Campo da Vinha, deve fazer-se noutra época do ano.
.
5) O tradicional desfile das rusgas deveria iniciar-se às 22.30, no Largo Carlos Amarante, e percorrer a Avenida no sentido descendente até chegar ao Parque de S. João da Ponte, perto das 23.45.
.
6) Às 00.00 deveria realizar-se o monumental espectáculo piromusical de fogo de artifício. O espectáculo deveria ser lançado sobre a Avenida da Liberdade a partir de 4 pontos (Av. Central, Largo João Penha, Av. Jão XXI e Terreiro da Ponte). É tecnicamente possível fazê-lo com segurança. Poderia ser o maior espectáculo de fogo de artífico de cidade realizado em Portugal (a 3ª cidade país merecia-o!).
.
7) Entre as 00.45 e as 02.30, deveriam existir vários pontos de animação fixos com grupos de bombos e Zés Pereiras e ranchos folclóricos (Parque de S. João da Ponte, junto ao Largo João Penha, na intersecção com a Rua 25 de Abril, na intersecção com a Avenida João XXI, junto ao Fujacal e no Terreiro da Ponte). Na Avenida da Liberdade, deveriam existir alguns pontos com barraquinhas de venda de comida e alimentação e, onde fosse possível, esplanadas.
.
8) Às 00.45, no topo este da Avenida Central deveria acontecer um concerto com uma banda de nome nacional, ao encontro das preferências dos mais jovens. Simultâneamente, o topo oeste da Avenida deveria acolher um Dj e estar preenchido por barraquinhas de bebidas. À mesma hora, no Parque de S. João da Ponte deveriam decorrer os tradicionais concertos das Bandas Filarmónicas.
.
9) A partir das 02.30 a festa concentrava-se no Dj da Avenida Central e respectivas barraquinhas, na música de gravação do Parque de S. João da Ponte, no caminho de regresso a casa das rusgas (que actuaram até então) e nos espaços de animação e esplanadas ao longo da Avenida da Liberdade.
.
10) O dia 24 de Junho ficaria reservado para as solenidades religiosas, o desfile dos Carro das Ervas, Carro do Rei David e Carro dos Pastores e o encerramento oficial das festas com uma simples salva de morteiros.
.
São ideias. Aceitam-se críticas e sugestões.

20 comentários:

  1. Pedro, esqueceste-te do fogo preso no Estádio 1º de Maio.

    ResponderEliminar
  2. Não esqueci. Acho que um grande (enorme) espectáculo dia 23 faz dispensar o fogo do dia 24. E a verba de 24 pode ficar para o dia 23.

    ResponderEliminar
  3. Já não ia ao S. João há provavelmente uns dezoito anos e estou de acordo que, se é para se manterem, as tradições devem ser renovadas e enriquecidas. Estas suas ideias deviam surgir num comentário no site da câmara, porque isto de se pôr mais umas centenas de luzinhas não quer dizer que a festa brilhe mais. Sabe que procurei ouvir o tal concerto de carrilhões mas, em vez de ser às previstas 17.30, comecei a ouvi-los lá para as 18h e tal, pelo que eu já não estava em situação de poder apreciá-los, até porque o estrondear de gaitas, bombos e a própria música ambiente, que não foi desligada, me impediram de o fazer em condições. Ouvi dizer que o presidente da câmara participou activamente na Bracara romana (imperador?!), a ver se ele também ouve aqueles que querem uma FESTA de S. João.

    ResponderEliminar
  4. Muitos projectos par ao São João... De facto concordo que o São João precisa de inovar um pouco, manter as tradições e apresentar sugestões novas para todos os gostos.

    ResponderEliminar
  5. Grande amigo,

    Guarda estas alterações para daqui a uns anos, quando sairem os "boys" dos seus "jobs" (em português, tachos) e esteja lá alguém que realmente pense em fazer avançar a cidade que tem tudo para ser muito melhor. Por enquanto, não há muito a fazer...

    ResponderEliminar
  6. Não há ninguem na Câmara de Braga que leia este BLOG??? Tanta boa ideia que fica aqui desperdiçada...

    ResponderEliminar
  7. Muito bem! Penso que são propostas muito interessantes para "reabilitar" o melhor São João do mundo.
    Mas julgo que o fogo do estádio é também indispensável...

    Pedro, fica a proposta também para ti: passares das ideias à prática e integrares já a Comissão de Festas de São João de 2008!
    Pode ser que estas ideias possam ser já uma realidade no próximo ano!

    Abraço

    ResponderEliminar
  8. Pedro,

    programa 5 estrelas excepto a parte do fogo. Já temos antecendentes trágicos aquando do fogo na Avenida. Chegou a morrer gente, segundo consta. E lembro também uma noite do ano 98 no Campo da Vinha em que o fogo acabou por estragar uma festa de Verão e um conerto dos Rio Grande. Tem de existir outra solução para o fogo.

    Abraço.

    ResponderEliminar
  9. Na verdade à já uns 6anos que não tenho oportunidade de desfrutar o S.João, este ano ainda menos...contudo constou-me que este ano as festes de S.João estiveram particularmente fracas...Aparte o fogo de artifício que é o menos, pessoalmente não gosto da concentração das barraquinhas avenida a baixo, causa incómodos a muita gente, inclusivé aos comerciantes que estão ali o ano todo, porventura tambem têm direito ao seu negócio no s.João, aos moradores, para além disso esteticamente também não gosto...Poder-se-ia concentrar as referidas barracas na zona do parque da ponte, por exemplo... Caro Pedro Morgado devo dizer-te que as propostas que aqui li são brilhantes estou certo que trariam outra vida às festas da nossa cidade...acreditamos que falta pouco e que todas as boas propostas serão uma realidade...Faz falta vida nova para quase tudo no nosso concelho. Abraço

    ResponderEliminar
  10. Se querem imitar o São João do Porto, pois estão mesmo perdidos. As cópias são sempre piores que os originais.

    Guimarães, por exemplo, não procura imitar ninguém e tem as excelentes Gualterianas.

    Uma sugestão: porque não tentam imitar as Gualterianas? Depois podem vir para os blogues berrar que as Gualterianas de Braga são muito melhores que as de Guimarães.

    ResponderEliminar
  11. As Gualterianas são excelentes???

    Não conheço festa mais despropositada e desprovida de sentido, à qual só se descobre uma lógica à martelada... Ah, e é uma festa que nasce da inveja que os caixeiros (futricas) tinham das festas dos estudantes, então toca lá a martelar uma romaria em Guimarães, que já estava a precisar de um santinho por quem romar no Verão! E puff, fizeram-se as Gualterianas, com o alto patrocínio do Padre Roriz, em 1906...

    ResponderEliminar
  12. Excelente ponto de partida para se promover uma discussão! Aproveito para sugerir o seu envio ao putativo dos putativos candidatos à câmara de Braga...

    Pedro Antunes Pereira
    (www.paraquandoanossarevolucao.blog.pt)

    ResponderEliminar
  13. Meu Caro Pedro Morgado,

    Não conseguirás alterar o estado de coisas com as mesmas pessoas que se têm perpetuado num exercício não de servir a coisa pública mas de se servir e aos seus.

    Apesar de residente já há muito que deixei de frequentar. Pelo que leio, as coisas não melhoraram.

    O programa mantém-se entediante, sendo previsível e muito pouco criativo!

    Parabéns!

    ResponderEliminar
  14. Não sabia que esta festa tão popular estava assim deixada praticamente ao abandono...

    Também acho que comentários despropositados como "o melhor são joão do mundo" são completamente despropositados, ainda para mais quando a festa se encontra, pelos vistos, meia moribunda.

    Mas afinal, o que se passa realmente com o São João de Braga? Sempre ouvi falar bem dele...

    ResponderEliminar
  15. para mim, era voltar a deixar que se façam fogueiras para saltar cá no porto e fico contente. a coisa mais simbólica do s. joão era o salto das fogueiras e agora nada. somos uns tristes.
    qualquer dia proibem o alho porro e as ervas por causa das alergias...

    ResponderEliminar
  16. O fogo de artificio no Estadio 1º de Maio parece-me fundamental.

    ResponderEliminar
  17. Sou de Braga e julgo que a tendência é para as festas de São João irem de ano para ano perdendo força e a médio prazo vai ser uma festa sem sentido.

    Imitar o São João do Porto é rídiculo... O São João em Braga cada vez faz menos sentido: não há programa, não há propósito, não há nada característico da cidade que faça distinguir-se, quase ninguém sabe a razão da festa. Já ninguém tem paciência (principalemnte os mais jovens) para andarem na avenida a dar marteladas....
    Não vejo nenhum interesse no São João a não ser comercial para os tipos das barracas.

    Um festa deverá ser associada á cidade onde se encontra e não fazer uma coisa por se fazer. Festas bonitas são o Pinheiro em Guimarães, as Feiras Novas de Ponte de Lima ou festas de Ponte da Barca etc. Essas são originais e as pessoas identificam-se com a festa.

    Em Braga cada vez menos as pessoas se identificam com o São João. Eu não vou nem recomendo.

    ResponderEliminar
  18. Caro Pedro,

    Parabéns pela reflexão e pelo esforço de melhorar o que existe.

    Tomamos a,liberdade de incluir um link para este post no tópico alusivo do "Se eu fosse Presidente..."

    ResponderEliminar
  19. Acho que se está a exagerar um pouco...

    ResponderEliminar
  20. Muito bem!excelentes ideias...gostei particularmente da do fogo e da do concerto e dj,tudo isto conciliando a tradição como as rusgas ,zés pereiras e filarmonica.as entidades competentes têm de perceber que existem publicos diferentes e de idades e mentalidades diferentes...
    todas estas sugestões devem ser acompanhadas de uma ideia de aproximação á cidade e aos seus cidadãos...portanto deve-se dar preferencia quase exclusiva a ideias,projectos,pessoas e artistas de Braga...porque não fazer uma especie de cativação das pessoas a fim de se promover a sua propria cidade...fazendo uma especie de balanço de tudo o k há e se fez(durante esse ano) de bom na cidade ,a nivel gastronomico,musical(atuações de bandas da cidade) ,desportivo(a dita corrida e aparições em jeito de saudações de atletas do SCBraga ,do Abc,etc,na noite de S.João),ou ,porque não, empresarial(com exposições e stands de empresas de sucesso locais)...acho que muitas coisas podem ser feitas e melhoradas sem que para isso tenha de haver um reforço significativo dos meios financeiros.

    ResponderEliminar

Antes de comentar leia sobre a nossa Política de Comentários.

"Mi vida en tus manos", um filme de Nuno Beato

Pesquisar no Avenida Central




Subscreva os Nossos Conteúdos
por Correio Electrónico


Contadores