Militância Partidária, a quanto obrigas?

| Partilhar
Em Julho de 2006, Vital Moreira denunciou "a campanha orquestrada contra Manuel Alegre, por causa da atribuição de uma pensão da CGA". Chamou-lhe até "mesquinha e malévola". Em Junho de 2007, surge nas páginas dos jornais uma história idêntica (já se sabe que não existem duas histórias iguais) mas com um protagonista do PSD. E, de repente, Vital Moreira embarca na campanha "mesquinha e malévola".

Não nos parece crível que as análises de Vital Moreira, por quem temos a maior consideração, tenham critérios de análise flutuantes consoante a militância/simpatia partidária dos seus protagonistas. Mas à mulher de César...

10 comentários:

  1. Não é de agora esta incoerência crónica de Vital Moreira... Ai os partidos!

    ResponderEliminar
  2. enfim...é isto a elite do partido socialista...mas por aqui se vê a diferença entre eles e o melhor partido português, a consciência crítica do melhor partido português, quando há razoes para criticar as medidas e as pessoas do próprio partido , nao há voz que não se levante...

    Estou a falar do PSD, obviamente, que faz a diferença..

    ResponderEliminar
  3. São casos bem diferentes...

    «a consciência crítica do melhor partido português, quando há razoes para criticar as medidas e as pessoas do próprio partido , nao há voz que não se levante...

    Estou a falar do PSD, obviamente, que faz a diferença..»

    O caso Charrua, que só foi caso por se militante do PSD, é o exemplo recente mais que perfeito para contradizer essas suas afirmações... por um lado por que existiram outros casos semelhantes e por outro, porque existiam outros piores, como o Pedro Morgado à dias referiu num post seu.

    Os partidos são 99% das vezes amorais... e quando aparentam ter moralidade trata-se, na maioríssima das vezes, de mero oportunismo político.

    ResponderEliminar
  4. É verdade Jam,infelizmente há casos bem piores, isso não impede que existam outros, porventura menos graves , mas há...

    Também não devemos deixar de criticar a Serra Leoa, porque na Coreia do Norte é pior, infelizmente as coisas estão mal no nosso país, os socialistas estão desnorteados, asneira atrás de asneira, e o pior é que se defendem uns aos outros, não importa sequer a honestidade intelectual, que é isso...

    ResponderEliminar
  5. «Também não devemos deixar de criticar a Serra Leoa, porque na Coreia do Norte é pior, infelizmente as coisas estão mal no nosso país, os socialistas estão desnorteados, asneira atrás de asneira, e o pior é que se defendem uns aos outros, não importa sequer a honestidade intelectual, que é isso... »

    Sim, tem razão. E Darfur, porque não se fala muito, porque não se age? Se tivesse morrido algum americano, britânico ou francês já haveria a oportunismo político interno, do país ocidental em causa, para reivindicar alguma acção.

    Na devida proporção, o caso Charrua é igual, mero oportunismo. Não são defensores do virtuosismo, da liberdade ou da moral. O PSD é tão bom ou tão mau como o PS.

    ResponderEliminar
  6. "Não nos parece crível que as análises de Vital Moreira, por quem temos a maior consideração, tenham critérios de análise flutuantes consoante a militância/simpatia partidária dos seus protagonistas"

    Como é rídicula esta linguagem de politiquice de junta de freguesia. Esse Vital Moreira é um incoerente e comprovadamente gente sem crédito mas mesmo assim vem um tipo que escreve "...por quem temos a maior consideração...". Deixem-se de ser demagogos, esse Vital Moreira é um incoerente e gente que não interessa. Chamem o boi pelos nomes....

    ResponderEliminar
  7. Bem, Vital Moreira é um dos mais respeitados juristas portugueses... Chamemos os bois pelos nomes...

    ResponderEliminar
  8. Bom... há quem entenda que sim, que Vital Moreira é um jurista de referência, no meu caso até foi meu professor, e não é que eu tenha tido um especial prazer por isso...
    O Canotilho, sim isso é outra louça...

    ResponderEliminar
  9. Deves ter razão Duarte, há muitos doutos professores que não têm grande jeito para ensinar, infelizmente. Também noto muito isso. Mas isso não retira méritos ao trabalho como investigador...

    ResponderEliminar

Antes de comentar leia sobre a nossa Política de Comentários.

"Mi vida en tus manos", um filme de Nuno Beato

Pesquisar no Avenida Central




Subscreva os Nossos Conteúdos
por Correio Electrónico


Contadores