Claustrofobia Bracarense

| Partilhar
Poucas vezes alguém descreve com tamanho realismo e precisão o quotidiano de uma cidade. Horácio Azevedo fê-lo na Linha do Horizonte (destaques da minha autoria).
.
Braga, que pretende ser a terceira cidade do país, não consegue escapar deste fatalismo provinciano que os seus autarcas e bracarenses lhe destinaram. Tendo em conta a importância relativa da cidade para a região, nunca foi objecto de discussão séria e passa completamente ao lado dos media nacionais. Aqui sim, há claustrofobia. Mas mesmo assim, Mesquita e o seu séquito não fazem capa de jornais nem são referidos em editoriais inflamados. Eles, certamente, agradecem a invisibilidade. Perdoem-me o radicalismo, mas apenas os pouco exigentes (ou mesmo medíocres) se podem contentar com a situação desta cidade.
.
Teve todas as condições para ter um crescimento urbano decente e hoje é um paradigma do urbanismo terceiro-mundista que grassa em Portugal. Fujacal, vale de Lamaçães, Galécia, Shopping Santa Cruz, a lista é interminável. Prédios sobre prédios, ausência de espaços verdes, carros que engolem ruas, qualidade miserável de construção, negócios obscuros, tudo isto é Braga do século XXI.
.
Não sei se isto ainda é o reflexo de um Portugal rural e atrasado, com maior predomínio no Norte, que não ainda não conseguiu a transição para a modernidade, e que acaba por se reflectir nestes produtos autárquicos...

7 comentários:

  1. É triste, mas é a pura verdade, o urbanismo da década 80,90 e actual de Braga faz parte dos piores do país. Como é possível não haver um mínimo de planeamento! Mas o mais grave é que se continua a fazer mau urbanismo!
    Estamos a falar da principal tarefa de um município, a organização do município, PDM, e a sua gestão.

    ResponderEliminar
  2. Mas afinal onde é que esta cidade vai parar? (em termos urbanísticos)
    Isto faz-me lembrar a Cidade do México.

    ResponderEliminar
  3. Pára quando não houver terrenos... Não sei porquê, mas prevejo que Braga, daqui a muitos anos, vá ter sérios problemas devido a prédios devolutos e/ou degradados... Às vezes dou por mim a pensar como é que no futuro vão conseguir demolir e restaurar tanta coisa..

    ResponderEliminar
  4. Digo isto porque, de certeza absoluta, que as pessoas no futuro (que certamente serão mais bem endinheiradas e mais exigentes) não vão querer morar em sítios cujas vistas dos seus apartamentos são.. outros apartamentos.. nem vão querer morar em sítios em que mal saíam de casa dão de caras com vias rápidas e não têm espaços verdes no raio de não sei quantos km.. Penso que toda a zona de Lamaçães e Fraião será uma espécie de bairro fantasma gigantesco..

    ResponderEliminar
  5. Estes senhores que comentam em blogs a situação do urbanismo de Braga levam-me a pensar o quanto as pessoas em Braga são acomodadas. É novidade a forma catastrófica como Braga está a crescer? O homenzinho que está na câmara está lá a fazer vigarices desde ontem? Não, está há 30 (trinta) anos. É novidade para alguém que Braga é uma faroeste com o polvo instalado entre câmara e os trolhas? Julgo não ser novidade nenhuma. Porque as coisas continuam assim? Única e simplesmente por culpa dos bracarrenses! De todos, sem excepção. Culpa dos que são ignorantes e/ou fazem parte do polvo e votam no homenzinho e dos outros que são acomodados.
    Porque só aparece gente a comentar em blogs e na vida real nada fazem??? Porque sempre que se tentou organizar conversas/debates sobre a cidade de Braga quase ninguém aparecia? Porque não se denunciam situações que dia-a-dia estão á vista de todos?
    Não se queixem dos media portugueses, logicamente que eles não vão dar destaque a Braga de livre iniciativa. Portugal é Lisboa e alguns dias, também, o Porto. Caso se pretendam colocar nos media os inúmeros escândalos que se vivem em Braga, a iniciativa terá que ser dos bracarenses. Durante 30 (trinta) anos todos conviveram com esta situação e ninguém nada fez de verdade para inverter isto. Criar blogs e comentar em blogs é fácil e confortável mas de nada adianta.A culpa é dos bracarenses! Sou de Braga mas tenho a perfeita consciência que Braga é um caso perdido. Não me revejo em Braga e tenho vergonha da fama que Braga tem: cidade de trolhas novos ricos, que andam em bons carros mas nem sabem falar nem comer à mesa.

    ResponderEliminar
  6. A Braga não vêm eles....Braga é mesmo o faroeste:

    http://ultimahora.publico.clix.pt/noticia.aspx?id=1298080

    ResponderEliminar
  7. MAs será que a única claustrofobia de Braga só vem (e vem) da Câmara ? E a clasutrofobia que vem da igreja, como o mostra os sucessivos casos do colégio D. Diogo de Sousa, um monumento do reaccionarismo local que usa o dinheiro dos seus alunos para perseguir, processar, despedir e expulsar, antes o silêncio cumplice do triste e incapaz arcebispo de Braga?

    ResponderEliminar

Antes de comentar leia sobre a nossa Política de Comentários.

"Mi vida en tus manos", um filme de Nuno Beato

Pesquisar no Avenida Central




Subscreva os Nossos Conteúdos
por Correio Electrónico


Contadores