Mesquita para o santuário, já!

| Partilhar
«Parece que, em Braga, se levantou alguma polémica acerca das personagens presentes numa tela colocada numa cripta no Sameiro. Alguns fieis terão estranhado que a N.S. do Sameiro e a três Papas se tenham juntado os retratos do actual arcebispo, Jorge Ortiga, e de monsenhor Melo (mais conhecido por cónego).Concordo que há na pintura uma flagrante injustiça - mas não pelas razões apontadas. O problema está nas ausências e não nas presenças. É que não faz sentido nenhum que esteja figurada esta última personagem - o cónego/monsenhor - em tão santo lugar e se tenham, ignominiosamente, esquecido do eterno presidente da câmara, Mesquita Machado. Se este sintomático exemplo da viabilidade do socialismo católico, cumulativamente tradicional e pós-moderno, esta figura ímpar (prontos, vá lá, a dra. Fátima também era muito chegada ao ex-bispo do Porto) e tão representativa dos autarcas portugueses, vence sucessivamente (30 anos) as eleições em Braga, deve-o a Melo (monsenhor) e à sua organização. Pela sua persistência e fidelidade, Mesquita Machado conquistou já, materialmente, um lugar naquele retábulo bem ao lado dos seus benfeitores (falo dos vivos, claro). Amén.»

Carlos Abreu Amorim no Blasfémias

1 comentário:

Antes de comentar leia sobre a nossa Política de Comentários.

"Mi vida en tus manos", um filme de Nuno Beato

Pesquisar no Avenida Central




Subscreva os Nossos Conteúdos
por Correio Electrónico


Contadores