Coerência? Não, obrigado!

| Partilhar
«Abortar como opção quando já bate um coração? Não, obrigada»
- Cartaz publicitário da campanha do «não» no referendo sobre o aborto.

«O ensino tradicional da Igreja não exclui, depois de comprovadas cabalmente a identidade e a responsabilidade de culpado, o recurso à pena de morte»
«Traditionalis doctrina Ecclesiae, supposita plena determinatione identitatis et responsabilitatis illius qui culpabilis est, recursum ad poenam mortis non excludit» (na versão original em Latim).
- Parágrafo 2.267 do «Catecismo da Igreja Católica» (versão em Latim no site oficial do Vaticano)


Post retirado do Random Precision

17 comentários:

  1. Assim se vê a coerencia daqueles que nos querem impor a sua Lei...

    ResponderEliminar
  2. ninguém quer impor a "sua" lei, ninguém quer é ver um homicidio ser considerado legal.

    para aqueles que restringem a Religião Católica a um simples aglomerado de palavras redigidas não se sabe bem por quem.

    acredita que não vez nenhum padre a defender a morte, apenas a vida e é isso que se está a referendar:

    a vida ou a morte

    (é tão dificil de decidir, não é?

    ResponderEliminar
  3. Caro mike,

    Estás completamente enganado quanto à pergunta que está a ser referendada. O que está em causa é saber se há ou não crime.

    Esta citação apenas pretende demonstrar a incoerência da doutrina da Igreja Católica.

    A Igreja Católica tem o direito de dizer aos católicos que não pratiquem aborto mas não pode ter o direito de querer impor a sua doutrina aos cidadãos de um país livre e democrático.

    ResponderEliminar
  4. Eu, por acaso, sou totalmente contra a pena de morte.
    Em relação à liberalização do aborto, não consigo formar opinião. Sim, até às 10 semans? Porque não às 8? E às 12? E a qualquer semana?
    Sei lá!

    ResponderEliminar
  5. Caro rps,
    Compreendo as perguntas que lança. Coloco-as a mim mesmo várias vezes.

    ResponderEliminar
  6. Continua a ser redutores os comentários aqui postados. A morte de seres humanos não é um problema religioso. Matar alguém é abominável, seja no cadafalso do Iraque, seja por umas escadas abaixo em Monção, seja dentro da barriga de uma mãe.

    ResponderEliminar
  7. Confesso Sou burro e há coisas que não consigo entender. Como é que uma mesma pessoa se insurge na televisão contra a morte do touro na arena e no mesmo local apela ao voto no sim ao aborto. Tá tudo bebado é o que é.

    ResponderEliminar
  8. Muito inteligente não deves ser.. Eu nunca disse que votava SIM ao ABORTO.
    Nem voto.

    ResponderEliminar
  9. ò coca,
    Coca é o que tu deves andar a sniffar... Tu não sabes que ninguém pergunta se és a favor ou contra o aborto, mas sim se és a favor ou contra a prisão de quem o comete...
    Confesso que pareces muito burro...

    ResponderEliminar
  10. Caro Pedro, lamento discordar de ti, mas a pergunta do referendo versa sobre despenalizar ou não quem aborta. Mas o referendo é muito mais do que essa simples questão.

    Entre essas questões que não estão escritas no referendo, está uma que é se queremos incluir o aborto como metodo anticonceptivo?

    ResponderEliminar
  11. Atento deves julgar-te muito atento e querer fazer dos outros burros. Tu e muita gente que para aí anda. Então não se trata de legalizar o aborto... Estamos conversados. Outros até dizem que não se trata de aborto, mas sim interrupção da gravidez.Deixa-me com a minha burrice.

    ResponderEliminar
  12. Perdoem-me a linguagem, mas se fazer a merda de um download de um dvd é UM CRIME, como é que podemos estar a discutir a legalidade de um aborto?

    coerencia.

    ResponderEliminar
  13. Antes de mais deixa-me desejar-te um excelente Ano de 2007 com tudo do melhor, depois agradeço a visita no CATANO, espero que continues por lá a passar.
    Dei aqui uma espreitadela e muito sinceramente goste muito do teu Blog, o qual já reparei ser muito concorrido no que diz respeito a comentários, isso é bom, estabelece-se a discussão e muitas vezes a confusão...
    Quanto ao tema Aborto, não poderia estar mais de acordo contigo, quando dizes que a Igreja tem todo o direito de defender a sua opinião, mas nunca tentar impôr aquilo que defende, que eu saiba vivemos numa Democracia, e seja qual fôr o assunto devem ser ouvidas todas as partes.

    Um Grande Abraço, e vou-me tornar um assíduo deste espaço com toda a certeza.

    ResponderEliminar
  14. Acho que ninguém defende o aborto como método contraceptivo. Eu não defendo com toda a certeza.

    ResponderEliminar
  15. ai ai ai que o senhor só cita a parte que lhe interessa de modo a que o contexto lhe seja propicio.
    O que lá diz é que
    "§2267 O ensino tradicional da Igreja não exclui, depois de com provadas cabalmente a identidade e a responsabilidade de culpado, o recurso à pena de morte, se essa for a única via praticável para defender eficazmente a vida humana contra o agressor injusto.

    Se os meios incruentos bastarem para defender as vidas humanas contra o agressor e para proteger a ordem pública e a segurança das pessoas, a autoridade se limitará a esses meios, porque correspondem melhor às condições concretas do bem comum e estão mais conformes à dignidade da pessoa humana."
    seu maroto...

    Retirado dos comentários em http://www.rprecision.blogspot.com/

    ResponderEliminar
  16. Que diferença existe entre matar uma criança de 2 anos, uma de 6 meses ou uma de 4-6-10 semanas?
    Há diferença no crime? Quanto a mim não há.
    Outra coisa é criminalizar quem o praticou, sem atender ao contexto que só a própria poderá tentar entender.
    Se o Estado criasse os meios para receber e educar as crianças não desejadas (TODAS,independentemente do motivo) e se educasse as mães para conviverem com a sua própria consciência, talvez fizesse o caminho da solução.
    A solução não é a punição, mas a consciencialização e a integração.

    ResponderEliminar

Antes de comentar leia sobre a nossa Política de Comentários.

"Mi vida en tus manos", um filme de Nuno Beato

Pesquisar no Avenida Central




Subscreva os Nossos Conteúdos
por Correio Electrónico


Contadores