Capítulo 40: dos números

| Partilhar
Quando aqui escrevi que a estratégia de campanha de Ricardo Rio não apostava convenientemente nas freguesias rurais, foram várias as pessoas que se insurgiram no espaço destinado aos comentários. Ainda assim, apurados os votos, nota-se que o mapa eleitoral autárquico bracarense continua bastante parecido ao das eleições de 2005: freguesias urbanas dominadas pela Coligação e as rurais pelo PS.

De resto, Ricardo Rio tem vantagem confortável em apenas duas freguesias rurais: Navarra e Fradelos. Nas outras freguesias rurais em que conquistou mais votos que Mesquita Machado as diferenças foram bastante reduzidas: Crespos e Tenões, 18 votos; Sobreposta, 7 votos; Semelhe e Trandeiras, 1 voto. Porque é justo referi-lo, o PS ganhou em Palmeira com uma diferença de apenas 1 voto.

Ora, se as diferenças no caso das vitórias foram reduzidas, nas derrotas foram já substancialmente maiores. Curioso ainda que, para além da vitória em quase todas as freguesias rurais, Mesquita Machado conseguiu em quase todas as freguesias urbanas, e apesar de derrotado, mais votos do que em 2005.

Ricardo Rio, que tinha ficado a 5000 votos de Mesquita Machado nas últimas eleições, conseguiu os 6000 que bastariam em 2005. Não foi suficiente porque desta vez votaram quase mais oito mil bracarenses do que na altura e, ao contrário do que se tem dito, foi menos o voto útil da esquerda - que como o Pedro Morgado referiu perdeu apenas cerca de 150 votos -, mas mais os "novos" eleitores que fizeram a diferença.

E nestes novos eleitores cabem não só os que votaram hoje pela primeira vez, mas acima de tudo os que em 2005 se abstiveram ou votaram nulo e branco; um total de nove mil votos que se distribuíram pelas listas do PS e da Coligação. E foi aqui, mais do que em qualquer dos outros indicadores que se notou que a imagem Mesquita Machado não está, afinal, tão desgastada como se pensaria; nem na malha urbana, nem na malha rural.

A derrota de ontem não é tanto, então, uma derrota para Ricardo Rio, mas uma vitória de Mesquita Machado. E é por essa razão que Ricardo Rio não deve demitir-se, mas assumir de novo a chefia da oposição e trabalhar para uma alternativa verdadeiramente supra-partidária para 2013.

10 comentários:

  1. Não concordo que o Ricardo Rio deva continuar, já perdeu 2 vezes deve perceber que o povo de Braga não o quer como presidente. Deve abrir caminho a nova gente para a frente do psd nas proximas eleições, essas sim vão ser decisivas para a cidade.

    PS: Espero que este blog volte a ser um blog da cidade e deixe de ser um blog do ricardo rio. Não tenho nada contra o ricardo só acho que o blog é mais util se for de todos.

    ResponderEliminar
  2. Sim RR fez um óptimo trabalho e sendo honesto e inteligente como é, não deveria sair, para bem de todos os bracarenses. Julgo que está no caminho certo para conseguir se bater nas próximas eleições. Tenho receio que algum "barão" do PSD olhe para Braga como uma boa oportunidade para as próximas eleições e afaste o melhor candidato que o PSD algum vez terá em Braga.

    Força Ricardo, não desistas.

    ResponderEliminar
  3. Ricardo Rio pode trabalhar para uma candidatura Supra Partidária mas de direita.Espero que a verdadeira esquerda, a esquerda consequente consiga que tal candidatura seja perdedora.

    Almerindo Margoto

    ResponderEliminar
  4. João,

    Em Adaúfe ganhou o PS por larga margem.

    Quanto ao resto, permite-me discordar de alguns pontos da tua análise. Se há 8.000 novos eleitores, é natural que MM ganhe votos nas freguesias urbanas. O que tem que se comparar é se a diferença de votos aumenta em relação a 2005.

    Quanto ao voto à esquerda, a análise que fazes também não pode estar correcta. Se o número de eleitores aumenta, o BE e CDU perdem, em termos comparativos, muito mais que os 150 votos que referes.

    ResponderEliminar
  5. Muito boa análise, os meus parabéns.

    Finalmente vejo alguém concordar, por escrito, quanto às prioridades na abstenção/novos votantes e freguesias rurais e/ou suburbanas.

    A luta pelo voto (in)útil é fraticida. E, ainda por cima, custa muito aos milhares de recentes votantes no bloco, que foram dar o seu voto à coligação, serem agora acusados de serem os responsáveis da derrota de Ricardo Rio.

    Tentemos ser frios:
    1-MM fez tábua rasa da sua obra e apresenteu o programa mais hipócrita de sempre. Só uma a memória forte e cultivada pode combater isto. E, de facto, nem toda a gente tem esta memória, quanto mais não seja por serem novos.

    2-Fugiu aos confrontos, e atirou milhões de euros aos votos. Em obra que pagaremos nas próximos anos em empréstimos, e que não são estruturantes mas garantiram "voto-rápido". Neste ponto só o poder judicial nos poderia proteger....

    ResponderEliminar
  6. A campanha do RR nas freguesias rurais não foi fraca, nem perto disso, prova disso é que não perdeu nem uma freguesia, e ganhou 6freguesias (penso que amanhã serão 7 com guisande, se as informações que me deram são verdadeiras), uma grande vitória visto que ganhou a juntas PS que têm uma maior facilidade por exemplo em obter obras da Cãmara... No que toca à Câmara, RR também obeteve mais votos que há 4anos,muitos mais, sendo natural porque havia mais eleitores mas obteve maior percentagem em muitas das freguesias mesmo que quase residual de 2,3,4%, mas que no final acho que correspondeu às expectativas, sendo em muitas freguesias mais forte que a lista apresentada á assembleia de Freguesia... acho que seria interessante até comparar resultados eleitorais e as inaugurações feitas nestes 15dias (de certeza há alguma coincidência). RR esperava certamente mais das semi rurais ou mesmo citadinas, onde aí sim se decidiram as eleições, Ferreiros,Dume, real, gualtar, das rurais talvez Sequeira,Adaúfe,(somem a diferença destas e terão quase a diferença. As freguesias rurais têm na maior parte menos de 1000eleitores e as diferenças mesmo quando grandes em percentagem correspondem a 100/200votos grande parte das vezes.

    ResponderEliminar
  7. A votação proporcional do PS para a Câmara Municipal de Braga aumentou nas duas maiores freguesias urbanas em relação a 2005:

    São Victor
    PS +0.7%
    Coligação + 0.6%

    São Lázaro
    PS +2.8%
    Coligação + 1.0%

    Como pode ver, o PS não só subiu, como até subiu mais do que a coligação nas duas maiores freguesias urbanas.

    ResponderEliminar
  8. O BE anda a esconder-se na teoria do voto útil para esconder a sua derrota. Naturalmente que o seu eleitorado das legislativas foi votou desta vez diferente, mas e se apenas tivesse votado diferente nos outros actos eleitorais?
    A questão não terá a ver com a essência do BE? É que se o BE é um voto de protesto, numas eleições como as autárquicas esse voto não faz sentido.
    Para desmentir que os votos do BE foram para a coligação basta estudar a votação de S. Victor para a a CM e para a AM. Fica claro que alguns (e não poucos) eleitores votaram Mesquita e BE para a AM. O mesmo terão feito alguns eleitores da CDU. Naturalmente que outros terão votado Ricardo Rio e para AM votado no BE (ou CDU), mas não é o voto útil na coligação que explica que o fraco resultado do BE.
    Quanto a Ricardo Rio há que reconhecer que fez um grande resultado, ainda que não tenha sido suficiente para derrotar o Mesquita Machado. As leituras de gabinete quanto às estratégias nas freguesias rurais valem o que valem, mas só quem não sabe o esforço necessário para virar um junta de freguesia em que luta voto a voto pode desvalorizar as vitórias. Curiosamente não sabia que Navarra tinha sido uma vitória folgada, pois trata-se de uma junta ganha pela coligação apenas em 2005.
    O resultado demonstra é que, contra tudo que era esperado, Mesquita Machado continua com a imagem intacta e entra para a história. Vai sair sem ser derrotado e só algo muito grave o impedirá de completar este mandato.
    Razão pela qual, discordando de muito do que diz, concordo que:"se notou que a imagem Mesquita Machado não está, afinal, tão desgastada como se pensaria; nem na malha urbana, nem na malha rural".

    ResponderEliminar
  9. Os dados referentes a São Vítor, os que verifiquei, estão errados, para a Câmara Municipal a subida da coligação foi de 15% e de 22% para a Assembleia de Freguesia.

    ResponderEliminar
  10. Já que se comenta a posição do BE sobre os resultados, seria bom que se conhecesse essa posição. É mais correcto, para não ficarmos pelo "eu penso de que"...

    http://blocobraga2009.blogspot.com/2009/10/bloco-de-braga-convida-eleitores-de.html

    ResponderEliminar

Antes de comentar leia sobre a nossa Política de Comentários.

"Mi vida en tus manos", um filme de Nuno Beato

Pesquisar no Avenida Central




Subscreva os Nossos Conteúdos
por Correio Electrónico


Contadores