Abaixo a Manuela, Pim!

| Partilhar
Porque discordo profundamente das políticas propostas na área da saúde, com um propositado discurso dúbio sobre a privatização e consequente enfraquecimento do Serviço Nacional de Saúde, nomeadamente nas áreas da oncologia, saúde mental, infecciologia e cuidados intensivos;

Porque discordo profundamente do desmantelamento progressivo do sistema público de Segurança Social, conforme substanciado com a abertura ao "plafonamento" do valor das contribuições e das pensões mais elevadas;

Porque discordo profundamente da visão do PSD para as obras públicas, excessivamente crítico da construção de uma rede de comboios de alta velocidade que cobre uma parte significativa do território, mas convenientemente conivente com a construção de um novo aeroporto para Lisboa;

Porque discordo profundamente das propostas atávicas e conservadoras sobre a família, numa visão que alimenta a exclusão, que mantém a discriminação, que instiga o preconceito e que impõe valores religiosos mesmo aos cidadãos que não têm religião;

Porque repudio a farsa do apoio eleitoralista aos professores e o taticismo com que retirou o apoio sempre reiterado às políticas do Ministério da Educação em matéria de avaliação dos docentes;

Porque repudio a inclusão dos amigaços arguidos nas listas do PSD em clara contradição com o discurso da verdade tão propalado e tão pouco cumprido;

Por tudo isto e porque representa a ala mais direitista e conversadora do PSD, considero que Manuela Ferreira Leite foi uma oportunidade perdida para o PSD e para o país.

15 comentários:

  1. Quase me apeteceria dizer que, porque discordo das tuas discordâncias, votarei PSD. Porque acredito nas propostas, nos ideais e na força do partido para renovar e promover o país. Porque o PSD é, neste momento, a única força política que poderá pôr fim à governação socrática e impedir, ao mesmo tempo, que acordemos na segunda-feira com a esquerda caviar e radical no poder. Por tudo isso, considero importante que no próximo Domingo os portugueses possam dar uma maioria parlamentar de centro direita a um país que não deve e não pode perder mais tempo para assumir um crescimento sustentado na Europa. Acredito que vá ser difícil, muito por culpa de quem insistentemente tentou transformar esta campanha, numa campanha de casos e conseguir transformar o país num caso sério de limitação das liberdades. Adensado ainda pela insistente deturpação (que também a fazer no teu post) sobre as políticas do PSD para Portugal.
    Parafraseando-te, considero que Manuela Ferreira Leite é uma oportunidade única para Portugal se reabilitar e para dizermos basta a mais anos de governação onde a imagem é mais importante do que as políticas, dominada pelo marketing e pelos fait-divers. O voto no PSD é o único que pode evitar que daqui a 2 anos voltemos a ter eleições legislativas.

    ResponderEliminar
  2. Pois, como apoiante do PSD, vacilei (e ainda vacilo) em quem votar.
    A votar no PSD, é apenas por MFL não ser Sócrates.

    Resta esperar que Sócrates não consiga governar, e que o PSD se "limpe" (para melhor, não para LFMenezes) e esperar pelas novas eleições. E isto é triste.

    ResponderEliminar
  3. Concordo subscrevo e só não assino porque não posso ;))

    eu asfixio, tu asfixias eles asfixiam , nós asfixiamos.

    http://bit.ly/94vef

    ResponderEliminar
  4. Ó Pedro ! Temos que mudar de Paradigma ! Estás a olhar só para as árvores

    ResponderEliminar
  5. "e que impõe valores religiosos mesmo aos cidadãos que não têm religião;"

    É preciso notar que a religião não está limitada a quem tem esses valores religiosos. Muitos seguidores de qualquer verdade absoluta ou pessoal não têm esses valores como obrigação. (Não falo por ninguém, mas há-los.)

    ResponderEliminar
  6. Qualquer pessoa que tenha passado pelo ensino superior, qualquer pessoa que tenha contactado com uns serviços académicos, ficou a conhecer o nosso PM no processo da sua "licenciatura".

    Nem está em questão o formalismo de ele existir, ou não existir. Está em questão como ela existe.

    Eu até posso concordar com alguns dos considerandos. No entanto, temo muito mais o dito licenciado. Tudo no seu CV demonstra um percepção estranha de ética. As assinaturas de favor, as negociatas de projectos, etc. É contra isso que vou votar Domingo.

    ResponderEliminar
  7. Dois artigos bem dispares, mostrando que esta Avenida é sem duvida uma excelente via. Muitos parabéns a todos os que dela fazem parte.
    Podendo concordar mais com um do que com outro, aflige-me dizer que a nossa democracia atingiu um ponto mínimo. Talvez o mais preocupante nesta aventura democrática de 35 anos. Reparem, ao ler os vossos artigos chego à conclusão de que a escolha para o próximo primeiro-ministro será baseada na não-escolha do seu principal opositor. É redutor é certo, mas é o que me apraz dizer neste momento.
    Avante! Domingo cá virei para ler o que o futuro me reserva.

    ResponderEliminar
  8. eu acho que daqui a doias anos estamos a discutir as eleições entre o passos coelho e o seguro.

    ResponderEliminar
  9. "Acredito que vá ser difícil, muito por culpa de quem insistentemente tentou transformar esta campanha, numa campanha de casos".

    Os casos das Escutas, da Asfixia...de as sondagens estarem viciadas porque as pessoas têm medo de dizer em quem vão votar...

    ResponderEliminar
  10. Tempo de meditação e exame de consciência...num País onde abundam os pobres, os mendigos e os mediocres.Votar sendo um dever cívico impõe responsabilidade na escolha.Neste periodo impõe-se escolher bem.

    ResponderEliminar
  11. Será a segunda vez que o digo, mas estou totalmente de acordo caro Pedro.

    Resta acrescentar que votarei PS/Sócrates e com toda a confiança.

    ResponderEliminar
  12. constato consternado que os argumentos aqui deixados por simpatizantes do PSD continuam a ser a calúnia (o diploma, etc.) e não argumentação de fundo.
    De qualquer maneira esta campanha terá sido a mais suja de sempre e a culpa incumbe sobre tudo a dois partidos : PSD e BE.
    Nenhuma argumentação e até pior, nenhum programa senão o retrocesso no plano social para os tempos de Marcelo Caetano, para o primeiro, e para os da "Dinamização Cultural" do segundo.
    Digo isto tanto mais à vontade que foram estes dois partidos que me convenceram a votar no PS, partido em que não tinha a mínima intenção de votar até há três meses atrás.
    Espero simplesmente que o partido que soube fazer o nosso excelente código civil (O PDS) volte a ser o legítimo representante da Social Democracia em Portugal e não o do Sarkoberlusconismo à moda da Dama que o dirige. E que o BE, que soube fazer uma oposição tão interessante e construtiva (este último termo é apreciação pessoal) corra de vez com os velhos caciques da UDP e troxkoblingbling lisboetas que o poluem.

    E, já agora, um motivo de satisfação: O PCP, que era o último partido estalinista da Europa, mostrou nesta campanha que, não somente sabe ser oposição como sabe sê-lo de maneira limpa e argumentada. Demonstrando uma evolução no sentido do debate com argumentos democráticos. Ainda bem.

    Por último, nesta campanha inaugurou-se pela primeira vez por parte dum partido parlamentar, a utilização da xenofobia como argumento eleitoral. quero falar mais uma vez da Dr. Manuela Ferreira Leite. Ora, aparentemente isso até lhe vai fazer perder votos.
    Se for verdade, será para mim (e espero que para todos), um motivo de orgulho em ser português.

    Tito Lívio Santos Mota
    Cavaleiro da Ordem do Infante D. Henrique pela mão de S. E. o Sr. P. R. Aníbal Cavaco Silva

    ResponderEliminar
  13. Nem sei se o problema estará aí. O problema reside no facto de que Manuela Ferreira Leite (& Cia & amigalhaços) pertencem (e pensam) a um tempo muito, mas muito longínquo. Isso sim, é de meter medo.

    ResponderEliminar
  14. paradigma:

    um partido criado por pessoas que se opuseram a Marcelo Caetano em 1971, apresenta em 2009 o mesmo programa socio-económico que Marcelo Caetano apresentou em 1972.

    Pobre Social Democracia. Onde te meteste?

    Tito Livio Santos Mota

    ResponderEliminar

Antes de comentar leia sobre a nossa Política de Comentários.

"Mi vida en tus manos", um filme de Nuno Beato

Pesquisar no Avenida Central




Subscreva os Nossos Conteúdos
por Correio Electrónico


Contadores