O Tâmega | 2

| Partilhar
Photobucket
© Dario Silva

Cinquenta quilómetros depois de deixar a Livração, e pouco mais de 60 anos após a viagem que apresentou o comboio ao Arco de Baúlhe, a Linha do Tâmega faz-se agora trespassar pela A7, num remate perpendicular ao concelho de Cabeceiras; a construção de vias de comunicação terrestres implica sempre o restabelecimento de outras vias já existentes. Tal é o caso.
Assim, a Linha do Tâmega, o Arco de Baúlhe e o concelho de Cabeceiras de Basto vão - novamente - marcar pontos na história ferroviária portuguesa.

- nesta ponte ferroviária nunca há-de passar um comboio (nada de anormal, várias outras pontes ferroviárias não foram nunca inauguradas, mercê o perecimento precoce de alguns projectos);
- esta ponte ferroviária, construída 18 anos depois do encerramento da via que a atravessa, vai ser inaugurada por bicicletas, lá virá o dia.

Declaração de interesses: nada tenho contra as auto-estradas nem contras as bicicletas! Da Linha do Tâmega só tenho... pena.

0 Comentários

Enviar um comentário

Antes de comentar leia sobre a nossa Política de Comentários.

"Mi vida en tus manos", um filme de Nuno Beato

Pesquisar no Avenida Central




Subscreva os Nossos Conteúdos
por Correio Electrónico


Contadores