Sisudos

| Partilhar

© CDS

A três meses das eleições legislativas, o CDS-PP apresenta hoje uma moção de censura o Governo.

Paralelamente, o PSD não afirma concretamente a forte possibilidade de coligação pós-eleitoral. Não afirma, mas firma hoje essa fortíssima possibilidade. Não a critico, mas prefiro que um partido seja absolutamente claro quanto a essa possibilidade, ainda que tenha de recorrer a cenários. É mais transparente e não dá tanto aquela ideia de que anda a brincar com legos. Políticas de verdade, dizem.

7 comentários:

  1. Que façam isso. Que aproveitem e ponham o Durão a secretário geral. Se, por algum motivo, ele não puder cumprir o mandato até ao fim, metem lá o Santana. Acho uma boa estratégia.

    Acho também que já vi este filme.

    Posso contar o fim? Nos 4 anos seguintes o PSD muda de secretário geral 4 vezes, mas, no fim, acha que consegue governar um país, coligando-se ao Partido do Portas. O PP deixa o Portas ir de férias por uns tempos e deixa-o voltar quando lhe der na telha.

    ResponderEliminar
  2. E se a Moção de Censura fosse aprovada?

    Seria a maior jogada política em Portugal quiçá da Europa, pelo menos.

    ResponderEliminar
  3. «Seria a maior jogada política em Portugal quiçá da Europa, pelo menos.»

    Os deputados são comandados para votar num ou noutro sentido, em bloco. Se tivessem autonomia, até podia acontecer. Mas já se sabe que não é assim.

    ResponderEliminar
  4. Partidarites à parte, ali no cartaz diz "soluções sérias para Portugal".

    Ora bem, isto quer dizer exactamente o quê?

    ResponderEliminar
  5. Já aconteceu uma moção de censura derrubar um Governo em Portugal. O resultado foi a primeira maioria absoluta da história da nossa democracia, reforçando imenso o capital político do Primeiro-Ministro censurado. Portugal, 1987.

    Não creio que o PSD vá fazer uma coligação pré-eleitoral. Tal não faz sequer sentido no cenário actual. Senão vejamos, em 2004 o PSD-PP concorreram coligados às eleições europeias. Em 2009, os dois partidos em separado conseguiram quase mais 10% do que obtiveram nas eleições anteriores. Para além disso, são partidos distintos com propostas distintas e formas de estar muito diferentes. Mas são no panorama político português, os dois partidos mais compatíveis para soluções governativas. Daí a possibilidade de se coligarem depois das eleições, como já fizeram várias vezes no passado.

    Mas esta discussão tem igual valor à da possibilidade de um Governo de Bloco Central, discussão que "assolou" o país há uns dois meses atrás. Ou seja, não tem valor nenhum, é estéril.

    ResponderEliminar
  6. A Moção de Censura para ser aprovada necessitava de todos os votos da oposição.
    Mas como o BE e a CDU não querem estar contra o PS, preferem estar à espreita de uma possivel coligação, assim ficou tudo na mesma.
    Do mesmo modo, quem propos a Moção não trouxe argumentos novos, já a podia ter apresentado à 3 meses atrás e assim teriamos as eleições europeias e legislativas no mesmo dia.

    ResponderEliminar
  7. Adicione o meu blogue, Ser(vir) Portugal. www.servirportugal.blogspot.com

    ResponderEliminar

Antes de comentar leia sobre a nossa Política de Comentários.

"Mi vida en tus manos", um filme de Nuno Beato

Pesquisar no Avenida Central




Subscreva os Nossos Conteúdos
por Correio Electrónico


Contadores