Acontece no Minho [21]

| Partilhar
Rita Redshoes ***
© Arco-Íris Mágico

Numa semana em que o Centro Cultural Vila Flor está fora das nossas sugestões por apresentar propostas culturais carregadas de fumo, o Braga Jazz 2009 está em destaque no Avenida Central. O quarteto André Fernandes, o quinteto Dual Identity e o sexteto Gianluigi Trovesi são as propostas para hoje, amanhã e depois. É Jazz, é Braga!

Quarteto André Fernandes (braga jazz)
[5 de Março, 22h. Theatro Circo, Braga]
André Fernandes apresenta-se com o pianista Mário Laginha, o contrabaixista Nelson Cascais e o baterista Alexandre Frazão.

Quinteto Dual Identity (braga jazz)
[6 de Março, 22h. Theatro Circo, Braga]
Os Dual Identity são um grupo de jovens estrelas do Jazz contemporâneo nova-iorquino que define muitos dos novos caminhos do Jazz numa inteligente ligação entre composição e improvisação. O quinteto Dual Identity é dirigido por Rudresh Mahanthappa e Steve Lehman, ambos líderes dos seus próprios grupos, com enorme notabilidade internacional, e ambos votados como "Rising Stars of the Alto Saxophone" pelos críticos internacionais da revista Downbeat. Rudresh e Steve são reconhecidos como as mais importantes novas figuras do saxofone alto.

Rita Redshoes (música)
[6 de Março, 22h. Casa das Artes, Arcos de Valdevez]
Rita Redshoes (na fotografia) é a quinta convidada da sétima Mostra de Música Moderna de Arcos de Valdevez. O Festival Sons Vez é já uma referência no panorama cultural do Alto Minho.

Sexteto Gianluigi Trovesi (braga jazz)
[7 de Março, 22h. Theatro Circo, Braga]
Gianluigi Trovesi realizou o mais difícil dos desafios, não somente para um jazzman, ou um músico, mas para todo o artista, ou seja, ser capaz de criar um mundo musical que fosse imediatamente reconhecível e completamente original ao mesmo tempo. Trovesi,
apesar de ter despontado tardiamente para a música possui um currículo impressionante, cheio de projectos, concertos e gravações. Um regresso (Trovesi esteve entre nós no ano 2000) que se aguarda com uma enorme ansiedade.

Simon Bookish (música)
[7 de Março, 21h30m. Casa das Artes, Vila Nova de Famalicão]
Leo Chadburn, mais conhecido como Simon Bookish, vem à Casa das Artes – palco de muitos imprevistos – apresentar o seu mais recente longa duração, o super aclamado “Everything / Everything” – Um instantâneo Electro-Pop onde o improviso ultrapassa o rigor do planeado. Para muitos, este novo álbum representa a afirmação definitiva de Simon Bookish enquanto compositor e cantor.

Erica Buettner (música)
[7 de Março, 22h30m. Velha-a-Branca, Braga]

Ao convocar referências de um passado distante, seja um vinyl de Joan Baez ou uma gravação perdida de Nico, Erica Buettner pretende perpetuar o seu legado. O registo intimista encerra a memória da folk enquanto expressão de um autor preso à solidão do palco. A melancolia que percorre a sua escrita e cada uma das faixas que interpreta é também ela portadora de uma dimensão narrativa que encontra na sua voz e na guitarra a sua companhia.

4 comentários:

  1. É a primeira vez que gosto de alguém vestido de vermelho neste blog :)

    ResponderEliminar
  2. Vi o André Fernandes na Culturgest e recomendo vivamente ;)

    ResponderEliminar
  3. Deixo aqui também uma sugestao para hoje à noite (06/03) na rúbrica "Acontece no Minho" (nao é jazz, mas penso que merece toda a atençao na mesma!):
    http://violinopiano.blogspot.com/2009/02/recital-nuno-amaia.html

    Um beijinho, e continuem a dar-nos boas sugestoes!

    ResponderEliminar
  4. E então o Legendary Tigerman que sobe ao palco daqui a uma hora no São Mamede em Guimarães?

    ResponderEliminar

Antes de comentar leia sobre a nossa Política de Comentários.

"Mi vida en tus manos", um filme de Nuno Beato

Pesquisar no Avenida Central




Subscreva os Nossos Conteúdos
por Correio Electrónico


Contadores