Autárquicas 2009: Braga a Aquecer [2]

| Partilhar
O Correio da Manhã dedica a capa e uma extensa reportagem à «fortuna de milhões» do Presidente da Câmara de Braga, Mesquita Machado. A este propósito, Eduardo Dâmaso escreve sobre a «democracia formal» e Ademar Santos publica vários documentos (1, 2, 3) sobre os negócios do autarca.

8 comentários:

  1. Com o devido respeito, transcreve-se a opinião do Director Adjunto do Jornal Correio da Manhã:

    "Dia a dia
    Democracia formal
    O caso que o CM hoje publica sobre uma investigação ao presidente da Câmara de Braga, Mesquita Machado, é exemplar sobre aquilo que a nossa Justiça não alcança e por que não alcança. Uma investigação ao património do autarca, no poder há 32 anos, demorou oito anos mas não chegou a conclusão nenhuma.

    Melhor: concluiu que o enriquecimento de Mesquita tem muitas zonas de sombra mas não consegue atribuir-lhe uma origem ilícita. Tudo isto apesar dos factos do processo e das ligações perigosas a empreiteiros, onde avulta a Bragaparques. Suspeitas de corrupção, tráfico de influências e outros indícios perpassam pelo inquérito, na tentativa de explicar o património de Mesquita, mas a Justiça não chegou a lado nenhum. E não chegou porque a possibilidade de atingir este tipo de interesses está absolutamente blindada na Lei e nos meios de investigação.

    Não há crime de enriquecimento ilícito em Portugal e é impossível provar, neste tipo de casos, uma relação directa entre um favor no domínio da decisão política e o recebimento de uma contrapartida. A corrupção em Portugal funciona de forma totalmente diferente do espírito das leis existentes – mas como todos preferem viver nesta podre democracia formal do que partir a louça, cá vamos cantando e rindo, como se tudo estivesse bem no podre reino da Dinamarca.
    Eduardo Dâmaso, director-adjunto

    Perante isto, pergunta-se:
    Será que o Ministério Público vai abrir um inquérito interno para saber:
    1-a razão de tanta demora 8 ANOS!!!) e
    2-Será o DElegado do Min Público foi diligente e isento?

    ResponderEliminar
  2. Porque será que estes gajos são sempre absolvidos por falta de provas e nunca por inocência

    A corrupção existe, não pode é ser provada.

    ResponderEliminar
  3. A corrupção existe e é provada, as provas não podem é ser utilizadas em tribunal, o que é diferente.

    Por exemplo, uma escuta só é válida quando um juiz autoriza, palminhas... no fim isto só resulta, no constante ilibar dos tubarões, enquanto os pés-rapados continuam a ser julgados.

    ResponderEliminar
  4. Os meus parabéns é para o jornalismo sério, aquele que verdadeiramente investiga!!! Portugal precisa muito disso!!

    ResponderEliminar
  5. É impressão minha ou este assunto que esgotou o Correio da Manhã na cidade está a ter aqui no blog um tratamento especialmente discreto?!

    ResponderEliminar
  6. E só "agora" é que descobriram a polvora.? Como é possível que" O Correio do Minho" se tenha deixado ultrapassar pelo Correio da Manhã? Não credito...............lol

    ResponderEliminar
  7. Caro anónimo (18:36),

    É impressão minha ou este assunto que esgotou o Correio da Manhã na cidade está a ter nos blogs Braga 2009 e Geração Braga 2009 um tratamento especialmente discreto?!

    ResponderEliminar
  8. eheh... é natural que o jornal tenha aparentemente "esgotado" nas bancas da cidade e arredores!!!! desde sábado até hoje...
    Pois, diz quem sabe (um passarinho me contou) que a indicação (de alguém para outros alguéns) era essa, ou seja, comprar tudo o que fosse correio da manhã logo que chegassem às bancas. E assim foi. Um amigo meu tb constatou isso e, mais, teve de ir ao Porto para conseguir um exemplar... eheh!!!

    ResponderEliminar

Antes de comentar leia sobre a nossa Política de Comentários.

"Mi vida en tus manos", um filme de Nuno Beato

Pesquisar no Avenida Central




Subscreva os Nossos Conteúdos
por Correio Electrónico


Contadores