Os «Novos» Autocarros dos TUB

| Partilhar
Autocarros STCP na Garagem dos TUB

Esta fotografia veio parar à caixa de correio do blogue Avenida Central e mostra, segundo nos contam, três autocarros que vão reforçar a frota dos TUB e que chegaram à cidade de Braga no passado dia 29 de Outubro. São autocarros de 1993 que, pelos vistos, já não servem para transportar os utentes dos STCP, mas que irão estar ao serviço dos bracarenses.

18 comentários:

  1. A cavalo dado não se olha o dente. Não é assim que dizem?

    ResponderEliminar
  2. Como é que os Tub podem comprar essa sucata, se têm de fazer concursos públicos. Mas, o Vitor lá sabe.

    ResponderEliminar
  3. Esta empresa até tem um funcionamento que faz rir os utilizadores dos transportes.
    Para além dos muito "novos" autocarros que faz circular pelas ruas da cidade, estreou no sábado uma nova imagem. O curioso é que obriga os utentes a mudarem de passes e obriga-os também a pagar os novos passes caso os antigos tenham mais de dois anos...São cinco euros e cinquenta cêntimos a mais do que o valor mensal. É uma grande manobra para arrecadar uns trocados.Chega mesmo a ser desonesto com os que dependem dos serviços prestados pela TUB para se deslocarem para trabalhar, estudar, etc.Eu não me lembro de ter pedido para ser alterada a imagem dos passes.. alguém se lembra?

    ResponderEliminar
  4. "Como é que os Tub podem comprar essa sucata"

    Um autocarro urbano com 15 anos de idade (e tradicionalmente bem mantidos pela STCP) ainda pode dar muito fogo.
    A idade é um posto, pá!

    Saber que os há com 40 anos* em empresas privadas poderia assustar muita gente...

    * e em serviço, claro.

    ResponderEliminar
  5. dario,

    a questão é: se nao servem pó porto porque é que servem pa braga?

    ResponderEliminar
  6. "se nao servem pó porto"

    Boa questão.
    Várias hipóteses de resposta:

    (podem escolher várias opções ou podem escolhê-las a todas)

    - A STCP é directamente financiada pelo Estado (nós);

    - A STCP tem uma idade de frota notavelmente baixa;

    - A STCP, para além de funcionar de forma subordinada ao meio ferroviário, tem uma frota ambientalmente cada vez mais admirável?

    - A STCP é uma empresa muito dinâmica, integradora de várias tecnologias de ponta (inclusive de concepção nacional) e integra, com mérito um sistema supra-citadino de transportes;

    - A STCP é bem considerada pelos seus utilizadores;

    - A STCP é "um senhor";


    declaração de interesses: sou apenas utilizador ocasional dos serviços daquela empresa.

    ResponderEliminar
  7. caro anónimo,

    Isto é o mesmo quando alguem compra um carro usado...Não serve ao antigo dono, mas serve a pessoa que o adquiriu por um preço mais baixo...

    Um autocarro novo não é barato..

    ResponderEliminar
  8. Caro Salem,

    O problema aqui é que todos são pagos com os nossos impostos. Já imaginou o que seria se enviassem as camas velhas do Hospital de S. João para servir no Hospital de Sta Luzia???

    ResponderEliminar
  9. Não me digam que isto é mais uma tentativa de subordinação/ humilhação por parte dos portuenses aos ilustríssimos bracarenses... Será que foram (os autocarros) trocados por géneros alimentícios ou moedas de cobre? Se enviassem um movido a gás onde é que o iam atestar?
    Há uns anos ofereceram os troleis à cidade de Coimbra que por acaso ficou bastante agradecida.
    Mas podem sempre ir cravar uns cacilheiros à capital.

    ResponderEliminar
  10. sr anonimo das 02.03 nao se queira armar em fino quando nao tem conhecimento. Para sua imformaçao a Cidade de BRAGA foi a primeira a ter na frota autucarros a gas natural.
    a gente q calada é tao inteligente.

    ResponderEliminar
  11. A SCTP não é a TUB. Quem nos dera que a TUB fosse metade (refiro-me a tudo excepto ao número de veículos) da SCTP, nem peço igual.
    Por exemplo, a TUB mandou para a sucata veículos com 20 anos, mas está a comprar à SCTP veículos com 20 anos (articulados). Isto só demonstra a manutenção que a TUB faz na sua frota. Ou seja, uma valente...
    O que a TUB precisa é de uma renovação de dirigentes.

    ResponderEliminar
  12. eu (utilizador relativamente frequente dos TUB, apesar de portuense) julgo que muito mais importante do que discutir a idade dos autocarros (se são da STCP são bons, bem conservados e relativamente novos), seria discutir a criação de corredores bus nas ruas da cidade e disciplinar o trânsito absolutamente caótico e desordenado para que fosse possível atravessar a cidade a bordo de um autocarro num tempo minimamente decente. isto se os vossos pruridos de paróquia vos deixarem. ahh... e deixem os popós em casa sempre que tenham uma linha de autocarro à porta. não vos caem os parentes na lama se o fizerem. faziam um grande favor à paróquia e ao mundo

    ResponderEliminar
  13. "criação de corredores bus nas ruas da cidade e disciplinar o trânsito absolutamente caótico e desordenado"


    Isto é perigosíssimo: mexer na condição intocável do sr. automóvel......
    Como que a fazer lembrar o relato verídico a propósito da criação do Metro de Almada "se cortarem a rua para passar o metro, onde é que eu vou estacionar o meu jipe?"....
    Entretanto, os TUB continuarão a fazer um louvável serviço cidade-paróquias. Quedêmo-nos em admiração.

    ResponderEliminar
  14. E por falar em autocarros "velhos": em Figueira de Castelo Rodrigo opera a empresa Lopes & Filhos.
    Possui uma frota de meia dúzia de autocarros.
    Um deles, de fabrico italiano e modelo único em Portugal, já deve andar perto dos 45 anos de idade.
    Não é um autocarro financiado por ninguém que não o dinheiro dos bilhetes vendidos.

    À chegada de quase todos os cinco comboios diários na estação do Pocinho (a seis km de Foz Côa), lá está o autocarro à espera, em jeito de "interface multimodal" espontâneo e necessário. A viagem começa em direcção a Foz Côa, Figueira e Barca d'Alva e regresso. Para Torre de Moncorvo a "viagem combinada" vai sendo assegurada por outra empresa quase familiar.

    Excepto aos fins-de-semana, os passageiros da Linha do Douro sabem que têm um autocarro no Pocinho à sua espera, um autocarro velhinho e não-financiado.

    Não queima gpl nem tem direito a mordomias esquisitas e tecnológicas nem direito a faixa bus nem apresentações à cidade... é apenas um autocarro.
    Não dá votos nem vai a festas.

    ResponderEliminar
  15. Entre ter autocarros novos de 1980 a circular e autocarros usados de 1993 (embora ache que os dos TUB sejam de 1995)... o que preferem?

    Em 1ª mão e velho ou em 2ª mão meia-idade? À falta de melhor, sejamos um bocadinho inteligentes no raciocínio.

    Ninguém falou nos 23 autocarros NOVOS adquiridos pelos TUB entre 2003 e 2008... (5 em 2003, 5 em 2005, 8 em 2007 e 5 já em 2008...)

    Crítica fácil, bah.

    ResponderEliminar
  16. isto e uma vergonha...em vex de investir em autocarros em condições vao buscar sucata ao estrangeiro 15 anos e mais...ate deviam proibir isso....em vex de condtruir uma frota em condições... e por isso k o pais nau vai a lado nenhum..

    ResponderEliminar
  17. pessoal a stcp foi muito estupida em ter despachado essa frota como a dos articulados e aasim sucessivamente porque esses 3 que braga comprou tem os motores como novos e ainda estao ai pras curvas nao é como esta merda (desculpem a expressao mas é mesmo assim) dos novos autocarros a gas e frota dos mercedes com números de série 21xx que por acaso ja nao sao os 1º que vejo a entrar na estação de recolha e com peças dos motores a cair os passageiros em vez de conforto têm desconforto os motoristas podem ter + conforto mas a segurança reduziu e muito enquanto quem andava com os antigos podia dizer que pegava no autocarro me sabia que levava uma coisa boa e sabia que chegava ao destino, nao e como agora que uma pessoa tanto como motororistas ou passagageiros que vao nos novos e nao sabem se chegam ao destino...


    por isso antes de falarem a dizer que esses autocarros sao merda pensem na merda nova que a stcp tem

    ResponderEliminar
  18. caro leitores.sao maquinas de trabalho

    ResponderEliminar

Antes de comentar leia sobre a nossa Política de Comentários.

"Mi vida en tus manos", um filme de Nuno Beato

Pesquisar no Avenida Central




Subscreva os Nossos Conteúdos
por Correio Electrónico


Contadores