| Partilhar

Braga: "Questão Que Eu Tenho Comigo Mesmo". Vim para cá viver há 50 anos. Em 1964, feito o liceu, fui para Coimbra, onde me formei em todos os sentidos e me mantive cerca de 10 anos, com ligeiras variantes. Regressei nos finais do ano glorioso de 74, comecei a trabalhar na Universidade do Minho, rapidamente me envolvi no combate interminável pelo salvamento de Bracara Augusta. Ajudei a fundar a ASPA, na qual sempre me revejo e onde orgulhosamente milito até hoje, tentando participar no salvamento de Braga – por isso também fui deputado municipal pela CDU (saí por causa da ASPA e de outras coisas), hoje estou com o Bloco de Esquerda, colaborando como posso.

Porquê, se o desencanto é cada vez maior? Por vezes não sei mesmo se gosto de Braga (aqui me casei, aqui me nasceu um filho, aqui morreu meu pai), mas se não gostasse certamente há muito teria desistido e teria uma vida mais sossegada. Mas, e a inquietação?

Braga, a Braga do poder dito “socialista”, escorre corrupção, jogos de interesse, compadrios, caciquismo, insensibilidade cultural, parolice, mau gosto. Acredito que existe efectivamente um polvo poderoso, com tentáculos fortíssimos, que tudo vai envolvendo, a todos tenta corroer e esmagar. Mas há sempre alguém que resiste e blogues como este são uma arma atenta, crítica e interventiva que ajudam a lutar contra as forças do mal que nos querem asfixiar. Tenho sempre a esperança de que um dia as polícias e os tribunais possam efectivamente actuar.

Gosto de Braga? Volto ao Alexandre O’Neill: Braga, “meu remorso, meu remorso de todos nós…”

[Henrique Barreto Nunes é Director da Biblioteca Pública de Braga]

2 comentários:

  1. O que o HBNunes escreve aqui sobre Braga traduz exactamente o meu sentimento por esta cidade, onde até nasci... Por que será que não conseguimos inverter esta enorme sensação de desencanto e frustração por ver a nossa cidade cada vez mais desleixada e entregue aos interesses do enorme "parolismo" que infesta as "cabeças" mandantes da nossa urbe? Obrigada ao HBN e a este blog tão acutilante!!!

    ResponderEliminar
  2. Um abraço forte ao grande amigo Henrique do seu vizinho vimaranense e cidadão do mundo J. Casimiro

    ResponderEliminar

Antes de comentar leia sobre a nossa Política de Comentários.

"Mi vida en tus manos", um filme de Nuno Beato

Pesquisar no Avenida Central




Subscreva os Nossos Conteúdos
por Correio Electrónico


Contadores