Coimbra: Um Passo à Frente

| Partilhar
Metro apresentado em Paris.

14 comentários:

  1. Já se ouve falar no Metro Mondego à mais de 10 anos. Mas a alavanca que permite a viabilidade do Metro Mondego é a requalificação do ramal da Lousã. Se não fosse este detalhe o Metro Mondego não passava de uma miragem a médio prazo.
    A situação de Braga é diferente, quer a nível local e regional. Em Braga é preferivel uma rede de ligth rail em linha dedicada (tal como o dito metro Mondego/Margem Sul/Porto) para o interior da cidade e arredores (Celeirós, Amares e Vila Verde). E, comboio normal (pesado) para Barcelos e Guimarães, oferecendo a possibilidade de continuar para Viana e Porto (bom seria uma linha de Vizela para Felgueiras, Penafiel, linha do Douro) respectivamente.
    Enquanto em Coimbra apenas a pequena linha do Hospital é nova (uma rede centrada em Coimbra), no caso de Braga é tudo novo (com uma rede a nível regional), e a factura a disparar...

    ResponderEliminar
  2. Coimbra está um passo à frente pela razão simples de que nunca dispensou a sua rede de troleicarros embora se tenha "livrado" dos eléctricos.
    Ora, Braga livrou-se dos eléctricos e também dos tróleis.

    O "metro do Mondego" não vai além do conceito "metro do Porto": será um sistema ferroviário "ligeiro" citadino e suburbano assente maioritariamente num eixo ferroviário existente (a Linha da Lousã - http://ocomboio.net/pages/linha_lousa.html).
    Terá uma componente estritamente "urbana" (tanto quanto o Metro do Porto o é dentro de Matosinhos, por exemplo) e terá uma componente suburbana - além do actual apeadeiro de São José, no Solum, em direcção a Miranda do Corvo e Lousã.
    Existe contestação nesta matéria por muita gente se opõe à "troca" da solução "comboio" pela solução "metro ligeiro" na parte suburbana daquela ligação.
    É um pouco como, no caso do Porto, a Linha da Póvoa ter a circular veículos "ligeiros", com imensas paragens e ao longo de 26 km, ao lado de uma via rápida gratuita (sol de pouca dura).
    No caso do eixo Porto-Póvoa, a actual ligação em "metro ligeiro", não obstante ter muitas mais paragens junto de mais localidades, demora apena três minutos menos que os comboios a vapor em 1927 ("Itinerário dos Comboios Porto-Póvoa-Famalicão - 1907" - http://ocomboio.net/bdf/itinerario-dos-comboios-ppf-1907-online-tomo1.pdf)

    E ainda: http://www.metromondego.pt/

    Dario Silva.

    ResponderEliminar
  3. Novamente o Metro e o electrico...Triste sina!

    ResponderEliminar
  4. Talvez um dia V.Verde tenha Metro e chegue a Braga.

    ResponderEliminar
  5. Caríssimos,

    este assunto já cheira mal...

    O Metro do Mondego, assim como o Metro do Sul do Tejo, ou a linha da Póvoa (Metro do Porto) são um bom exemplo, de facto, mas apenas daquilo que não se deve fazer.

    Não é por acaso que o Metro para Coimbra já se fala desde finais dos anos 80 e ainda não saiu do papel...

    São três elefantes brancos meus amigos! Para um país pobre não está mal...

    Digam mas é aos Senhores que mandam neste país para investir a sério nos autocarros.

    Verdadeira parolice é querer ter logo um Ferrari sem nunca ter andado de carro.

    Invistam nos autocarros! (fica muito mais baratinho, garanto-vos...).

    Em vez de andarem a armar-se em peritos em transportes massacrem mas é o Governo para dar mais apoios aos transportes do resto do país à semelhança do que dão a Lisboa e Porto.

    Garanto-vos que resolvia muito problema de mobilidade... E não é preciso ser-se muito inteligente para perceber isso...

    E já que há tantos peritos de transportes neste fórum, apenas deixo uma frase de alguém que percebe um pouco disto, (certamente não tanto como vós...), o Eng. Silva Peneda:

    "Se querem verdadeiros ganhos ambientais, energéticos e de mobilidade, comprem o autocarro mais poluente que exista á face da terra e obriguem 50 pessoas a trocarem a viagem no seu carro individual pela viagem neste autocarro."

    Simples não é?

    Está tudo dito.

    ResponderEliminar
  6. "Se querem verdadeiros ganhos ambientais, energéticos e de mobilidade, comprem o autocarro mais poluente que exista á face da terra e obriguem 50 pessoas a trocarem a viagem no seu carro individual pela viagem neste autocarro."

    Nunca esquecendo que é possível ir mais longe: tirem 300 pessoas da A3 Braga-Porto e metam-nas num comboio.
    Metam 2,400 pessoas num comboio e atravessem o Tejo.

    Só tem uma chatice: todas estas pessoas vão deixar de pagar portagens, parque de estacionamento e imposto sobre os produtos petrolíferos. O que também pode ser muito chato...

    Cada coisa no seu lugar.

    ResponderEliminar
  7. eu realmente não percebo este fanatismo pelo metro, será que isso melhoraria a nossa vida??? eu duvido.
    penso que neste momento braga não está preparada para receber semelhante envestimento, que mais não daria num grande fiasco.

    a camara que aposte nos TUB que essa empresa merece, pois precisamos de autocarros novos e já, não daquelas chicolateiras que por ai andam...

    ResponderEliminar
  8. eu realmente não percebo este fanatismo pelo metro, será que isso melhoraria a nossa vida??? eu duvido.
    penso que neste momento braga não está preparada para receber semelhante envestimento, que mais não daria num grande fiasco.

    a camara que aposte nos TUB que essa empresa merece, pois precisamos de autocarros novos e já, não daquelas chicolateiras que por ai andam...

    ResponderEliminar
  9. Sejamos claros.O Metro, o eléctrico, o comboio são coisas do passado e do presente que devíamos ter a servir com qualidade, rapidez, pontualidade e quantidade.É tempo de gerir recursos, olhar pelo ambiente e qualidade de vida, ao mesmo tempo que poupamos Euros.Permanecer na actual apatia da cidade sem alternativas a autocarros morosos, caros e poluentes é que me parece recuar aos Anos 70.Falar do progresso e desjar o melhor para a cidade, desculpem mas é evolução.

    ResponderEliminar
  10. Venham as energias alternativas porque por cá estamos à espera do mais sofisticado.Queriam agora que conservadores optassem por ideias actuais? Nada disso...vamos ter alternativas quando surgirem carros eléctricos e depois energias modernas com visão de futuro.Braga fará questão de ser um exemplo no futuro.Braga está atenta à evolução nos transportes, para cá só virá o que for mais avançado na Europa.Esperem para ver.

    ResponderEliminar
  11. Já não temos carroças e carros de bois na cidade, temos muitos animais, mas nada igual ao passado.Copiar Lisboa ou Porto seria um erro.Vamos pedir coisa diferente algo que os outros ainda não possuam.As ideias demoram mas vamos ser pacientes, os nossos Autarcas onde ter ideias!

    ResponderEliminar
  12. Braga necessita dum Teleférico do Sameiro para a cidade.Dum eléctrico da Estação ao Bom Jesus e da estação CP até S. Victor com passagem pela Arcada e Senhora a branca.Necessita de metro da estação CP até Univ. Minho, com passagem por Rodoviária e F. Nova.Precisa de Parques da Camara nas entradas da cidade a preços simbólicos, com ligações ao Centro.

    ResponderEliminar
  13. Aguardo serenamente a próxima campanha eleitoral, certo o tema transportes fará parte de todos os programas.Metro, eléctrico, comboio, teleférico e Tubs...vão ser tema.Oxalá a cidade e os cidadãos lucrem alguma coisa.

    ResponderEliminar
  14. Braga, um passo atrás. Motivo os transportes que não tem.

    ResponderEliminar

Antes de comentar leia sobre a nossa Política de Comentários.

"Mi vida en tus manos", um filme de Nuno Beato

Pesquisar no Avenida Central




Subscreva os Nossos Conteúdos
por Correio Electrónico


Contadores