Trio de Blogues, no Rádio Clube

| Partilhar
.

Comboios, portagens e desemprego em debate.

20 comentários:

  1. «Ter autoestradas é melhor que não ter...» Ora valha-nos deus... Para dizer uma coisa destas não é preciso tirar um curso superior...

    ResponderEliminar
  2. Autoestradas,Comboios Rápidos,Clinicas privadas, ETcEtc...são espaços previlegiados para quem tem maior poder económico, significa evidentemente progresso e evolução.Perante isto ouso perguntar se os portugueses ( falamos de milhões de pessoas) com posses reduzidas, desempregados e com salários minimos e mesmo assim em atraso, não valorizam mais um prato de sopa, um pão para os filhos, uma consulta em oftalmologia ou noutra qualquer especialidade, um Hospital e um Centro de saúde para apoio à doença, um lar para os acolher na velhice, uma escola para educar os filhos...Demagogia...Talvez, mas com uma certeza, nada justifica prioridades dessas, quando muito à a fazer em prol dos mais necessitados e da estabilidade social.O povo que elege é o mesmo que vive mal e não merece dos politicos senão um beijo em tempo de eleições...

    ResponderEliminar
  3. Comboios...óptimo reduzir ao tempo de viagem Braga /Porto, porém nunca esqueçam os horários e paragens para quem trabalha na cidade e arredores, é que alterar para pior já chega assim.Recordo mais uma vez e sem pretender ser maçudo que, os residentes nas localidades perto de Braga onde circula e passa o comboio, têm por vezes comboios apenas de 2 em 2 ou 3 em três horas ao fim de semana enos dias úteis de hora a hora.Também lembro que da estação ao centro da cidade surge um percurso que demora 15 a 20 minutos e ainda que chegar ao Tribunal, Universidade, Segurança social ou escolas, pode demorar, mesmo de autocarro qualquer coisa como 30 a 40 minutos...Seria bom estes pequenos pormenores não fossem esquecidos.Questão diferente é serem assinadas pretensões na Universidade e cafés por tantos jovens e adultos que na maior parte dos casos nunca andaram de comboio, desculpem mas isto é o que se chama uma falácia.Sou a favor de comboios mais rápidos mas lutemos com boa fé.

    ResponderEliminar
  4. Acabo de ouvir na TV que podem reformar-se funcionários públicos com 33 anos de serviço com penalização de 4 por cento, que raio de País este em que eu copm 42 de descontos e 62 de idade tenho de trabalhar mais um ano ou serei lesado em 6,5 por cento! Alguém me explica?

    ResponderEliminar
  5. Acabo de ouvir na TV que podem reformar-se funcionários públicos com 33 anos de serviço com penalização de 4 por cento, que raio de País este em que eu copm 42 de descontos e 62 de idade tenho de trabalhar mais um ano ou serei lesado em 6,5 por cento! Alguém me explica?

    ResponderEliminar
  6. Acabo de ouvir na TV que podem reformar-se funcionários públicos com 33 anos de serviço com penalização de 4 por cento, que raio de País este em que eu copm 42 de descontos e 62 de idade tenho de trabalhar mais um ano ou serei lesado em 6,5 por cento! Alguém me explica?

    ResponderEliminar
  7. Nada que espante, é sabido que no Sector privado tudo é contra o trabalhador que não tem quem o defenda.Quanto a leis à medida dos interesses do Governo, sucede que só dando alguns rebuçados aos funcionários públicos se conseguem votos e resolver com reformas o que não conseguiu com a lei, reduzir mais 70000 postos de trabslho na função pública.

    ResponderEliminar
  8. "Autoestradas,Comboios Rápidos,Clinicas privadas, ETcEtc...são espaços previlegiados para quem tem maior poder económico"

    Comboios rápidos para privilegiados e ricos?
    ah?
    Não percebo a ligação entre um serviço ferroviário público e serviços privados ou auto-estradas...

    Acha que 2,10 eur por uma viagem braga-Porto é para ricos? (57km)

    Conhece forma mais barata de viajar? - talvez a pé?

    E, a prazo, quando se tornar possível e fiável efectuar ligações Braga-Porto em 45 ou 35 minutos (até menos), o preço será idêntico ao dos comboios menos rápidos por este eixo integrar um serviço "Urbano", logo não-sujeito a "taxas de velocidade" ou "suplementos" tal como acontece nos serviços Intercidades e/ou Alfa Pendular.

    Quanto custa mesmo a portagem Celeirós-Porto??
    Quanto custa 1 litro de gasolina?

    É tão cómodo ser anónimo; na minha próxima encarnação quero chamar-me "anónimo". Assim vou ser feliz!

    Dario Silva.

    ResponderEliminar
  9. O anonimo falça de casops concretos e não pretende protagonismo.É um direito que lhe assiste desde que respeito os outros.Desde de quando ter opinião é crime? o Srº Silva implica com os anonimos, acalme-se eles respeitam o seu protagonismo, não se zangue.A comparação não foi ilógica foi pontual, pretendeu alertar para outras realidades.Agora utilizar o comboio é óbvio sai mais económico, não questiono o custo, lembro outros casos como por exemplo o autocarro, que sai bem mais caro e não tem comparação possível em pontualidade,comodidade segurança, etc..etc.Seja crente e aprenda a respeitar opiniões dos anónimos que, afinal não pessoalizam questões de interesse geral.Questão de principio, educação...Calma os debates devem ser de ideias, exponha as suas mas respeite as dos outros, mesmo ou quando não assinam, mas participam civilizadamente.

    ResponderEliminar
  10. Parece há quem embirre com os anónimos.Pessoalmente acho que devem participar e debater as questões, embora eu não entenda muito bem o porquê de ser anónimo, quando se trata de um Diálogo que não ofende ninguém e o autor do Blog, sabe como retirar participações ofensivas.Claro que existem anónimos participativos que merecem ser lidos.O contrário tb é verdade.Do mesmo modo existem textos assinados que são mero protagonismo natural de quem gosta de ser conhecido.Também daí não bem mal ao mundo e não parece ser necessário reencarnar por tal motivo.Participar e respeitar o próximo, estou de acordo, anónimo respeitando as regras do debate de opiniões, a mim pessoalmente não me choca , de tal forma que hoje também vou ser anónimo...imite-me srº Silva, para sem reencarnação sabermos se tem ou não sabor diferente.Mas eu por mim acho que nada tem de especial e não me preocupam essa coisinhas ou birras.Não...defenitivamente não vou por aí e da próxima vez assino o texto.Hoje não.

    ResponderEliminar
  11. " Contigo em contradição, pode estar um grande amigo; duvida mais dos que estão sempre de acordo contigo." A preocupação de António aleixo deve servir de exemplo para aqueles que escrevem contra os anónimos e mostram que as ideias do passado são ainda hoje realidades." Diz tudo quanto quiseres, mas eu, p,ra te ser sincero, daquilo que tu disseres só acredito o que quero." A.Aleixo talvez aqui a simplicidade do Autor ajude a moderar opiniões e confrontos verbais, pouco instrutivos e fora do contexto e objectivo do debate.

    ResponderEliminar
  12. Elegia do Anónimo*

    o meu nome é António Anónimo.
    Sou Anónimo de profissão.
    Sou um ser humano mas podia ser um cão ou um gato ou um canário.
    Como sou Anónimo, ninguém me vê e assim ninguém sabe quem eu sou.
    Sou Anónimo e posso ter duas ou três opiniões diferentes, todas de seguida. Todas em simultâneo.
    Possa ter uma opinião SIM e logo de seguida ter uma opinião NÃO. E ainda acrescentar uma opinião TALVEZ.
    Assim estou sempre seguro, assim tenho sempre razão mesmo que digas que não porque não sabes quem eu sou... sou apenas O Anónimo.
    Sou o Anónimo, o único, o verdadeiro, o autêntico.
    Sou só um, o Anónimo.
    Mas eu podia ser outro qualquer, outro Anónimo. E qualquer outro, Anónimo ou não, podia ser eu.
    Sou eu.
    Sou único.
    Sou múltiplo.
    Todos cabem em mim porque todos podem ser Anónimos.
    Eu sou eu e eu sou todos, sou o Anónimo.
    Sou o Anónimo, posso ser quem eu quiser... sou o Anónimo... mas podia ser um cão, podia ser um gato, podia ser um canário... mas prefiro que me tratem pelo meu nome: Anónimo.
    Não assumo compromissos. Não me comprometo com ninguém, eu comprometo-me com toda a gente, em simultâneo.
    Não sou devoto de nenhum Santo, sou devotos de Todos os Santos.
    Não sou adepto de nenhum clube de futebol, sou adepto de todos.
    Sou muito instável, sou como a nitroglicerina: expludo muito facilmente mas vou logo apagar o incêndio. Sou polivalente.

    Vocês já devem ouvido de falar da minha irmã gémea, a Fonte Anónima...
    A Fonte Anónima, a minha irmã gémea igualzinha a minha, é muito diferente de mim.... ela nunca diz quem é... é Anónima... e depois queixa-se que ninguém a leva muito a sério. Deve ser por ser Anónima como eu.

    Atrás deste teclado ninguém me vê mas o que eu sou verdadeiramente é um camaleão, posso assumir qualquer forma, qualquer posição, qualquer feitio.
    Não é defeito, é Anonimato.
    Tenho pesadelos de noite, todos me querem bater...mas tenho um trunfo na maga: sou Anónimo.

    Ass: Anónimo

    * ou Da Importância do Anonimato para a Promoção do Debate e Partilha Assumida de Ideias e Argumentos.

    ResponderEliminar
  13. Decididamente deixou de ter interesse o debate de ideias.

    ResponderEliminar
  14. O anónimo tem valor quando obriga os outros a manifestar-se não o aceitando nos diálogos.Podem ilustrar a figura, podem ridicularizar, mas aprendam a respeitar opiniões e ideias boas ou más, de quem participa sem outros objectivos, que não mediáticos.A ironia passa a ideia também, mas sempre fica uma palavra dum desconhecido que sabe respeitar o próximo e jamais pessoaliza as questões de interesse público ou colectivo.Ler e ouvir não implicam necessáriamente uma foto e um nome.Dá para entender? O voto é secreto e muitos são os que votam.Tenhamos a humildade de aceitar os outros mesmo que sem nome.

    ResponderEliminar
  15. Caro Zé, tb o povo é anónimo e o poder tem de o entender.Não vejo mal no anonimato quando este não agride os outros e apenas expõe ideias que valem o que valem.A figura do Zé ficou célebre e no entanto muitos são os que fazem "manguitos" às nossas conversas.Pôr um nome dá prestígio a quem o não tem e nada mais que isso, quando se trata de conversas que por muito ricas de conteúdo estão afinal condenadas também elas a um "anonimato" do poder ou dos visados.Alguém pensa que consegue mudar alguma coisa só porque escreveu num Blog? Caiam na real e não sejam liricos.

    ResponderEliminar
  16. Tens razão Zé, ninguém vai mudar o mundo por escrever neste blogue ou noutro.
    Eu até acho os blogues uma grande perda de tempo porque isto não serve para nada e os políticos, eles é que trabalham não leiem blogues.
    E como todos sabemos, os blogues já nem são citados ou destacados na imprensa todos os dias, deve ser imaginação minha.
    E se queres outro exemplo da inutilidade dos blogues e da inconsequência da sua existência, tens o caso deste blogue que nunca promoveu um abaixo assinado virtual por causa do eléctrico de Braga e o mesmo tema nunca transpirou para os jornais da cidade e do país e nunca foi o tema discutido pelo Mesquita Machado na Câmara de Braga.
    Assim se prova que os blogues não servem para nada, são inúteis e os assessores de imprensa das autarquias não frequentam blogues nem fazem comentários nem vêm aqui dispersar os blogues.
    Outro exemplo da inutilidade dos blogues e de participar no debate de ideias e troca de argumentos (que não são ficções) é o caso do blogue da comissão bragaporto em 40 minutos!

    É totalmente inútil porque nós somos governados por quem escolhemos e eles são mesmo bons e perfeitos no que fazem e pensam sempre no melhor para nós,logo esses políticos e decisores não frequentam blogues...

    E vídeos no Youtube também não obrigam o Estado a explicar-se ao país...

    É tudo fantasia, o melhor era acabar com a internet porque só serve para criar ilusões na cabeça de alguns democratas!

    Zeca Baleiro

    ResponderEliminar
  17. O Zé não nega o interesse da Internet mesmo como meio de comunicação e cultura, outra coisa é o que se passa quando as questões são tratadas de forma pouco ortodoxa, como por exemplo assiarem petições, cidadãos que não andam de comboio, aí está um erro creio eu.Poupe-me à ironia e que os Blogues sejam importantes para o debate sério.

    ResponderEliminar
  18. O comboio tem sido tema neste Blog, por diversas razões, nem sempre válidas em minha modesta opinião.Alguns escrivas excedem-se em comentários que não quero classificar.Na verdade pouco me interessa ter muitos comboios se quando quero chegar ao emprego a horas, não tenho comboio compatível.Assim sucede relativamente a quem trabalha em Braga e redondezas em regime de turnos.Enfim por muito que o srº Silva ouse confundir -nos, o comboio sendo um meio óptmo de transporte não presta, um óptimo serviço público aos trabalhadores cá da zona, excepto para os de Braga/porto.Estamos falados e não volto ao assunto nem ao srº Silva, a quem desejo boa viagem, caso utilize o comboio? Enfim obrigado por me aturarem.

    ResponderEliminar
  19. «Ter autoestradas é melhor que não ter...»? Então claro, tal como "Estar vivo é o contrário de estar morto."

    Sobre os anonimatos, (e visto que o tema mudou de rumo neste post...) só tenho pena de não ser possível de distinguir as ideias de cada um. Amanhã, a Avenida organiza um encontro no Velha a Branca para os comentadores habituais deste blog, e ao fundo, encostados à parede e caladinhos, encontram-se um monte de anónimos.

    Um nickname é o q.b. para distinguirem-se uns dos outros, mas a imaginação em alguns sítios rareia, e não dá para pensarem num...

    DN

    ResponderEliminar
  20. «Ter autoestradas é melhor que não ter...»? Então claro, tal como "Estar vivo é o contrário de estar morto."

    Sobre os anonimatos, (e visto que o tema mudou de rumo neste post...) só tenho pena de não ser possível de distinguir as ideias de cada um. Amanhã, a Avenida organiza um encontro no Velha a Branca para os comentadores habituais deste blog, e ao fundo, encostados à parede e caladinhos, encontram-se um monte de anónimos.

    Um nickname é o q.b. para distinguirem-se uns dos outros, mas a imaginação em alguns sítios rareia, e não dá para pensarem num...

    DN

    ResponderEliminar

Antes de comentar leia sobre a nossa Política de Comentários.

"Mi vida en tus manos", um filme de Nuno Beato

Pesquisar no Avenida Central




Subscreva os Nossos Conteúdos
por Correio Electrónico


Contadores