Comboio Rápido Braga-Porto (II)

| Partilhar
O Professor Cândido Oliveira formula, no Jornal de Notícias, uma série de perguntas aos responsáveis pelo comboio em Portugal. O docente da Escola de Direito da Universidade do Minho toca nos pontos essenciais e que estão na base da maioria dos problemas da linha Porto-Braga:

1. o estrangulamento da linha na Trofa;
2. o congestionamento das linhas entre Ermesinde e o Porto;
3. a transformação da linha de Braga num serviço de Metro entre Ermesinde e o Porto;
4. a inexistência de interfaces com outros meios de transporte em Braga e em Famalicão;
5. a insipiência do serviço aos fins de semana e feriados;
6. o abandono da linha Porto-Vigo.

Relativamente ao ponto 4, parece-me injusto que as responsabilidades sejam imputadas à CP. No limite, podemos responsabilizar a CP por, no caso de Braga, ter desperdiçado a oportunidade de construir uma estação intermodal, verdadeiramente preparada para o interface entre diferentes meios de transporte colectivo. Na verdade, a falta de vontade dos agentes locais tem sido o principal entrave à oferta de melhores transportes colectivos na cidade de Braga. Os taxistas agradecem.

22 comentários:

  1. ...e os donos dos parques de estacionamento também!

    ResponderEliminar
  2. 6. o abandono da linha Porto-Vigo.

    Ora pois! Também me sinto lesada, não só em termos de custo (custa o triplo de qualquer outra viagem nos Urbanos), como em termos de horários/disponibilidade.


    Quanto à pouca ligação a Vigo: Queremos ser da Europa e fechamo-nos a ela. Temos muitos Espanhóis a entrar por essa porta, mas temos pouco Portugueses a sair.


    Valença já fica lá looooonge!

    ResponderEliminar
  3. Nota da redacção:

    Na mui recente reformulação de horários e percursos, os TUF (Transportes Urbanos de Famalicão) têm uma carreira com origem/destino a "Estação CP".

    Barcelos não tem tal artigo luxuoso porque não tem "transportes urbanos", isso é para os citadinos...

    Guimarães, via TUG (Transportes Urbanos de Guimarães) tem um autocarro a passar na estação "CP" em direcção ao centro a cada 30 minutos. Desconheço se o horário daquelas carreiras coincide com as chegadas/partidas dos comboios;

    Vila Nova de Foz-Côa e Torre de Moncorvo ligam-se ao comboio via duas empresas privadas de camionagem à chegada/partida da maioria dos seus cinco comboios diários Pocinho-Porto; as camionagens no Alto Douro não são nem serviços municipalizados nem são monstramente subsidiados como acontece em Lisboa.
    A necessidade de pagarem salários com as suas receitas "forçou" as empresas a buscarem os passageiros onde eles mais existem por aqueles lados: no Largo da Estação.

    Até a Guarda, forte e fria, tem agora carreiras que ligam "Guarda-Gare" à cidadela, 200 metros mais perto do céu. Não posso confirmar se aquele autocarro dá ligação de/para todos os comboios da nova estação da Guarda. Mas sei que, seu eu quiser apanhar o comboio das 07h em direcção à Covilhã, há um autocarro que me traz do centro histórico para a estação a tempo de apanhar aquele comboio...

    E de que forma foi reorganizada a rede de autocarros STCP no Grande Porto? - várias carreiras rebatem serviços em dezenas de estações comboio/metro usando, inclusive, a mesma bilhética. Este sistema de bilhética combinada, designada "Andante", está agora em fase de aparecimento e expansão na Grande Lisboa através de um bilhete a que chamaram "Lisboa Viva".

    Não deixa de ser irónico e ter um enorme piadão o facto de, em Braga, os TUB EM terem um quiosque de vendas de títulos de transporte dentro da estação ferroviária. Tal facto é uma novidade.
    Só é pena que os autores desta brilhante iniciativa não tenham a bondade de ir um pouquinho mais longe... afinal.... trabalham com o dinheiro dos meus impostos para fazer a cidade funcionar melhor.

    Ah, esqueci o caso de Aveiro, cujo largo da estação é servido amiúde por carreiras dos TUA (Transportes Urbanos de Aveiro). Não esquecendo que a futura central de camionagem daquela cidade vai ser construída nas traseiras... da estação do comboio... que idiota tão genial!...
    (clap, clap clap)

    E agora retomamos a nossa transmissão...

    Boa Viagem!

    Dario Silva.

    ResponderEliminar
  4. Claudette Guevara

    A linha das dores de cabeça a qual ninguem liga..É a linha do Minho, mas é do Minho a duas velocidades.É a linha que vai para o Minho "bonito" mas que não interessa.
    E sabe..A sorte é mesmo Vigo, porque senão a linha terminava em Viana, se é que ia a Viana..Depois era ver os autarcas a fazerem como o PC de Monção, a deitar as mãos à cabeça e a dizer: ai se soubessemos o que sabemos hoje, mas também ninguem adivinhava que isto ia dar o salto.
    Enfim...

    ResponderEliminar
  5. Caro Dario Silva,

    O Transportes de Barcelos chamam-se TCUB (Transportes Colectivos Urbanos de Barcelos) e a Central de Camionagem dista da Estação da CP uns 500m (mas sem acessos pedonais - vá-se entender).

    Embora há uns tempos estivessem a pensar extinguir alguns percursos por excesso de gastos vs. baixíssimos lucros.

    ResponderEliminar
  6. Claudette,

    Barcelos - Não frequento Barcelos tanto quanto me permita saber se ontem já havia "autocarros urbanos", ideia discutida na Assembleia Municipal Anno Domini 2005, se não antes.

    E como na imprensa local, que leio assiduamente, nada me recordo de ler sobre a "inauguração" dos autocarros... e estas coisas populares merecem sempre uma inauguração, com garrafa de champagne, uns foguetes, um discurso futurista...

    - "Baixíssimos lucros" - não conheço em Portugal nenhuma empresa município-dependente de transportes que seja "lucrativa".

    Minto!
    Conheço uma: Transportes Colectivos do Barreiro.
    vide: http://www.cm-barreiro.pt/institucional/detalhe_conteudo.asp?id=18

    Já ali viajei mais que uma vez, de manhã, de tarde, noite fora. E à chegada do barco do Terreiro do Paço havia sempre um autocarro à minha espera.
    E asseguram-me que esta empresa até dá lucro, facto que nem considero obrigatório em empresas/entidades que devem/deveriam simplesmente pensar em SERVIR.
    Ou, pelo menos, FUNCIONAR.

    E, no Barreiro, serve e funciona. Apetece pagar impostos.
    Escuso referir, de tão básico e obrigatório, que a maioria das carreiras apontam a direcçao do "TERMINAL" (tal como a foto em http://www.cm-barreiro.pt/institucional/detalhe_conteudo.asp?id=18).
    Aquele "Terminal" rodo-ferro-fluvial é dos exemplos mais expressivos da concertação e concentração de meios de transporte que são apenas complementares. Não são concorrentes, conforme congeminam alguns Iluminados com responsabilidades nesta matéria.

    Ah.... mas Braga não é o Barreiro.
    Pois não, Braga não é o Barreiro.

    Dario Silva

    ResponderEliminar
  7. O Minho está mal servido de comboios e para isso contribuem as autarquias quando como no troço Viana Valença permitiu redução drástica de circulações e deixou encerrar o percurso Valença/Monção.Quanto a Braga lembro que entendo e apoio comboios um pouco mais rápidos, com menos tempo de percurso, mas sempre tendo em consideração o serviço público a prestar a trabalhadores e estudantes do percurso, especialmente nas horas de ponta da manhão, almoço e fim de tarde.Comboios a parar entre Braga e Nine sempre existiram sendo este o meio utilizado pelos cidadãos, mudam-se os tempos mas as carteiras não e os trabalhadores em especial necessitam deste transporte.Nunca esquecendo que da estação ao centro da cidade, S, Vitor ou Gualtar, se demora normalmente mais de 30 minutos a pé ou de autocarro, que não está normalmente ali à espera do comboio.Repito não estraguem o actual horário, não estejam cegos a ponto de só verem o comboio rápido.Todos somos portugueses e temos de saber a Refer/CP tem limites, vamos pedir com moderação eponderando os prós e contras dum novo Horário.Um exemplo chega, um aluno que saia da Universidade às 18 ou 20H dificilmente chegará a um comboio que parta ás 18h30 ou 20h30, imaginem que é o último? ou que o próximo parte 2 horas depois? Imaginem não pára em Cambeses ou Tadim? Enfim cuidado com o que se pede podem prejudicar sériamente a maioria dos clientes da CP, porque acreditem alterar o actual horário implica muito trabalho e não acredito a CP o faça com recurso a ligeiras alterações sem interferir com o horário actual.Boa viagem e voltem sempre.

    ResponderEliminar
  8. D.Silva fala de tudo é um verdadeiro erudito.Está de parabéns o Blog porque os seus textos são muitos instrutivos embora nem sempre interessantes.Comboios, autocarros, pintura, artes letras e que mais virá...ah também crítico quanto aos anónimos que o levam a querer reencarnar como tal.Simplesmente fantástico.Eu de passagem pelo Blog, desculpem não participar, mas gostei do que li na globalidade, porém evitem mediatismos exagerados e mesmo os anónimos, reduzam aos textos porque assim ninguém vos lê.Perdoem se acertei em alguém mas foi sem querer.Até ao próximo Ano e continuem a divulgar textos de interesse colectivo.Como a maioria é anónima eu não quero destoar...desculpe lá srª Silva.

    ResponderEliminar
  9. Recentemente fui de comboio ao Norte, especificamente saí em Tadim de visita a um amigo e no regresso esperei uma hora pelo comboio para Porto.Deu para ver a Estação, o frio que se fazia sentir e a falta dum lugar protegido fez-me enregelar.Vi bancos molhados e não me pude sentar, vi WC fechados e não os oude utilizar, vi ferros ao alto donde haviam sido retiradas as tabuas para as pessoas se sentarem. vi as portas do Edificio fechadas, as paredes escritas, os vidros sujus, o chão conspurcado e alguns canalhas, crianças de 13 ou 15 Anos à pedrada ás paredes.Não vi grande coisa e fiquei triste.O meu amigo não me avisou do estado da estação que eu outrora conheci florida e já agora o senhor Dario nunca me alertou no blog sobre tão triste realidade da sua terra.A quem competirá a fiscalização, a manutenção ou limpeza daquele local?Falamos de comboios e eu entendi abrir aqui um lugar para dizer que entendo o problema da educação e do civismo estão fotografados em Tadim exactamente no local de embarque para o comboio.Será que ninguém vê o que eu vi? ou simplesmente ninguém quer ver.A Autarquia, A Refer, A Cp e porque não o srº Dario tão preocupado com a sua terra e o comboio e vejo agora com os anónimos, fará por certo a gentileza de dizer se o que este anónimo aqui e agora escreve é verdade ou mentira, caso utilize o comboio ou já tenha ido à estação da sua terra.Aquilo merece ser visitado, limpo e utilizado em melhores condições.

    ResponderEliminar
  10. Pedro, os problemas que apontaste são também comuns à linha Porto-Guimarães, embora esta tenha menos passageiros, que se torna visível após Santo Tirso.

    Quanto ao ponto 4, em Guimarães há uma boa articulação entre os horários dos comboios e os autocarros TUG. Para além disso, também existem outras transportadoras de passageiros a jogarem com os horários dos comboios, que permitem a quem vem de ou vai para Mondim de Basto ou Fafe possa em Guimarães optar pelo comboio.

    ResponderEliminar
  11. "D.Silva fala de tudo é um verdadeiro erudito.Está de parabéns o Blog porque os seus textos são muitos instrutivos embora nem sempre interessantes"

    Ena, um anónimo erudito que vê pintura, artes, letras, e se calhar música e bailado, num texto onde unicamente falei de "Caminho de Ferro" (e, por conseguinte, "transporte combinado").

    E agradeço ter-nos oferecido o paradoxo de um texto "instrutivo" poder ser, às vezes, não-interessante. Se, pelo menos, for instrutivo... já é um começo.

    Quanto ao resto, faz bem permanecer anónimo, é mais cómodo!

    Eu, pessoalmente, gostaria bastante de o ver participar no debate (neste debate);
    tenho a certeza de que tem alguma estória para contar na qual possamos todos encontrar alguma instrução, algum interesse, algum paradoxo, algum acréscimo à nossa galopante sede de informação e conhecimento!

    Abraços anónimos,

    Dario Silva.

    ResponderEliminar
  12. Paciência. A obras da nova estação da Trofa, Junto à igreja de Bougado, estão para ser iniciadas brevemente - vão ter túnel e tudo.
    Possivelmente daqui a dois ou três anos a duplicação da via estará concluída.

    ResponderEliminar
  13. Sempre quero ver quando a CP tiver muitos comboios rápidos, mas mais caros, porque sem paragens nem se justifica o nome de Urbanos ou pagamento por Zonas, se os clientes continuam a preferir a CP? Parece haver interesse em "ajudar os transportes Rodoviários" que já sentem alguma falta de passageiros.Custo bilhete Barcelos ou Braga, Porto será igual! Correr até Porto deve ter um custo especial, é como ir viajar na Autoestrada.Enfim não acredito os preços não sofram alterações a curto prazo.

    ResponderEliminar
  14. "Sempre quero ver quando a CP tiver muitos comboios rápidos, mas mais caros, porque sem paragens nem se justifica o nome de Urbanos ou pagamento por Zonas"

    Então sugiro que consulte os horários da Linha de Cascais e a respectiva tabelo de preços de bilhetes e assinaturas.
    A informação está disponível em http://www.cp.pt

    ps: para evitar mal-entendidos, este meu comentário não pretende ser "a minha opinião" porque nunca aqui pretendi dar ou trazer a minha opinião - que vale nada ou abaixo disso.
    Este comentário pretende apenas,e como os outros, reportar FACTOS, coisas simples que qualquer um de nós pode confirmar ou na net ou in loco.

    E contra factos...

    Então venham de lá mais factos para termo de comparação (sim, é para aí que remetem estes "factos")

    Cumprimentos e bom fim de semana,

    Dario Silva.

    ResponderEliminar
  15. Não comparemos realidades bem diferentes, a procura na linha do Minho nunca será comparável com outras linhas próximas de grandes cidades.É evidente que comboios de 5 em 5 ou 10 em 10 minutos, dispensavam tantos comentários e resoçviam quase todas as divergências.Quanto aos preços, quero estar enganado, mas o tempo julgará por si.Tenham uma Boa viagem e sem paragens até S. Bento...

    ResponderEliminar
  16. "Não comparemos realidades bem diferentes"

    Não era à abundância de comboios que eu me queria referir mas sim à existência de comboios "omnibus" e comboios "semi-directos", conforme circulem entre Cais do Sodré e Cascais (percrso integral) ou cumpram apenas parte do percurso.

    Ou seja, há ali comboios com maior média horária que outros;

    A questão dos bilhetes (em Cascais ou no Grande Porto): não há, desde há décadas, no valor dos bilhetes para quem usa comboios "omnibus" ou comboios "semi-directos". Em ambas as situações, as médias horárias não são estonteantes e ficam sempre a cerca de metade dos comboios verdadeiramente "rápidos": Intercidades e Alfa's, estes com médias a tocar agora os 120 km/h.

    Espero ter esclarecido,

    Dario Silva.

    ResponderEliminar
  17. Novos horários e comboios vazios? Enfim eu que nada sei vi ontem um comboio Braga, Lousado com 2 passageiros? Não comento.

    ResponderEliminar
  18. Deixemos Lisboa em paz e comparemos com o que se passa na Linha do Douro.Talvez a CP pudesse servir melhor, para isso tinha de ouvir os seus clientes e em especial os que viajam!É que andar de carro e assinar petições é uma coisa, precisar do comboio todos os dias para ir para o trabalho é outra.Estamos entendidos?Chega de bla, bla, vamos pensar e pedir um Bom serviço para quem todos os dias se levanta às seis ou sete da manhã e porque vê os comboios passar a correr e tem de aceitar o que a CP lhe oferece.

    ResponderEliminar
  19. Andaram apressados a pedir novos horários, porque não utilizam os comboios, depois dizem que alguns nos novos horários andam às moscas...pudera os assinantes da petição só pediram o Braga/porto muito rápido.Alguém se lembra dos trabalhadores e estudantes das localidades vizinhas da cidade, que não se deslocam de carro? Muitas foram as ideias, mas julgo como outros já o disseram, piorou na maior parte dos horários a oferta.Está à vontade da minoria que os pediu.

    ResponderEliminar
  20. Que pena, na maioria dos casos, poucos são os participantes utilizadores habituais do comboio.É como dizer não gosto de pisa e nunca a ter provado.É fino, talvez dê notariedade falar num tema da moda, porém é triste tal forma de abordar as questões até porque se repararem contribuem para piorar um serviço público e prejudicar aqueles que efectivamente o utilizam todos os dias, até porque não dispõem de poder económico para utilizar viatura própria ou do Estado...

    ResponderEliminar
  21. Poprque será que uma aldeia como Cambeses merece paragem de tantos comboios? Porque será que parando naquela terra do cocelho de Barcelos, não param nas do concelho de Braga?Quem terá nascido ou reside ali para tratamento tão gentil da CP? Afinal sempre foi um apeadeiro? Tem poucos moradores, é terra agrícola e dizem-me de Ferroviários? terá esse facto algo a ver com os Horários? Óbvio que não.Os TUB não chegam lá e tudo fica esclarecido.Será que fica?

    ResponderEliminar
  22. Isto dos "ataques" já chateia, não?

    Ataques a Cambeses, quando essa questão já foi debatida até aqui mesmo nesta Avenida.. Ataques a Tadim, onde só faltou dizer de novo que não viram carros no estacionamento, LOGO SUPOSTAMENTE não entram ali passageiros.. E ataques directos e pessoais, de anónimos escondidos detrás dum teclado...

    Comboios com 2pessoas? Acredito e isso é fácil, faz umas semanas vi um, por esta hora de Domingo, a partir de Famalicão para Braga. A meio do dia, mesmo à semana, é possível que também não leve muita gente. Mas pelo caminho, é bem capaz de apanhar mais povo.. se bem que, como à frente deste curto uns 20min, seguiu um para-em-todas, já não garanto nada.

    E nem todos os que aqui escrevinham, o fazem apenas por ser chiq. Apesar de hoje em dia ser mais aos FDS e férias, eu ainda e sempre uso a L Minho, e como já fui utilizador diário durante uma década, não me esqueço de como funciona o Minho e a Linha que o serve.. E tenho também uma vaga ideia de como funciona a CP Porto.............

    ResponderEliminar

Antes de comentar leia sobre a nossa Política de Comentários.

"Mi vida en tus manos", um filme de Nuno Beato

Pesquisar no Avenida Central




Subscreva os Nossos Conteúdos
por Correio Electrónico


Contadores