O Balcão: Semanário Gratuito de Braga

| Partilhar
Nasceu O Balcão, o primeiro semanário gratuito de Braga que será distribuído todas as Sextas-Feiras. Se não estiver ligado a nenhum dos diário existentes, é possível que o novo jornal traga diversidade ao bipolarizado universo da imprensa bracarense.

Após uma breve leitura, a primeira sugestão que deixo ao novo projecto jornalístico é que invistam na revisão dos textos. Pedir ao Presidente da Câmara para escrever um artigo de opinião e permitir que o mesmo saia com um erro ortográfico (que não é gralha, é mesmo erro!) não é coisa que lhes fique muito bem.

12 comentários:

  1. Três meses de sobrevivência, chega?

    A mim parece-me um prazo razoável, tendo em conta o grafismo dos anos 60, as ideias dos anos 80, e as cópias de textos dos anos 00.

    Pedro Antunes Pereira

    ResponderEliminar
  2. Eu digo cinco meses. Só para ser diferente, pq vai dar ao mesmo: projecto condenado ao fracasso logo de início. É pena. Ou talvez não seja. Talvez seja bem feita mesmo por alguém pensar que pôr de pé um jornal é coisa para amadores...
    Aceitam-se apostas.
    GS

    ResponderEliminar
  3. E umas linhas depois está outro, de pontuação. Onde se lê:

    «...nas páginas deste periódico vão, por certo **ter,** espaço conteúdos pertinentes...»

    E devia se ler:

    «...nas páginas deste periódico vão, por certo**, ter** espaço conteúdos pertinentes...»

    ResponderEliminar
  4. Por acaso ainda não tive a oportunidade para ler o referido gratuito, mas, só pelos comentários já estou curiosos.

    ResponderEliminar
  5. O Balcão está aí.

    É impressão minha ou o nome é mau? Muito mau, mesmo?
    Experimentem perguntar a alguém se já leu “O Balcão” e logo me dirão aguma coisa acerca deste assunto... Imaginem um anunciante a dizer “Vou pôr um anúncio n’O balcão”...

    O jornal é gratuito, acompanhando uma tendência internacional (embora com algum atraso, é verdade).
    E sobre os jornais gratuitos, guardo na memória duas expressões brilhantes.
    A primeira de um dossiê sobre jornais gratuitos, que pode ser lido em http://www.clubedejornalistas.pt/DesktopDefault.aspx?tabid=280: “Dos jornais gratuitos sabemos que são, de certeza, gratuitos. Mas será que são jornais?”.
    A segunda é Bob Franklin (Público, 29 Outubro de 2006, pag. 55). O professor da Universidade de Cardiff diz que há uma faixa de público que quer McJornalismo. E esses jornais, “quer sejam lançados em Nova Iorque, em Pequim, em Londres ou em Lisboa, sabem todos ao mesmo. E sabem a pouco: curtos, leves, superficiais”.

    O desafio que se põe ao Balcão, assim como a outros projectos de/para Braga, é claramente a qualidade.

    Creio que há espaço para mais projectos jornalísticos em Braga porque os projectos regionais dos jornais nacionais falharam e os dois diários parecem repartições públicas em dia de greve: asseguram os serviços mínimos!

    Olhando para a primeira edição, a fica técnica do parece-me curta e com alguns nomes conhecidos, mas pelos piores motivos. A paginação não tem inspiração. Os artigos não têm personalidade. O site é um apontador para notícias que outros jornais já deram. Será só por ser o início do projecto? Ou há, à partida, uma crise de identidade?

    Um projecto a acompanhar, para ver qual o “target” que o Balcão vai tentar atingir. A questão da publicidade é, seguramente, uma das mais interessantes. Os mortos estão no DM, as prostitutas no CM. O que é que sobra?

    ResponderEliminar
  6. Olá, Pedro. O seu post invoca, desde logo, a expressão "quem tem telhados de vidro, não deve atirar pedras à casa do vizinho". Afinal, pelo que tenho apercebido, a sua escrita, além de pobre, não é propriamente exemplar... E se pedir uma "revisão de provas", em mil "posts" não faltam erros para lhe provar o que disse. Além do mais, é curioso que, em trinta e tal páginas desse jornal, só tenha apontado um erro ou dois num texto subscrito pelo Eng. Mesquita Machado... É por essas e por outras que ele fica na história local por ter sido presidente da CMBraga por 37 anos...

    ResponderEliminar
  7. Caro anónimo (4.12),

    1. Gostava de ler o seu blog para ver a sua escrita rica.

    2. Eu apontei a falta de revisão e não o erro do Presidente da Câmara.

    3. Se quiser oferecer-se para rever o Avenida Central (já que não tenho tempo), agradeço.

    4. Caso não saiba é normalíssimo, embora indesejável, surgirem gralhas nos blogs dado que a escrita não é sujeita a grandes revisões.

    5. Pelo teor do comentário, imagino onde está empregado.

    Cumprimentos

    ResponderEliminar
  8. Ou, pelo menos, onde pensava estar empregado mais cinco anos. Será que consegue?

    ResponderEliminar
  9. Estes comentadores de "meia tigela" devem pertencer à seita "Mosquito Malhado" presidente da autarquia que além de não saber falar só comente argoladas. Não sejam tão mórbidos ao trabalho dos outros, coloquem um espelho à vossa frente e observem a linda figura que fazem. O Semanário "O Balcão" tenha a vida que tiver, é um exemplo e um desafio para alterar uma comunicação social minada pela "seita" PS/local que tratam os bracarenses como uns parolos e umas bestas intelectuais. Perceberam?

    ResponderEliminar
  10. Falta coragem aos bracarenses para mudar o rumo da cidade e do concelho. Talvez uma comunicação social isenta e com rigor "desperte a invernia de 37 anos de poleiro" do pequenote que está a (des)liderar a Câmara Municipal de Braga que só a doença ou a morte o consegue tirar de lá. Falta-nos Jornais para isso, talvez um dia apareça um e gratuito. Qual é o problema?. Os bracarenses da cidade na ditaram a derrota há muito tempo, faltam aqueles que vivem fora da cidade para perceberem que é preciso injectar "sangue novo" na nossa autarquia. O Semanário "O Balcão" está de parabéns e só uma "cambada" de invejosos ou de consciência tocada é que fazem comentários jocosos pela negativa, talvez a sanita seja o canal mais indicado para os mesmos. Parabéns à equipa editorial do Semanário "O Balcão" e mandem esses coemtadores à... pesca!

    ResponderEliminar

Antes de comentar leia sobre a nossa Política de Comentários.

"Mi vida en tus manos", um filme de Nuno Beato

Pesquisar no Avenida Central




Subscreva os Nossos Conteúdos
por Correio Electrónico


Contadores