Bons Vizinhos

| Partilhar
Oliveira's plaza
© Jsome1

Ao longo dos tempos, Braga e Guimarães desgastaram-se em lutas ébrias e sem sentido. Políticas autárquicas de costas voltadas, encontros desportivos pontuados pela violência e cartazes culturais em completo desconcerto são os sintomas mais recentes de uma doença que se arrasta há muitos séculos.

Gosto de Guimarães. As suas políticas autárquicas têm contribuído decisivamente para elevar a fasquia em termos de exigência dos cidadãos minhotos. A requalificação urbana do centro histórico e a aposta na cultura têm dado frutos muito saborosos para todo o Minho que culminaram com a elevação do centro monumental a Património da Humanidade e a escolha da cidade para Capital Europeia da Cultura em 2012. Ao Centro Cultural Vila Flor vai juntar-se a Casa de Artes e Espectáculos São Mamede. Uma verdadeira revolução urbanística com 5 projectos de vulto promete modernizar a cidade. Os transportes mais ecológicos são efectivamente uma prioridade.

Quando se ultrapassarem os complexos mútuos, o eixo Braga-Guimarães poderá tornar-se num pólo ainda mais desenvolvido e competitivo. Para crescer em conjunto é necessário potenciar sinergias, desenvolver projectos comuns, defender políticas consistentes de desenvolvimento integrado e, sobretudo, guardar os bairrismos na gaveta.

36 comentários:

  1. Nouvelle Vague é grande 'cena' para abertura. :) Já sabia à algum tempo mas duvido que muita gente o soubesse em Braga.

    ResponderEliminar
  2. Ah, já agora, deixo-te o site do espaço:

    http://www.sao-mamede.com/

    ResponderEliminar
  3. O Minho tem um potencial imenso que só pode ser devidamente explorado se houver união na região.

    Tem-se assistido nos últimos anos a um bairrismo por conveniência, ou seja, assim como em Roma havia os jogos no coliseu para distrair o povo, no Minho há o bairrismo para influenciar as populações.

    As populações têm que aprender a deixar de entrar nestes jogos que só interessam à classe política.

    O Minho nunca se desenvolverá se for um conjunto de concelhos de costas voltadas, crescerá sim, se for uma região unida.

    Quando se pensa na Galiza, por exemplo, pensa-se num todo, pensa-se na cultura de Santiago, na dinâmica Vigo e nas praias de Sanxenxo.

    À nossa dimensão, deviamos pensar numa região do Minho economicamente unida pela cultura, pelas tradições, pela gastronomia, pelas empresas...

    Deixem-se de bairrismos e comecem a trabalhar pelo Minho.

    ResponderEliminar
  4. São séculos e não é assim tão fácil este combate. Na Galiza a peleja Depor - Celta é indecorosa e desaconselhável a menores. Acontece o mesmo nas pelejas Oviedo - Gijon e Múrcia - Cartagena, por exemplo. São muitos séculos...

    ResponderEliminar
  5. Gosto do elogio à minha cidade. :)
    E assino com força por baixo do teu último post. Os 20 quilómetros entre as duas cidades têm um potencial a que nenhum dos outros centros urbanos nacioanis de média dimensão podem aspirar.

    ResponderEliminar
  6. O desenvolvimento do Minho passa pela união de esforços de todas os concelhos que a ele pertence. É necessário traçarem um caminho conjunto de desenvolvimento económico e cultural. É urgente revitalizar a identidade forte que una as regiões, promover a interligação entre as várias cidades de forma a se sentirem parceiras e aliadas.
    É este a mentalidade que é necessário difundir pelo Minho, mostrado ao poder politico a orientação que os Minhotos querem para a sua região.


    PS - Um passo para essa união entre Braga/Guimarães já foi dado com a criação do avepark estrategicamente colocado entre as duas cidades.

    ResponderEliminar
  7. Este que fala aqui contra o bairrismo não é o mesmo que ataca constantemente o Porto e a região "norte"?

    Há gente com uma lata...

    ResponderEliminar
  8. Nasci em Braga (Hospital de São Marcos), moro em Braga, estudei e formei-me em Braga, sou adepto e sócio do SCB, julgo que possa afirmar de uma forma insuspeita o seguinte: Guimarães está muito (mas mesmo muito) à frente de Braga em todos os aspectos. Os bracarenses que não o admitem só estão a prejuducar a sua cidade. Quem não admite acaba por pactuar com a actual câmara da cidade de Braga que cada vez mais arruina a nossa cidade.

    ResponderEliminar
  9. Guimarães não tem o mesmo Presidente da Câmara à 30 anos.

    ResponderEliminar
  10. Isso é mais uma opinião partidária que outra coisa. Braga tem crescido imenso e de certeza que vai continuar a crescer...Guimarães está igual ou ainda pior, está a perder tudo para a capital do minho, Braga.

    "Um passo para essa união entre Braga/Guimarães já foi dado com a criação do avepark estrategicamente colocado entre as duas cidades."

    Acho que só neste aspecto compensa a união, a industria.
    Braga está a crescer em sentido contrário, para o Cávado...
    força BRAGA!!!

    ResponderEliminar
  11. Concordo plenamente com o comentário anterior, Braga está a expandir-se em sentido contrário, Guimarães que se cuide e que venham para Braga.
    Segundo declarações do vereador responsável, "a câmara de Braga está a elaborar o plano de urbanização para a expansão da cidade no vale do Cávado. A possível fusão dos parques industriais de Palmeira e Adaúfe (+-190 hectares) com a construção da variante do Cávado, parque tecnológico de Vila Verde e Amares (100 hectares), a expansão do parque empresarial de Frossos, DolceVita Braga (3500 empregos directos), pressão imobiliária na zona do novo estádio (Parque norte), a actual proliferação de zonas residências de baixa densidade entre Frossos, Tibães, Merlim, Prado." Perante este cenário podemos concluir que a zona do vale do cávado é a mais importante, pois é para o rio cávado que Braga se vai expandir.
    Agora com a requalificação das margens do cávado Braga ganha um rio de grandes dimensões, nada comparável ao rio este. Guimarães que se junte a nós...estamos a crescer a um ritmo enorme e vamos abafar tudo à nossa volta!
    Barcelos+Guimaraes-cerca de 300.000 que irão para Braga, eh eh!

    ResponderEliminar
  12. O Minho unido é uma grande preocupação para o Porto.

    Abram os olhos!

    ResponderEliminar
  13. E para variar, o vale do cávado está a crescer bem. Prédios, moradias, estádio, shopping, armazéns, piscina e ETAR tudo ao molho. Quando estiver tudo ocupado e com uma taxa de ocupação n.º hab/km2 demasiado baixa para a dimensão que Braga exige, chega finalmente o plano de urbanização!

    O Cávado não tem largura para nos deter, Prado, Vila Verde e Amares marcham a seguir. Nem o Sócrates deterá a Área Metropolitana de Braga!

    TAIPAS IS NOT SPAIN.

    ResponderEliminar
  14. E o Porto na sua lenta e chorosa agonia que se cuide.

    Eles já não falam em AMP, dizem arco urbano do noroeste, com epicentro lá claro. Só que no mesmo estudo reconhecem que até da AMP são uma centralidade muito débil.

    Pagamos ao pessoal da CCR para fazer estes estudos!????

    ResponderEliminar
  15. Vila Verde e Amares estão no vale do cávado irão fundir-se com Braga. Agora as pessoas de Barcelos, Guimarães e também de Famalicão irão tender a vir para Braga. Assim, todo o vale do cávado irá ser a grande area metropolitana de Braga, incrível!

    ResponderEliminar
  16. Isto aqui lê-se cada comentário!!!
    É só conquistadores!!!
    A minha cidade é Braga, o meu clube é o Braga, mas também sou minhota.
    Diria que mais do que portuguesa sou minhota: gosto da nossa gastronomia, gosto dos nossos lenços dos namorados, gosto do nosso galo de Barcelos, gosto do nosso ouro e da nossa filigrama, gosto da nossa sé de Braga, gosto do nosso castelo de Guimarães, até gosto da voz esganiçada do nosso folclore!!!!
    Vá lá! Vamos puxar para o mesmo lado, a começar pela classe política!
    Gisela

    ResponderEliminar
  17. Boas, há cerca de 2 anos visitei a cidade de Braga, fiquei estonteada, é mesmo maravilhosa. Aquele centro histórico medieval, epá é de outro mundo, a rua do souto enorme e cheia de gente, o Theatro Circo, a Catedral de Braga (Sé)...nunca encontrei nada assim em lado nenhum...Apartir daí fiquei super interessada na cidade e quis saber mais, fiquei a saber que braga é das cidades mais antigas do Mundo, era importantíssima para os Romanos, Bracara Augusta. Foi descoberto à pouco tempo um teatro romano em Braga, é fantástico! Eu sou de Chaves e Braga é um milhão de vezes maior, estou morto que chegue a hora de ir para Braga estudar para a Universidade do Minho. Todos os dias venho aqui à avenida central, ao correiodominho, etc à procura de mais informção. Torço para que Braga continue a crescer e que o tempo passe rápido pois quero viver aí.
    Li que vão fazer obras no centro, alargar o túnel da avenida da liberdade e tornar a zona à frente do theatro circo e correios zona pedonal…a maior zona pedonal da Europa passará a ser ainda maior e mais bela!!!

    PS: Se calhar por vocês estarem habituados não reparam na beleza à vossa volta. Reparem bem cada monumento do centro de Braga e apreciem :)

    Susana
    Força SCB

    ResponderEliminar
  18. http://mesadaciencia.blogspot.com/2007/10/metro-em-braga.html

    ResponderEliminar
  19. A mentalidade de bairro floresce nestes comentários. Elogiar Guimarães não implica nenhuma crítica à cidade de Braga.

    ResponderEliminar
  20. E consigo se calhar acontece o mesmo com a sua cidade Susana. Importante cidade termal romana, a vida nocturna de Chaves em agosto é algo que me deixou embasbacado.

    ResponderEliminar
  21. União precisa-se.
    O Minho possui uma cultura e identidade própria e única!
    E já agora pensem um bocado:
    Será que existem diferenças entre bracarenses e vimaranenses? Não, são iguais! A população tem a mesma origem (apesar de Braga nos últimos anos ter adoptado vários cidadãos). Ambos defendem com unhas e dentes as suas cidades. As personalidades são iguais, apenas altera o que defendem, uns Braga outros Guimarães. Enfim, acho que aqui está um bom tema para um sociólogo.

    ResponderEliminar
  22. Estará para nascer o dia em que o elogio de alguém não nascido na nossa cidade ao que é nosso, não seja motivo de um rasgado sorriso.
    Também por isso foi com agrado que li o teu post de hoje Pedro. É inegável que Guimarães tem crescido à sua dimensão nos últimos anos e, não fossem alguns tiques ditatoriais que também sofremos a exemplo dos bracarenses e porventura, o crescimento teria sido ainda maior. Guimarães é hoje um orgulho dos portugueses enquanto património, mas deve continuar a ser olhada com exigência por parte dos vimaranenses porque há muito para fazer e algum do que foi feito não deverá agradar aos olhares mais atentos.

    Quanto ao fundamental do teu texto, também concordo que Guimarães e Braga terão sempre muito a ganhar quando correrem unidas pelo mesmo propósito, sem se deixarem enredar por bairrismos bacocos. O Minho tem um enormíssimo peso neste nosso Portugal que acho que apenas as autarquias parecem ainda não ter percebido.

    E os vimaranenses certamente também vão perceber que as fronteiras de Guimarães estão muito para lá da nossa cidade e o facto de o entendermos não provocará qualquer perda de identidade.
    Abraço!

    ResponderEliminar
  23. Na minha opinião uma "união" de Guimarães e de Braga seria interessante a vários níveis e beneficiaria ambas as cidades. Contudo não podemos esquecer que estas são cidades efectivamente rivais e que disputam entre si as mesmas infraestruturas, eventos, etc (veja-se o exemplo da U.M., do Instituto Ibérico, da Capital Europeia da Cultura, etc.).
    No que diz respeito ao crescimento Braga está neste momento muito mais desenvolvida do que Guimarães. Para o bem e para o mal.
    Para o bem porque é uma cidade que tem uma oferta a muitos níveis que em Guimarães pura e simplesmente não existe e para além disso nota-se que Braga é uma cidade viva e movimentada.Para o mal porque Braga é uma cidade estragada pelo caos urbanístico, o que aparentemente parece ser um mal irremediavel e cuja tendencia infelizmente não se está a inverter.
    Os projectos para Guimarães, caso se realizem (o que eu em parte dúvido), vão dar uma nova vida à cidade e fazer Guimarães crescer de uma forma sustentada. A cidade de Guimarães tem cerca de 60000 habitantes e este número poderá aumentar sem termos que recorrer a uma construcção louca. Mesmo junto a Guimarães estão as vilas de Pevidem, Ronfe e Brito que, ao que parece, com o projecto do metro e da Veiga de Creixomil vão-se tornar parte integrante da cidade. Segundo dizem a construção de um caminho de ferro entre Guimarães, as Taipas (Ave Park) e eventualmente Braga irá permitir, ainda que dentro de outros moldes, uma proximidade maior entre Guimarães e duas das suas principais vilas (Ponte e Taipas).
    Se Guimarães crescer quero que seja assim. Não quero que a minha cidade se desfigure em nome de um suposto progresso.
    Quanto a Braga tenho pena do que lhe aconteceu e continua a acontecer (a nivel urbanistico) mas invejo a vida da cidade.
    Qualquer vimaranense que queira ver Guimarães desenvolver-se quer uma Braga mais forte. Sabemos que se Braga tiver A Guimarães vai pedir B e, geralmente, tem. Os concelhos têm uma dimensão populacional parecida e os Governos não podem cair no erro de beneficiar exclusivamente um deles.
    Se é certo que no passado as coisas não foram assim, nomedamente no tempo da ditadura e do sr. Santos da Cunha, a democracia trouxe um certo equilibrio as coisas (veja-se o caso dos dois polos da UM e do Instituto Ibérico/Capital europeia da Cultura.
    Para o desenvolvimento do Minho convem que Guimarães e Braga se juntem e reivindiquem aquilo a que nós (minhotos) temos direito a uma só voz!

    ResponderEliminar
  24. Sr César Gomes:
    Então não há diferenças entre as populações de Braga e Guimarães!
    Sinal claro que conhece mal uns e outros. Há mts diferenças entre as duas cidades, mts. E mts entre as suas populações. Seria interessante um estudo sociológico, sim, mas há algumas coisas que até saltam à vista...
    Eu, bracarense, gosto de Guimarães, que conheço razoavelmente bem. Sem dúvida que haveria vantagens em mais e melhores sinergias. Haja vontade política.
    GS

    ResponderEliminar
  25. Gostei do que li, apesar de ter algumas coisas que nao concordei, mas por hoje nao me vou pronunciar sobre o assunto... foi a primeira vez que vim ao blog porque me atraiu o titulo... nem ia comentar, ia ficar aqui a pensar sozinho, mas tenho que fazer referencia a essa canalha, que nao se pode chamar outra coisa, que coloca sempre os clubes de futebol entre conversas de "pessoas"...
    comenta'rios como "Força Braga" e "Taipas is not Spain" demonstram bem a ignorancia de alguns canalhas... enfim mesmo .

    Cresçam e saibam dar a vossa opinião ;D

    ResponderEliminar
  26. Este blogue é só rir.

    Mas em que mundo é que Guimarães está melhor do que Braga?
    Guimarães está muito pior do que Braga, alias todo o distrito de Braga está muito pior do que Braga, vejam dados sobre o poder de compra concelhio, PIB per capita, etc.
    Quanto à região do Minho, nunca existiu, é uma vigarice e vassalagem de Braga a Lisboa.
    Quem fala em região do “Minho” (eu pensava que era o nome dum rio) não passa dum vassalo de Lisboa, sem tirar nem por.
    Sim, porque se Braga é Minho então o Porto também entra nesse Minho, daí a região em termos administrativos se chamar entre-douro-e-minho nos séculos passados.
    E se o critério for económico, então meus vassalos de Braga, Braga deveria ir para a AMP, está mais próxima economicamente da AMP do que está do “resto” do “norte”.

    Vocês com esta conversa querem é “xular” os vimaranenses, que no passado até preferiram pertencer ao distrito do Porto, o poder em Lisboa não lhes fez a vontade por razões obvias.

    ResponderEliminar
  27. Quanto ao ultimo comentário a cerca do futebol, concordo que se misture em conversas de outros temas, mas o futebol é por norma umponto de referencia nas populações para se poderem atacar uma à outra, não é novo nem vai acabar. é precisso é saber levar as coisas a bom modo e saber separar o jogo da relação social.
    São de Braga e convivo diáriamente com pessoas de guimarães com quem me dou bem e nunca tive problemas.
    Quanto ás semelhanças digam oque dizerem elas são a "potes". A coisa queme deixamais revoltado é o facto de se dizer queo pais nasceu em guimães e o resto foram conquistas, não se lembrando dopapel vital e directo das cidade de Braga nessa mesma história... Braga é uma cidade que em termos históricos se sobrepõe de forma clarisima e inquestionável a guimarães. De resto era bom (apesar de eu achar utópico) uma interligação mais dinámica entr os dois povos. De resto Braga com centro geográfico da região Minho é normal que tenha tendencia a crescer mais que gmr. Mas a primeira ligação será sem dúvida Amares e Vila Verde pela sua localização geográfica pena as suas potencialidades não sejam exploradas.

    ResponderEliminar
  28. Como a vossa ignorancia sobre o assunto é muita:

    "1886 — Reúne a Associação Comercial e delibera: nomear uma comissão de estudo para o estabelecimento de novas indústrias locais; abrir fundo de resistências para despesas; continuar a representar até que o distrito de Braga seja suprimido e este concelho anexado ao distrito do Porto. A mensagem ou representação à câmara é datada de 24 de Março.

    Fonte: João Lopes de Faria, manuscrito da Biblioteca da Sociedade Martins Sarmento

    ResponderEliminar
  29. Da mesma fonte, e para nos rirmos ainda mais

    "Parte para Lisboa uma comissão de cinco membros, entregar a representação a El-rei, para a "União ao Porto" sendo acompanhada à estação por representantes de diversas corporações e por muito povo. Regressou no dia 15.

    Em Braga houve comício contra a nossa pretensão de "União ao distrito do Porto"."

    ResponderEliminar
  30. O suevo, tens area de historiador, mas fazes bem sempre aprendes alguma coisa, agora gostava de saber o que é que voces têm em Braga que em Guimarães num haja?

    Quanto a união entre cidades,essa não faz sentido nenhum, ate porque como toda a gente sabe, voces desenvolveram em betão e essa nunca será a nossa pretensão, quanto a industrias penso que não saimos a perder, comercio estamos na vossa traseira mas sempre aproximar, portanto, a não ser que ai o senhor conego devolva o cordão que roubar a nossa senhora da oliveira, a universidade que roubaram ao concelho de guimaraes, e a um sem numero de questões politiqueiras que sempre foram favoraveis a vosso lado...

    Quanto ao a questão do porto, n~ºao tenham duvidas que se tivermos algum dia de optar, essa será sempre a nossa opção, por respeito ãos nossos antepassados, braga não consta no meu mapa assim como no milhares de vimaranenses...

    ResponderEliminar
  31. Como se pode ver por estes comentários, a união dificilmente se poderá impor por decreto! No entanto, a tarefa dos políticos deverá ser, sem sombra de dúvidas, fomentar a união, uma vez que ela é decisiva num contexto cada vez mais competitivo. Só que eles têm feito exactamente o contrário...

    Se fizermos um breve exercício de memória temos um historial de oportunidades perdidas. Oportunidades perdidas para potenciar sinergias não somente entre Braga e Guimarães, mas entre toda a região, dada a dimensão do nosso território. É ridículo pôr as coisas em termos de aglutinar Barcelos, Famalicão ou seja que concelho que for!

    Alguém ainda se lembra do Pacto de Desenvolvimento Regional, assinado com pompa, mas em circunstâncias algo constrangedoras devido à recusa do projecto por parte dos concelhos da Valimar e da birra dos presidentes de Câmara do PS, que mandaram ao Largo do Paço os “vices” ou os vereadores só porque não tiverem direito a discurso? Em 2004, 22 instituições, incluindo câmaras, uniões de sindicatos de Braga e Viana, AIMinho e UM, com o primeiro-ministro Durão Barroso como cabeça de cartaz, comprometeram-se a lutar pelo desenvolvimento regional. Alguém sabe se já há frutos dessas boas intenções?

    Por falar em projectos da UM, lembram-se que Guimarães Rodrigues manifestou a disponibilidade para a Universidade se envolver e colocar toda a sua expressão institucional por detrás de uma candidatura a Região Europeia da Cultura em 2012? Lembram-se do que é que, na altura, disse Mesquita Machado? Recusou a ideia de que a capital europeia da cultura pudesse ser uma região e convidou as outras cidades a associarem a “Bracara Augusta” porque Braga não abdicava do nome no evento. Pois...

    O processo de constituição das áreas metropolitanas foi outro bom mau exemplo. Retalhar um território exíguo apenas contribui para o seu enfraquecimento. Dois distritos deram origem à Grande Área Metropolitana do Minho (13 concelhos), Comunidade Intermunicipal do Vale do Minho (5 concelhos), Comunidade Urbana Valimar (6 concelhos) e Comunidade Urbana do Tâmega (do distrito de Braga foi para lá Celorico de Basto). Alguém se deu conta do ridículo que é chamar comunidade urbana a sítios onde praticamente só há aldeias?! O que é que estas estruturas fizeram?!

    Há, depois, os tristes episódios das regiões de turismo. Quantas vezes vimos Henrique Moura (Verde Minho) e Francisco Sampaio (Alto Minho) a zangaram-se e a fazerem as pazes através da comunicação social, com a Zona de Turismo de Guimarães a assobiar para o ar? E as declarações ridículas dos presidentes de Câmara, mormente as de Defensor Moura a clamar autonomia?! Com estas atitudes depois não se podem queixar do pontapé no traseiro e da anexação ao Porto!

    E será o AvePark um bom exemplo da tentativa de união entre as cidades de Braga e Guimarães? Não me parece...
    Eu continuo a achar que o Instituto de Nanotecnologia devia ter ficado lá perto, nem que fosse já em terreno do concelho de Braga. Penso que a localização escolhida para o Instituto Ibérico não faz sentido, especialmente porque fica estrangulado no meio da cidade.

    Para quê estes exemplos? Para provar que com esta atitude reiterada por parte dos dirigentes políticos dificilmente poderemos ir a algum lado. Sem querer pessimista, temo que ainda vamos estar mais uns bons tempos condenados a ser pequeninos, pequeninos, pequeninos. Exactamente do tamanho do pensamento estratégico dos nossos políticos...

    ResponderEliminar
  32. Falta ao SUEVO dizer, que Guimarães esteve fora do distrito ate á republica, só dependente da capital, como todos os outros distritos.Não quero Braga como parceiro, por todas as incidencias, nós em Guimarães não esqueceremos as maldades. Passem bem,

    ResponderEliminar
  33. Não sendo oriundo deste 'eixo' deprendo, no devir da vida tomada, como uma excelente área geográfica a ser vivida. (ponto) Em Guimarães existem 'Vimaranenses', em Braga alguns 'Bracarenses' no decorrer de um crescimento desenfreado próprio de uma capital portuguesa de distrito. As 'lutas' são episódios democráticos, próprios da condição de Estado existente, que muitas vezes aparenta serem mal interpretadas pelo Social. Não creio que estas, as cidades faladas, continuem a gladiar pelo quer que seja, mas sim construírem, em comum, uma região de potencial e muitíssimo contemporânea.
    Um bem hajam!

    ResponderEliminar
  34. Guimarães é meeeerda!

    ResponderEliminar
  35. Guimarães é sem dúvida uma cidade muito mais unida e forte do que Braga! Nasci em Guimarães e vivo igualmente nesta linda cidade e tenho muito orgulho em pertencer a esta lindíssima comunidade!!! Tava para nem escrever mas existem pessoas tao palermas e estupidas que pensam que vão deitar areia pros olhos das pessoas, quando sabem que as "lutas" serao eternas e passarão de geração em geração... E sim Guimarães sobrepem-se de longe a Braga, sente-se uma paz de espirito em ca viver, uma união e bairrismo saudável envejado pelos demais ;) SOMOS ÚNICOS!

    Braga????? NUNCA estará no nosso mapa como já aqui foi dito... não temos memória curta...

    "Uma CIDADE, uma PAIXÃO, um CLUBE..."

    Bem hajam amigos vimaranenses e vitorianos =)

    ResponderEliminar
  36. Concordo plenamente com o último comentário... o inferno ta cheio de boas intenções e de palavrinhas mansas... tamos bem assim "afastadinhos" dessa escumalha de Braga (=marrocos)...

    ps. - Apesar de tudo parabens ao autor do texto inicial pk demonstrou humildemente a sua opinião contudo isso NUNCA será possivel... ate mesmo recentemente devido à ascensão da nossa cidade a "cidade europeia da cultura" viu-se o "odio" a falar mais alto...

    passem bem...

    Cumprimentos a todos os Vimaranenses e Vitorianos (que confundem-se um pouco ;) )

    ResponderEliminar

Antes de comentar leia sobre a nossa Política de Comentários.

"Mi vida en tus manos", um filme de Nuno Beato

Pesquisar no Avenida Central




Subscreva os Nossos Conteúdos
por Correio Electrónico


Contadores