Bolos a 0,35€ só no Comércio Tradicional

| Partilhar
«Uma pastelaria do centro da cidade de Guimarães, farta de mandar pastéis para o lixo, decidiu apelar aos neurónios e lançar uma campanha. Dito de outra forma mais vale não perder do que não ganhar nada. A partir das 17 horas, os bolos na Supremo Gosto custam apenas 35 cêntimos. Metade do preço normal. Não foi preciso esperar muito para ver que se tratou de uma aposta ganha, aquilo a que os especialistas chamam "boa estratégia de marketing".» [Jornal de Notícias]

14 comentários:

  1. Se eles não perderem dinheiro é sempre bom, porque a maior parte das pessoas que compra um bolo também compra uma bebida.

    Agora se no final das contas eles nem o prejuízo dos bolos amortizam mais valia fazerem "menos quantidade"

    Podiam sempre contactar um engenheiro , um gestor e um consultor fazer uma reunião do conselho de administração da pastelaria para analisar e deliberar (;

    ResponderEliminar
  2. Compreendo o ponto de vista do proprietário, mas não sei se facilitar, ou mesmo incentivar, o acesso a este tipo de produtos é benéfico. Este caso é apenas uma gota no oceano que serve para levantar uma questão: porque é que ainda se olha para bolos, doces, fast-food e afins de forma tão inofensiva? O consumo excessivo destes produtos não só é o responsável por doenças como a diabetes,obesidade ou níveis elevados do colesterol que, como sabemos, conduzem à morte, como também está ligado a graves problemas e distúrbios psicológicos como a bulimia ou a compulsão alimentar que vão destruindo a saúde física e psícológica de milhares de jovens um pouco por toda a parte.
    Eu sei que este comentário pode parecer um pouco fatalista, mas também sei o que é perder pessoas devido à diabetes ou conviver, já há muitos anos, com um disturbio alimentar. Acredito que, um dia, na publicidade estes produtos vão aparecer com aqueles avisos do género "Consumir com moderação" ou a sua venda será proibida a menores de 16 anos. Espero que, pelo bem da saúde pública, a sociedade comece a despertar para esta ameaça, tão agradável aos sentidos como nociva à saúde.

    Constança Melo

    ResponderEliminar
  3. E com Supremo Gosto que se contribuí para que se encham mais os centros de saúde com mais diabeticos e outras "gordurinhas".A isto chama-se propaganda saloia,pois é com papas e bolos que se enganam os tolos.

    ResponderEliminar
  4. Constança Melo e Anónimo:

    Já agora, proponho mais umas medidas:

    -Proíbam os condutores de conduzir, porque podem ter acidentes e os peões de passearem na rua porque podem tropeçar e aleijarem-se.

    -Proíbam as mulheres de terem filhos porque há algumas que se desleixam e abandonam as crianças. Também há as que morrem no parto.

    -Instituam a proibição de subir e descer escadas (ainda há gente que morre assim).

    -Proíbam as relações sexuais porque as pessoas podem apanhar doenças ou engravidar sem querer.

    Aliás, começo a pensar que o governo devia arranjar um conselheiro para andar atrás de cada cidadão a dizer-lhe exactamente o que fazer. Rais parta estes meninos que até podem fazer o que lhes apetece!

    ResponderEliminar
  5. Uma excelente ideia! Afinal o que se estava a fazer antes era deitar € ao lixo...

    ResponderEliminar
  6. Para a empresa:
    Positivo-Cobertura dos custos de produção;
    Negativo-Possibilidade dos clientes passarem a ir lanchar ás 17:00 em vez por exemplo das 16:30;

    Para os consumidores:
    Positivo-O negativo da empresa
    Negativo-Eventualmente comerem 2 bolos em vez de 1.

    :D

    ResponderEliminar
  7. Como expliquei no Filtragens (ate te fiz um desenhinho e tudo por estares de parabens!), em principio em termos de ganho, em euros, na venda de bolos o resultado vai ser ... NULO! :)

    Grande Abraco

    ResponderEliminar
  8. 0,35 Euros, preço de custo? Não.
    A vender a esse preço ainda ganha cerca de 0,10 Euros.

    O proprietario tanto vai ganhar como ainda vai fazer mais uma fornada às 16h30.

    Jorge F.

    ResponderEliminar
  9. A explicaçã está aqui:

    http://filtragens.blogspot.com/2007/11/bolos-035-s-no-comrcio-tradicional.html

    No fundo, partindo de alguns pressupostos razoaveis, ele vende mais bolos, mas não ganha mais com isso ...

    ResponderEliminar
  10. looool! que raciocínio tão "tuga"!!! então só porque os bolos são mais baratos as pessoas vão comer mais?! parece a lógica das castanhas oferecidas em lisboa: é "grátes", vamos enfardar!

    constança, se uma pessoa quiser comer 2 bolos, de certeza que os come, sejam a 0.35, sejam a 0.70. o que acontece com os bolos a 0.35 é que a casa enche mais, porque há MAIS GENTE a ir comer um bolo a 0.35 do que a 0.70. duvido é que vá toda a gente para a jabardice enfardar bolos só porque custam metade do preço normal...

    ResponderEliminar
  11. Pois, Mariana, tem razão...
    é por todos serem muito moderados, razoáveis e por não irem nas ondas que Portugal é um país de pessoas esbeltas e saudáveis. Obesidade infantil, grande percentagem da população adulta obesa e com colesterol? Onde terei ouvido falar disso? Ah, deve ter sido num pasquim qualquer. Mas agora me lembro que, infelizmente já não é preciso ouvir falar ou ler, basta olhar em volta para ver as potenciais vítimas de AVC's a deambular pela rua.
    Concordo que o preço inicial não era um impedimento para a compra do bolo, basta ver, a título de exemplo, as constantes filas para os estabelecimentos McDonalds da cidade para perceber que as pessoas não se importam de pagar cerca de 5 euros por esse tipo de refeições (pouco nutritivas e hipercalóricas), mas que a redução do preço dos bolos para metade vai ser um incentivo, eu acho que vai. E a ideia era essa, não?

    ResponderEliminar
  12. Constança:

    Acha que alguém deve ter o direito de dizer a um cidadão se pode ser gordo?
    A Liberdade é isso mesmo: a possibilidade e responsabilidade de ter, até, comportamentos menos bons.

    ResponderEliminar
  13. deixe lá, constança, que eu sou tão a favor da responsabilidade individual que até apoio a liberalização das drogas duras... continuo a achar que cada um sabe do seu corpo e gere-o como melhor gostar. os gordos a mim não me incomodam desde que não se sintam incomodados.

    ResponderEliminar
  14. A mim também não, mas como bem entenderam, a questão não é estética. Sabem certamente os perigos que uma alimentação desiquilibrada e, consequentemente, os problemas que referi acarretam. Mas, têm toda a razão, a saúde é de cada um. Só não percebo porque é que é legítimo alertar para os perigos do tabaco ou do alcool e não se percebe, ou não se quer ver (porque os médicos estão fartos de falar disso) os malefícios que se encontram nesse tipo de alimentos.

    ResponderEliminar

Antes de comentar leia sobre a nossa Política de Comentários.

"Mi vida en tus manos", um filme de Nuno Beato

Pesquisar no Avenida Central




Subscreva os Nossos Conteúdos
por Correio Electrónico


Contadores