Não estudei numa Faculdade. Felizmente!

| Partilhar


Eis o vídeo que abriu a V Gala Adeus SOF's, um evento obviamente desconhecido para a maioria dos leitores deste blog. Trata-se da festa de despedida de uma das mais importantes, interessantes e longas áreas curriculares do curso de Medicina da Universidade do Minho - Sistemas Orgânicos e Funcionais. Terminar SOF's é dobrar um dos Cabos Bojadores do curso.

Este vídeo, de uma das melhores e mais imaginativas galas de sempre, é o mote para uma conversa que queria ter convosco há algum tempo. Num momento em que o ensino superior passa por diversos constrangimentos, os nossos governantes deviam pôr os olhos (com olhos de ver) na experiência de ensino-aprendizagem do curso de Medicina da Universidade do Minho. Não porque seja melhor que as outras (nem é isso que está em causa), mas porque é a prova de que quando é dada às universidades verdadeira autonomia e oportunidade para inovar é possível fazer muito com poucos recursos, criando vias alternativas para, como bem lembrou o Professor Pinto Machado na aula magistral de abertura do curso, formar médicos peritos em ciência, arte e consciência.

Integrado numa universidade jovem, dinâmica e prestigiada, o curso de Medicina da Universidade do Minho soube aproveitar todas as virtudes do sistema matricial, acrescentando-lhe várias inovações. Desde logo, a integração horizontal e vertical do conhecimento em áreas curriculares, a aprendizagem por objectivos, o contacto precoce com a clínica e a permanente interação com as ciências básicas nos anos mais avançados, o acompanhamento de uma família ou a possibilidade/liberdade de compor uma parte significativa do currículo através do desenvolvimento de Projectos de Opção. E, claro, os Domínios Verticais - dias em que, mais que em todos os outros, radiografamos a condição humana nas suas mais diversas vertentes (do cinema ao desporto, passando pela política, ética, história, literatura, cultura ou visitas a instituições de solidariedade e museus).

Assim foram, entre outras coisas que fiz (algumas das quais só possíveis porque nesta universidade, como em nenhuma outra, é possível o contacto diário com estudantes das várias áreas do conhecimento), os meus últimos 6 anos na Escola de Ciências da Saúde da Universidade do Minho. Apesar de sistematicamente apelidada de Faculdade de Medicina de Braga, a verdade é que não estudamos naquilo que classicamente se entende por faculdade. Felizmente.

11 comentários:

  1. "fazer muito com poucos recursos"???? poucos recursos????? poucos????...quem dera a qualquer curso da UM ter metade dos recursos que medecina possui.

    abraço, fica bem

    ResponderEliminar
  2. O curso de Medicina é um curso caro. A comparação terá que ser feita com os cursos das outras universidades.

    ResponderEliminar
  3. Oh Pedro, desculpa lá, mas o curso de Medicina deve ser o mais caro, de longe, da UM. Dentro da UM é o curso mais favorecido a esse nível e não é que outros cursos necessitem menos. Lembro-me que quando entrei na Universidade, havia coisas que os alunos de LESI nem sequer conseguiam compilar nos computadores da universidade...

    Se queres comparar com outros de Medicina, olha para a de Coimbra, que têm um edifício novo e as salas não conseguem albergar os alunos todos, têm de se dividir por duas salas e ouvir o professor pelas colunas de som...

    ResponderEliminar
  4. Obrigado Pedro pela postagem. Gostava só de salientar duas coisas: primeiro, a Gala não foi preparada pela comissão de ano mas sim pel'A COMISSÂO. Segundo, os estudantes do 2º ano do Minho são os únicos que possuem conhecimentos ao nível dos do 5º das outras faculdades. Os estágios hospitalares aquando do Projecto de Opção mostram isso.

    Grd abraço..

    ResponderEliminar
  5. Caro Pedro,

    Toda gente sabe que os alunos de medecina na mui nobre academia minhota são aqueles que usufruem das melhores instalações, dos melhores equipamentos... São os meninos queridos da universidade. Quem me dera ter o prazer de me sentar em frente a um PC só para mim (tive de o comprar)... Esta academia tem tanto de justa como de injusta, porque não nego que um curso como o teu, tendo em conta a respinsabilidade que vais assumir, deves aprender tendo o melhor ao teu dispor... Mas penso que pagas os mesmos 900 euros que eu!!! Haverá justiça quando eu pago para tu teres as tuas regalias e eu não?

    ResponderEliminar
  6. Acredito plenamente que os alunos de medicina terminam o curso na Universidade do Minho com uma formação muito boa, mas daí a comparar alunos do 2ºano com alunos do 5ºano das outras faculdades... uma afirmação demasiado generalista e um tanto presunçosa, não?

    ResponderEliminar
  7. Antes de mais um enorme pedido de desculpas ao Pedro Morgado visto este post não ter grande coisa a ver com o tema mas isto tem que ser dito.

    Em resposta ao "senhor" Bruno dos Santos. Eu tive o prazer de ir assistir a V Gala Adeus SOF's, e tive o prazer de assistir pessoalmente à ridicularia que é "A COMISSÃO". Admiro a vossa coragem por caracterizarem professores com os quais terão que lidar ao longo de mais 4 anos, mas aquele toque final a elegerem um dos vossos colegas como membro d"a comissão", por amor de deus, quem é que vocês pensam que são? Sejam humildes, não criem rótulos porque esses rótulos um dia mais tarde podem dar razão a pessoas como eu, que nem sequer sou aluno da UM, de que pessoas como vocês esta o mundo cheio e que felizmente não precisamos de mais. Não percebo nada de medicina, e sinceramente estou-me nas tintas para isso, mas quereres comparar alunos de 2º ano com alunos de 5º ano é demais, é pouco convincente visto eles terem mais 3 anos de estudo em cima que vocês.

    O objectivo deste post não é, nem de longe nem de perto, denegrir o curso de medicina nem a UM, mas sim o desabafar de uma pessoa mais ou menos alheia ao que se passa e que pode observar a maneira como certas pessoas que acham que têm o rei na barriga se comportam.

    Mais uma vez um enorme pedido de desculpas Pedro por ter usado o teu blog para tal fim, mas chamaram-me a atenção deste infeliz post e, enfim, é tão triste que não consegui evitar comentar.

    ResponderEliminar
  8. Caro anónimos,

    aceito a crítica apesar, de felizmente, ter ainda a humildade de me identificar. Falar escondido é fácil. Mas aceito e desculpe por incomodá-lo.

    Cumprimentos.

    ResponderEliminar
  9. Caro Bruno,
    Tens toda a razão. As críticas anónimas podem ter objectivos obscuros...

    ResponderEliminar

Antes de comentar leia sobre a nossa Política de Comentários.

"Mi vida en tus manos", um filme de Nuno Beato

Pesquisar no Avenida Central




Subscreva os Nossos Conteúdos
por Correio Electrónico


Contadores