Jornalismo de excrescência

| Partilhar
Segundo o Jornal A Bola (24/02/2007), 153.772 dos 170.858 habitantes do concelho de Braga são adeptos do Benfica.

Já se sabe que A Bola é o jornal oficial do Benfica, mas o ridículo tem limites.

Adenda: Só o saloio lisboeta pode achar que há tanto benfiquista em Braga e ignorar que a realidade se inverteu nos últimos anos. Nos jogos com o Benfica, o Estádio do Braga recebe muitos benfiquistas de Ponte de Lima, Vila Verde, Viana do Castelo, Famalicão, Barcelos, Guimarães, Cabeceiras de Basto, Celorico de Basto, Montalegre, Terras de Bouro, Amares, entre outros.

35 comentários:

  1. Não sei se andará assim tão longe da realidade... nunca vi tanto benfiquista por quilómetro quadrado!!! hehehe!!!

    ResponderEliminar
  2. Não tem!

    È absurdo pensar-se que tem! Nem na Luz há tanto benfiquista.

    A Bola é um jornal absolutamente indencente.

    ResponderEliminar
  3. nao ha duvida que estes lusitanos estao cada vez mais burros cada dia que passa
    o sangue mouro faz-lhes mal à cabeça

    Gallaecia sempre

    ResponderEliminar
  4. A Bola não pode ser levada a sério e isso já sabemos à bastante tempo, pois é literalmente impossivel que exista assim tanto benfiquista.

    baseado naquilo que vejo em Braga eu diria (e sem querer entrar em piadolas, é apenas a minha opiniao) que dos 170.858 talvez cerca de 50000 gostem do benfica.

    um bocadito longe dos numerois do dito jornal.

    já agora os meus parabens pela escalada por essa europa fora.

    quem ganha (para além do braga claro) é Portugal.

    ResponderEliminar
  5. mas ler esse jornal é só para ver afirmação de idolatração ao benfica. vejam por exemplo o postr sobre vitor serpe em: http://culpadomedico.blogspot.com/

    ResponderEliminar
  6. Epá, não sabia que a filha (recém nascida) da vizinha do lado, a minha avó e suas comadres eram benfiquistas. Porra, com tantas benfiquistas devem existir algumas claques femininas, não!? Com tanto benfiquista, quando joga o benfica, a cidade de Braga pará! LoL, de rir mesmo! Até gostava de saber como o(s) jornalista(s) chagaram aquele número. Que palhaçada!!!

    ResponderEliminar
  7. Quanto à objectividade e à cientificidade dos números do órgão oficioso do Benfica, nada posso dizer, por desconhecimento e incompetência. Agora que o Benfica leva sempre mais bracarenses ao magnífico estádio-pedreira do que o próprio Sporting de Braga, todos os sabemos de sabedoria empírica.

    ResponderEliminar
  8. A verdade é que se não são benfiqistas são bracarenses... Bracarenses que quando jogam como Benfica festejam os golos das duas equipas. Em Braga é só benfiquistas. Podem não ser esses os números, mas a verdade é essa...

    ResponderEliminar
  9. ...Embora não possa deixar de concordar que esses números são um exagero, tenho de partilhar convosco que quando entrei na UMinho em 2000 e fui morar para Brg os finais de tarde em que o SLB jogo com transmissão televisiva davam um ambiente de jogo da selecção nacional à cidade, tal era o ruído vindo dos cafés e casas. Nada comparável a jogos de outros clubes.

    É inegável que Brg seja ainda uma cidade de MUITO benfiquismo. E o SCB não merece...

    ResponderEliminar
  10. Caro JC Nunes,

    A realidade é hoje bem distinta. Há muitos mais bracarenses que são SÓ do Braga. Tenho vários exemplos próximos: pessoas que tinham um segundo clube e que agora apenas torcem pelo Braga.

    Nunca sta cidade teve 90% de benfiquistas como nenhuma cidade tem de nenhum clube.

    ResponderEliminar
  11. Caro Diuner,
    É indesmentível que nas últimas 2 épocas estavam mais arsenalistas que benfiquistas no Estádio. É indesmentível.

    ResponderEliminar
  12. falta dizer que 10.000.000 em Portugal são do enfique. lol. tristes...

    ResponderEliminar
  13. mas há 90 % de bracarenses que gostam de futebol !?

    ResponderEliminar
  14. Pois, mas eu e toda a minha família directa somos do BRAGA!

    Apoio o clube da minha terra nem que esteja sozinho...

    Estou-me a cagar para os que não são pelo Braga!

    ResponderEliminar
  15. Sou bracarense e não sou do Benfica! Será que eu não conto para as estatísticas do jornal A BOSTA???

    É engraçado: 90% são do Benfica. Os restantes 10% são os bébés, os dementes, os internados, os que não gostam de futebol e os imigrantes que não apoiam nenhum clube... Em suma: os restantes clubes, incluindo o Braga, não têm nenhum adepto. Engraçado!

    ResponderEliminar
  16. o que vale é que o jornal a bola quer que haja benficas à força, se não com o sucesso que esse clube tem tido nas últimas épocas se calhar já teria desaparecido.

    eles apenas são mantidos pela comunicação social

    ResponderEliminar
  17. lol o benfica é um clube de adeptos pretos, monhes e mouros.

    Tenho muito mais orgulho no meu Braga de Bracarenses e Galaicos :)

    ResponderEliminar
  18. Não há nada como partir a cara a um ou dois jornalistas desse jornal. Há coisas que só se resolve à polada!

    Alguns são benfiquistas e são de Braga!

    ResponderEliminar
  19. Não li o artigo sobre o benfiquismo dos bracarenses.Claro que 90% é ridiculo.Porém não é só em Braga que há muitos benfiquistas...

    Há em todo o lado...

    Eu pessoalmente vivo em Braga desde os 15 anos de idade e quando cá cheguei já era benfiquista.Assim não tenho receio de assumir o meu biclubismo Braga/Benfica...sendo sócio do Braga há 30 anos.

    Mas há sportinguistas e portistas que também são bracarenses e não há qualquer problema...

    A propósito, em Guimarães também há muitos benfiquistas embora não exista nenhuma Casa do Benfica...

    Mas em Braga também não há Casa do Benfica..., isto é não tem actividade...

    ResponderEliminar
  20. O que os jornalistas mentirosos e provocadores da Bola não querem ver:

    O Estádio 1º de Maio, foi inaugurado por volta de 1950 e foi mandado construir por Salazar, numa homenagem à cidade de Braga. Nessa altura, do grande Benfica de Eusébio património do Estado, bi-campeão europeu, o povo português delirava com o Benfica. E, note-se já nesse tempo, havia a rivalidade visceral com o FCPorto. Então, como os benfiquistas nunca foram bem-vindos nas Antas, onde, por exclusão de partes, poderiam eles ver o seu Benfica, em condições e aos milhares, que não fosse em Braga no Estádio 1º de Maio? Coimbra, Guimarães, Leixões, Bessa, Espinho, Chaves, Póvoa de Varzim, Vila do Conde e outros aqui perto eram campos pequeníssimos e sem condições. Assim, esta é a minha teoria e penso que não fugirá muito à realidade, demonstra que em Braga se assiste a uma romaria tradicional, de longa data, de adeptos do benfica, de todo o Minho, Trás-os-Montes e Douro Litoral, que querem ver o seu clube em condições e num território muito menos adverso que no Porto.
    A mim, isto não me incomoda absolutamente nada, sei ver que o Benfica tem imensos adeptos, não só em Braga como no país todo e nas comunidades lusófonas e emigrantes; estes mesmos aficionados benfiquista são bem-vindos no Estádio Municipal de Braga, tal como sempre o foram no Estádio 1º de Maio ao longo das décadas em que este estádio era dos melhores em Portugal.


    Força Braga!!

    ResponderEliminar
  21. A força do Benfica e Sporting poderia acabar em pouco tempo cá no norte se o norte fosse independente.
    Infelizmente a merda do estado lusitano, esconde a nossa verdadeira historia e a nossa verdadeira identidade. Diz que somos lusitanos, que Portugal é um verdadeiro país quando nao passa de um conjunto de naçoes como Belgica, Espanha ou Suiça.
    Ora assim apesar do sentimento de diferença e rivalidade norte/ sul, a esmagadora maioria dos nortenhos pensa que os clubes abaixo do Mondego sao do seu pais.

    Se nos tornassemos independentes e nos contassem a nossa verdadeira historia e nao escondessem a nossa verdadeira identidade, o benfica e sporting rapidamente passavam à condiçao de clube estrangeiro que na verdade é isso que eles sao.
    Sao clubes lusitanos e nao tem nenhum sentido um galaico ter como principal clube um clube estrangeiro.

    Eu como Galaico só apoio os clubes da Galécia. Para mim os clubes abaixo do Mondego são como clubes da Roménia ou da Grécia, não me interessam nada.


    Primeiro está o meu Braga e depois os restantes clubes da Galécia (Deportivo da Corunha, Celta de Vigo, Porto, Boavista, Beira-Mar, Academica, Guimarães, etc..

    ResponderEliminar
  22. "O Estádio 1º de Maio, foi inaugurado por volta de 1950 e foi mandado construir por Salazar, numa homenagem à cidade de Braga. Nessa altura, do grande Benfica de Eusébio património do Estado, bi-campeão europeu, o povo português delirava com o Benfica. E, note-se já nesse tempo, havia a rivalidade visceral com o FCPorto. Então, como os benfiquistas nunca foram bem-vindos nas Antas.." FRANCISCO RODRIGUES

    Estás completamente enganado, Francisco Rodrigues...
    Nos anos 50 quem reinava em Portugal era o Sporting (chegou a ganhar 7 campeonatos em oito anos...).O Benfica só apareceu nos anos 60 (e o Eusébio também), com o advento da televisão, o grande meio de divulgação benfiquista - os exitos do Sporting só foram conhecidos pelo País pela radio, daí não haver sportinguistas em Portugal.

    Nessa altura a rivalidade Benfica-Porto era relativa...O grande rival do Benfica sempre foi o Sporting e ainda é para os lisboetas.

    O Porto só é um grande rival do Benfica para os benfiquistas do Norte.Eu, se o Benfica não for campeão quero que seja o Sporting(o Braga infelizmente ainda não conta para esta luta), enquanto que um benfiquista de Lisboa quer que o campeão alternativo seja o Porto.

    A rivalidade Benfica-Porto foi uma invenção da dupla Pedroto/Pinto da Costa e com a ajuda do controle das Associações de Futebol do Norte e dos seus votos na Federação, - depois do 25 de Abril as equipas do Sul faliram todas - situação que originou o controle da arbitragem em Portugal durante muitos anos, para além de algum mérito,redundou num reforço da posição portista nos ultimos 2o anos.

    Quanto ao Braguense, quero dizer-lhe que em Portugal só há uma nação, que em área e população é igual à Andaluzia.Quando muito a esta nação (Portugal) pode-lhes juntar a Galiza, cujo espanholismo nos últimos 100 anos (com a escolarização das populações)se afastou.

    Assim, se a Andaluzia é uma região, Portugal é um região também, não sendo preciso nenhuma regionalização e muito menos independência.

    ResponderEliminar
  23. Enganas-te redondamente.
    Portugal não é nenhuma nação. Portugal é como a Espanha, um conjunto de nações. Possui a parte sul da Galiza e depois possui a Lusitânia e nesta pode-se ainda acrescentar o Algarve por ser diferente da Lusitania e alias no passado chamava-se Portugal e Reino dos Al-Gharbs pela grande diferença para com o mouro Algarve.
    As diferenças entre os varios povos de Portugal sao claramente visiveis com os nossos olhos.

    Portanto podemos dizer claramente que em Portugal ha 3 nações. Quanto muito podes dizer 2, Galiza Sul (Norte de Portugal até ao Mondego) e Lusitania (incluindo o Algarve, embora seja ridiculo incluir o Algarve na Lusitania).

    Depois Regionalizaçao é uma coisa precisa quer concordes ou nao com a independencia do norte. Uma das grandes causas do atraso de Portugal e da regiao norte é por nao haver regionalizaçao. Vê só esta noticia http://legiaoinvicta.blogspot.com/2007/02/silva-peneda.html ( "Investir 4,6% numa região onde reside 37% da população diz tudo." ou seja o norte é uma autentica colonia)
    Portugal é o pais mais centralista da Europa. Ha paises europeus mais pequenos que Portugal e que estao divididos por regioes autonomas. Informa-te mais sobre economia e funcionamento de países europeus e veras que é ridiculo nao defenderes a regionalizaçao.

    Andaluzia é uma regiao homogenea etnicamente, ja Portugal não o é. como disse Portugal tem claramente 3 povos, Galaicos, Lusitanos e algarvios, todos eles com uma historia e cultura diferente.
    O norte é mais celta (era tão celta como a Galiza, mas por estar ligado ao resto de Portugal tem vindo a perder essa identidade Celta), o centro tem como caracteristica os fados e as touradas e o Algarve enfim tem uma cultura muito mais arabizada que se pode ver bem principalmente na arquitectura

    Quanto à Galiza somente poderia formar país com o norte de Portugal para formarem assim o antigo país Gallaecia (ver mapa http://bp1.blogger.com/_8KJI53MIJd8/RZv8kOeAGvI/AAAAAAAAAAU/vQHiNRx8Tak/s400/Gal.jpg ), um verdadeiro país, não um país artificial como Portugal.

    Ja tinha metido noutro topico, mas meto aqui novamente para ti:

    altamente recomendado, le principalmente este antes de tudo http://legiaoinvicta.blogspot.com/2005/11/o-conflito-identitrio-i.html

    http://legiaoinvicta.blogspot.com/2005/07/daniel-castelo-e-nossa-raa.html
    http://legiaoinvicta.blogspot.com/2005/07/daniel-castelo-e-nossa-raa.html
    http://galizaria.blogspot.com/2006/03/incompatibilidade-entre-ser-racialista.html

    http://legiaoinvicta.blogspot.com/2006/06/conflito-identitrio-iii.html

    estes textos estao na secçao identidade de redegalaica.blogspot.com mas pos aqui para tu saberes os que deves ler.

    Nem sempre o que está instituido é o que está certo. Portugal é um mero erro histórico e as suas fronteiras não respeitam as verdadeiras nações pois divide a Galécia a meio, divide a antiga Lusitânia a meio e ainda por cima mete num só pais, uma metade da Galiza, uma metade da Lusitania e o Algarve.

    Portugal enquanto nação é uma aberração, não existe, assim como Espanha e Bélgica não existem enquanto nações, são apenas países que incorporam várias nações diferentes.

    Depois, não sei se sabes, o sistema passa a vida a dizer que somos Lusitanos, quando na verdade como disse o Norte é Galaico, não tem nada de Lusitano.

    A maioria não aceita isto porque foi educada desde criança a acreditar no Portugal do Minho ao Al-Gharb enquanto país e a acreditar que somos todos lusitanos e que somos um verdadeiro país.
    Mas nem sempre o que nos educam é o que esta certo. A historia de Portugal esta completamente manipulada e omite de propósito a historia e identidade do norte de Portugal, o facto deste ter uma identidade Galega, o facto deste ser uma parte da Galécia, país que mais tarde passou a chamar-se Reino da Galiza.

    Se queres continuar a pensar que és Lusitano e que a verdadeira identidade do Norte é do Minho ao Algarve é contigo.. mas a realidade é que o nosso verdadeiro país e identidade é da Galiza ao Mondego e não somos Lusitanos mas sim Galaicos ou Galegos, como lhe queiras chamar

    ResponderEliminar
  24. Outro texto altamente recomendado e que deves ler depois de http://legiaoinvicta.blogspot.com/2005/11/o-conflito-identitrio-i.html

    é http://calecia.blogaliza.org/2006/09/05/a-verdadeira-galiza

    le principalmente estes 2 textos se tiveres pouco tempo.
    Agora tens de ter uma mente aberta, não uma mente fechada que aceita todas as mentiras que lhe ensinaram em pequeno e rejeita os verdadeiros factos historicos e a realidade.

    ResponderEliminar
  25. será que os jornalistas de A Bola alguma vez sairam de Lisboa?
    As finais de Sevilha e da Arena AlfShalk devem ser umas grandes espinhas entaladas naquelas gargantas.
    agora havia de ser o Braga a fazer um brilharete na UEFA.

    ResponderEliminar
  26. BRAGUENSE:

    Vejo que estás dentro da coisa...
    Mas, penso que as eventuais diferenças que referes foram diluidas no último milénio.

    O galaico-português ainda sobreviveu muito tempo, mas a Galécia perdeu consistência com o tempo.Uma coisa curiosa é por exemplo a caracteristica céltica do folclore galego, com o uso da gaita de foles, situação que não existe no folclore do Norte de Portugal, salvo nalgumas zonas da raia.

    Hoje, pode dizer-se que da cultura moura pouco sobreviveu, já que os mouros foram expulsos há muito tempo de Portugal, com excepção do Algarve, ao contrário da Andaluzia.

    Não obstante existem idiosincrasias especificas na população portuguesa, claro.O conservadorismo nortenho é uma realidade concreta que julgo dever-se à pouca penetração na região de novos povos bárbaros.Porém tal não constitui senão um traço indelevel...

    A arquitectura algarvia tem, claro, muito a ver com o clima mediterrâneo e é comum a outras zonas quentes.

    Nada que se compare com a Espanha.Então Portugal é uma nação com nuances diferenciadoras.Não vamos criar falsos sentimentos de nacionalismo.

    Aliás, Portugal, como dizes, é um acidente, mas só devido à revolta da Catalunha, cujo esmagamento obrigou os FILIPES a dividirem o esforço de guerra e a perderem Portugal.Era a época da INVENCIVEL ARMADA e Portugal não tinha a minima hipótese de sobreviver e a fusão estava já praticamente assimilada, salvo nalguns estratos da burguesia rural.

    Aliás só vês Miranda do Douro a reivindicar uma lingua, aliás dialecto.

    Agora a regionalização não significa necessariamente aumento de recurso financeiros.Diferente é uma melhor distruição dos recursos e isso pode ser feito de várias maneiras.Mas o Norte nunca teria a força reivindicativa da Catalunha, que troca a paz com Castela por autonomia finaceira ao nível da cobrança das receitas fiscais.A Madeira conseguiu um grande desenvolvimento (bom fluxo financeiro do orçamento de estado)mas à custa permanente da ameaça da independência.Veja-se o que Jardim agora está a fazer por 2% de diferença nos recursos, segundo o Expresso.Se a futura lei de finanças regionais (em eventual regionalização)não der recursos não te podes desenvolver, apesar de poderes fazer alguns acordos de desenvolvimento inter-regionais à margem do Governo Central, mas isso hoje já é possível.
    Quem dera que a regionalização fosse panaceia...

    ResponderEliminar
  27. "mas a Galécia perdeu consistência com o tempo.Uma coisa curiosa é por exemplo a caracteristica céltica do folclore galego, com o uso da gaita de foles, situação que não existe no folclore do Norte de Portugal, salvo nalgumas zonas da raia."

    Pois, concordo contigo, o norte tem vindo a perder a sua identidade.
    Por isso e por outras razoes é que concordo plenamente com o Braguense, o norte de Portugal deve-se tornar independente e afastar-se completamente das terras abaixo do mondego.
    Somos uma nação que foi dividida no passado e temos de nos unir novamente e preservar a nossa identidade galaica.

    ResponderEliminar
  28. "Mas, penso que as eventuais diferenças que referes foram diluidas no último milénio."

    Não ainda não foram. Etnicamente pouco mudou, já que a revoluçao dos transportes e imigração só começou nestes ultimos anos, se tivesse começado ha uns 500 ai então eramos todos como os Brasileiros, autentica mistura. Mesmo a nivel de misturas com o resto do pais, devido à dificuldade de mobilizaçao do passado, lembra-te que ir a uma cidadezita nao muito longe demorava dias e por vezes semanas ou meses, tivemos poucas e por isso ainda somos Galegos.
    A nivel cultural ainda conservamos muita coisa e mesmo linguisticamente a nivel da pronuncia ainda temos uma certa pronuncia do norte.
    Agora se as coisas continuam como estão é que vao ser diluidas, com a revoluçao dos transportes, massiva imigração, ai sim as coisas estao a ser diluidas a um ritmo frenético. Se sobrevivemos uns 900 anos no passado, agora não conseguiremos sobreviver mais que 100 ou 200.

    Claro que a nivel cultural como dizes a Galiza conservou-se muito melhor (talvez por serem regiao autonoma), ainda mantem a celticidade do passado, coisa que nós perdemos e temos vindo a perder cada vez mais. Mas se isto continua como está ai é que perdemos mesmo tudo. Por isso a independencia é fundamental para nos preservarmos.

    Sim, se Espanha nao se tivesse mobilizado para a Catalunha hoje Portugal não era independente. E tu aposto que concordarias, assim como a maioria dos Galegos, Catalaes e Bascos concordam em estar ligados a Espanha e nao querem independencia.
    Porquê? porque o ser humano geralmente defende o que esta instituido e nunca o que está certo, correcto.

    Hoje defendes Portugal porque nasceste ja com ele e quando eras pequeno ensinaram-te que era assim e assado e que somos um verdadeiro país, coisa que na realidade não é, mas tu defendes.
    Já se tivesses nascido num Portugal que dividisse a meio a região norte e fosse até Marrocos, já dirias que esse era o teu verdadeiro país e que essa parte de Marrocos apesar de diferente era Portugal.
    Se para cima de Matosinhos fosse Espanha e abaixo do Mondego fosse Espanha, ja defendias que o teu país seria esse.

    Infelizmente a maioria das pessoas defende o que está instituido e não o que está correcto, esse é um dos grandes males do ser humano.

    Portugal na realidade como disse é uma aberração, não existe como país, é como a Espanha.
    Repara que Portugal tem metade da Lusitânia, metade da Galécia e o Algarve, tudo nações diferentes etnicamente, culturalmente e historicamente.

    O correcto seria Galécia até ao Mondego, Lusitania e Algarve como países, Catalunha, Pais Basco e Andaluzia independentes. Se a maioria em vez de aceitar e defender o que lhes é instituido defendesse o que está correcto seria assim a divisao da Iberia.

    ResponderEliminar
  29. Caro Pedro Morgado,
    Nas duas últimas épocas houve mais afluência de apoiantes do braga do que apoiantes do benfica? É notória a sua parcialidade neste tema! (assim como em muitos outros) Há que saber abstrair-se das suas convicções e fazer afirmações que correspondam à verdade e não à sua opinião. Relativamente ao jornal A Bola pode facilmente constatar que, entre os jornais desportivos, é o jornal mais imparcial do mercado. Quanto ao adeptos do braga vs. adeptos do benfica na cidade de braga, esses números não são verdadeiros, mas pode ter a certeza que nessa cidade, os apoiantes do benfica estão em número superior ao número de apoiantes do braga. Que esta diferença tem diminuído? concordo absolutamente. Que a diferença se inverteu? Discordo profundamente!

    Saudações

    ResponderEliminar
  30. Caro Pedro Morgado,
    Nas duas últimas épocas houve mais afluência de apoiantes do braga do que apoiantes do benfica? É notória a sua parcialidade neste tema! (assim como em muitos outros) Há que saber abstrair-se das suas convicções e fazer afirmações que correspondam à verdade e não à sua opinião. Relativamente ao jornal A Bola pode facilmente constatar que, entre os jornais desportivos, é o jornal mais imparcial do mercado. Quanto ao adeptos do braga vs. adeptos do benfica na cidade de braga, esses números não são verdadeiros, mas pode ter a certeza que nessa cidade, os apoiantes do benfica estão em número superior ao número de apoiantes do braga. Que esta diferença tem diminuído? concordo absolutamente. Que a diferença se inverteu? Discordo profundamente!

    Saudações

    ResponderEliminar
  31. Caro Anónimo,

    1º "Nas duas últimas épocas houve mais afluência de apoiantes do braga do que apoiantes do benfica?"
    Houve. Eu estive no Estádio. E tenho o Jornal A Bola do dia seguinte a esses jogos em que isso mesmo é por lá escrito. Você esteve nos jogos?

    2º "É notória a sua parcialidade neste tema! (assim como em muitos outros)"
    Este é um blog pessoal que exprime opiniões pessoais, não estando por isso sujeito ao dever de imparcialidade.

    3º "Relativamente ao jornal A Bola pode facilmente constatar que, entre os jornais desportivos, é o jornal mais imparcial do mercado."
    É a sua opinião. Estou em completo desacordo.

    4º "Quanto ao adeptos do braga vs. adeptos do benfica na cidade de braga, esses números não são verdadeiros"
    Logo A Bola é PARCIAL. E, como jornal que é, está obrigada ao dever de imparcialidade.

    5º Que a diferença se inverteu? Discordo profundamente!
    Só há um estudo sobre esta matéria. Foi realizado pelo Departamento de Sociologia da UM e indicou que na cidade de Braga (19 freguesias urbanas) o clube com mais adeptos é o Sporting de Braga. No restante concelho ganha o Benfica. Este estudo foi amplamente divulgado nos órgãos de comunicação social há cerca de ano e meio. Tenho os jornais em papel.

    Saudações.

    ResponderEliminar
  32. Caro Pedro Morgado,
    Relativamente ao primeiro ponto, eu também estive no estádio e tivemos percepções completamente diferentes das massas associativas.
    Quanto ao segundo ponto, apesar de ser um blog pessoal não creio que se deva proferir afirmações descreditando jornais competentes.
    Quanto aos demais pontos, creio que são aspectos de carácter mais opinativo visto não haver dados concretos.
    Queria só salientar o facto de apesar de discordar da sua opinião neste tema, achei o seu blog interessante e que proporciona temas interessantes aos seus leitores!
    Sem mais de momento,

    Saudações cordiais.

    ResponderEliminar
  33. Gostei dos posts do Braguense.
    Como vimaranense, identifico-me bastante com a nossa região onde nasceu a língua portuguesa
    Quando dizes Espanha, deverias precisar, Castela

    ResponderEliminar
  34. Pena é que a língua e a pronúncia que temos no norte esteja degradada pela influência sulista.
    Aliás o mesmo se pode dizer dos galegos em relação à dominação castelhana.

    Juntos, os nortenhos e os galegos, poderiamos re-erguer a verdadeira identidade da língua

    ResponderEliminar
  35. Eh, de Braga já sabíamos algum atraso, agora, assim, tão dessa parolada... que se explica ante o seu despeito pelo Porto, como pelo mesmo beatério que lhe vem da aura salazarista dos padres. E não é nada ao pé de quando aqui estudei pa revolucionária.
    Mas que parola é, então, Braga!

    amelie

    ResponderEliminar

Antes de comentar leia sobre a nossa Política de Comentários.

"Mi vida en tus manos", um filme de Nuno Beato

Pesquisar no Avenida Central




Subscreva os Nossos Conteúdos
por Correio Electrónico


Contadores