Como Educar para o Civismo

| Partilhar
A Câmara de Braga e a Unidade Operativa de Saúde Pública lançaram, há poucos dias, uma campanha de sensibilização sob o lema "Não alimente os pombos", dadas as justificadas ameaças que estes animais fazem pender sobre a saúde pública e os danos que provocam no património edificado da cidade. Hoje de tarde assisti a uma cena que exemplifica todas as nossas culpas na falta de civismo que polula entre os mais jovens: a dona de uma pastelaria do centro de Braga levou comida a um grupo de crianças de um jardim de infância que passeava pela cidade para que alimentassem aos pombos. Tudo sobre o olhar embevecido das acompanhantes e responsáveis das crianças. Falei tanto com a dona da pastelaria como com uma das responsáveis pelo acompanhamento das crianças. Fiquei absolutamente incrédulo: ambas sabiam que era desaconselhável (e proibido) alimentar os pombos; ambas insistiram em não fazer nada, mesmo após terem sido alertadas. Portugal no seu melhor.

6 comentários:

  1. Na sei, é alarido a mais, paranóia a mais. Mas é sobretudo por lhes chamarem «ratos» na imagem (do mail que também recebi) que torci logo o nariz. Não fossem os pombos e os aliados bem que tinham perdido a 2ª Guerra... enfim.

    ResponderEliminar
  2. ratos pq tb sao uma verdadeira peste e reproduzem-se muito!! de imediato sao os monumentos os principais sacrificados com tantos pombos, mas o grande problema é se por qq doença, sem falar na gripe das aves, a expansao é imediata!! a medida nao me parece a mais eficaz. pq vai continuar haver pessoas que acham piada dar de comer as aves! eficaz seria, como fizeram em vigo penso, a distribuiçao de milho que os torna estereis!

    ResponderEliminar
  3. Em LX supostamente deitam milho com contraceptivo e eu não noto lá grande diferença. Mas da forma como a CML é, ng sabe mesmo se o fazem de forma correcta...

    Os pombos são uma verdadeira peste:
    - as ruas em que há mais velhinhas que alimentam pombos estão imundas (a pedra branca da calçada fica cinzento escuro),
    - começam a fazer barulho nas janelas às 5/6 da madrugada,
    - não se pode deixar janelas abertas (mesmo com as persianas corridas só com os buraquinhos abertos) o que é tão agradável nas noites quentes de Verão porque entra sempre alguma coisa e aqui em casa têm todos alergias,
    - praticamente já não ponho a roupa a secar no estendal nas traseiras porque todas as semanas tinha uma peça de roupa "atingida",
    - as janelas e as persianas estão sempre a ficar sujas,
    - não quero imaginar como está o telhado do meu prédio,
    - os microrganismos não são propriamente simpáticos.
    Os pombos conseguem alimentar-se sozinhos. Quando alguém os alimenta só favorece a sua maior e mais rápida reprodução (ouvi em qualquer lado que passam a ter mais ciclos por ano), ou seja, para manter uma população normal não é preciso dar-lhes comida.

    PS: A minha mãe é odiada por umas quantas velhinhas aqui da rua (mas odiada mesmo lol), porque fez queixa na CML e, de vez em quando, o canil vem aqui à zona, apanhá-los.

    ResponderEliminar
  4. Ou então, aquele exemplo soberbo da loja de recordações no Bom Jesus que vende milho para alimentar os pombos...
    Quanto à ideia dos pombos serem os ratos do ar... Sim senhora, assim com o as gaivotas são os ratos do mar.

    ResponderEliminar
  5. Com tanta coisa que anda por aí vão-se preocupar com os pombos??? Deixem lá os pombos que ainda servem para alguma coisa. Pelo menos não se calam. Reparem quando o mesquita entra nos Congregados, os pombos começam logo "cuuu cuucorrupto, cuucorrupto, cuucorrupto..." Reparem bem, os pombos é que sabem...

    ResponderEliminar
  6. Depois querem que o país vá para a frente se as próprias pessoas não fazem nada para que isso aconteça!
    Deviam era pagar multa, e você como cidadão devia denunciar essas pessoas!!!

    ResponderEliminar

Antes de comentar leia sobre a nossa Política de Comentários.

"Mi vida en tus manos", um filme de Nuno Beato

Pesquisar no Avenida Central




Subscreva os Nossos Conteúdos
por Correio Electrónico


Contadores