Ainda o Estádio AXA (correcção)

| Partilhar
Ao contrário do que aqui afirmei, as despesas de manutenção são asseguradas pela Câmara Municipal de Braga, estando as despesas de funcionamento ao encargo do clube.

As questões essenciais mantêm-se: 1) não há outra instituição no concelho capaz de gerir aquele recinto; 2) não há associação que melhor promova internacionalmente a cidade; 3) em termos de naming, o valor comercial do Estádio advém exclusivamente da projecção que as actividades desenvolvidas pelo Sporting Clube de Braga lhe confere.

7 comentários:

  1. A questão essencial é que a CMB fez um estádio para uso exclusivo de um clube que, como afirmas, é o único que pode e poderá fazer uso dele. E mesmo isso... é até ver... Porque temos o exemplo de gestão do Beira-Mar e do estádio de Aveiro...

    ResponderEliminar
  2. A clubite quando ataca tolda todas consciências e é uma pena.

    Parece-me normal que o SC Braga defenda os seus interesses e faça a sua melhor gestão. Só que não se deve confundir a cidade com o clube. O clube avalia os seus interesses, a cidade devia preocupar-se com os seus. Não o fez quando construiu o estádio e continua a não o fazer na sua gestão. A verdade é que os custos são da cidade, mas a receita é do clube.

    O clube pode dar valor comercial ao estádio, mas ele só existe porque a cidade o está a pagar. As cidades afirmam-se por serem competitivas, não por glórias efémeras se a bola entra ou não entra. As cidades não se tornam melhores porque o clube melhora, embora o inverso possa ser verdadeiro. Há muitas melhores formas de promover a cidade. A economia, o ensino, a investigação e a cultura serão certamente muito mais eficazes que o futebol.

    ResponderEliminar
  3. Caro anónimo,

    Estamos de acordo, mas o facto é que o erro de construir este estádio já foi cometido e nisso não podemos voltar atrás. Não tenho qualquer dúvida que o Sporting de Braga conseguiria rentabilizar um estádio de pior qualidade (como o do Rio Ave) de forma idêntica à que tem rentabilizado o Municipal de Braga. Já a Câmara de Braga, sem o SC Braga, nunca conseguiria vender o naming right do estádio - esta é que é a questão essencial. O Sporting de Braga não pode pagar os erros do município - esses têm que ser politicamente assumidos por quem os cometeu.

    ResponderEliminar
  4. Bem, avaliar erros é uma tarefa difícil.

    A verdade é que se o Porto tem a casa da música e por ela é conhecido (a sua arquitectura), neste campo o Estádio municipal de Braga marca pontos em todo o mundo! Estamos falados pois não há argumentação que resista a este argumento. Quanto á sua funcionalidade..., ainda bem que existe um clube a jogar futebol que é candidato aos lugares cimeiros do campeonato português.
    Caro Pedro, reconhecendo que há melhores formas de investir dinheiro, a verdade é que o investimento no estádio não é comparável com um investimento submergível, vulgo submarino, que não se vê e não é desfrutado por ninguém!

    ResponderEliminar
  5. Bem, avaliar erros é uma tarefa difícil.

    A verdade é que se o Porto tem a casa da música e por ela é conhecido (a sua arquitectura), neste campo o Estádio municipal de Braga marca pontos em todo o mundo! Estamos falados pois não há argumentação que resista a este argumento. Quanto á sua funcionalidade..., ainda bem que existe um clube a jogar futebol que é candidato aos lugares cimeiros do campeonato português.
    Caro Pedro, reconhecendo que há melhores formas de investir dinheiro, a verdade é que o investimento no estádio não é comparável com um investimento submergível, vulgo submarino, que não se vê e não é desfrutado por ninguém!

    ResponderEliminar
  6. Aqui ou nosso lado há uma cidade que não investiu no cimento. Aqui ao nosso lado há uma cidade que investiu em si. Aqui ao nosso lado há uma cidade que é património da Unesco. Aqui ao nosso lado há uma cidade que começa a entrar nos circuitos turísticos internacionais. Aqui ao nosso lado há uma cidade que vai ser capital da cultura. Aqui ao nosso lado há uma cidade que viu o seu património reconhecido nas efémas glórias dos sindicatos de voto. Aqui ao nosso lado há uma cidade onde o futebol é mais importante que em Braga. Aqui ao nosso lado há um clube que que não vive dos seus adeptos e não da sua cidade. Aqui ao nosso lado há um clube que desceu à segunda e mas sua cidade continuou a ganhar. Eu, ao contrário do presidente do clube da minha cidade, não quero estar na cidade aqui ao lado. Eu só gostava que as opções da minha cidade tivessem sido outras. Eu gostava que o responsável pela minha cidade fosse para outro lado.

    ResponderEliminar
  7. Com esta história do Estádio AXA é que se vê quem temos cá em Braga.
    Alguém pensou que não se vai deitar o estádio abaixo agora???
    Andem para a frente, o erro já foi cometido.
    Devemos tentar rentabilizar esse erro?
    Se não gostamos da opção do M.M. votámos nas próximas eleições, simples.
    É bonito ter muita oferta cultural e muito betão, mas depois vêem-se câmaras como a de Lisboa e a do Porto que estão atoladas de dívidas.
    Fica a pergunta....culto mas a dever dinheiro???
    Eu não sei, mas parece-me que toda a gente quer montes de espectáculos de rua, peças de teatro, concertos, mas depois vai-se a ver e esses mesmos eventos estão com lotações a 50%. Claro que depois voçês dizem "Mas não são espectáculos de qualidade ..."
    Pois, mas espectáculos de altíssima qualidade custam muito dinheiro, e eu não quero pagar 40€ por um bilhete para uma ópera (por exemplo) porque quero ir ao futebol, ou quero ir beber umas cervejas para o café (se bem que uma não tem nada a ver com a outra).
    Enfim..........questões....

    ResponderEliminar

Antes de comentar leia sobre a nossa Política de Comentários.

"Mi vida en tus manos", um filme de Nuno Beato

Pesquisar no Avenida Central




Subscreva os Nossos Conteúdos
por Correio Electrónico


Contadores