Confiança

| 2 Comentários | Partilhar
Transformar a antiga fábrica «Confiança», na Rua Nova de santa Cruz, em Braga, num centro cultural é o objectivo de uma petição que já circula na internet. A ideia partiu do bisneto de um dos fundadores desta empresa de sabonetes e perfumes de renome mundial. Em declarações à Universitária, José Coimbra disse que pretende, acima de tudo, evitar a construção de prédios naquele espaço. [RUM]

Se existe algum aparente desinteresse de privados no investimento cultural na cidade de Braga, há uma quota-parte de responsabilidade em quem dirige a Câmara Municipal, pois é esta que licencia; ou, dito de outra forma, é esta que licencia, como se não houvesse amanhã, a construção de prédios, parques de estacionamento, centros comerciais, etc. Assim, não é por acaso que a petição é dirigida à Câmara Municipal e aos partidos a que a ela hoje concorrem. Procurará, no fundo, evitar que a Confiança se torne numa Pachancho.

Ganhar Eleições

| 21 Comentários | Partilhar

© Pedro Guimarães / projectobragatempo

É um dado adquirido que neste concelho há muitos eleitores que - mesmo votando regularmente no PS - estão desejosos que Mesquita Machado saia. Vêem Mesquita, entre outras coisas, como o grande responsável pelo desmando urbanístico do concelho. A uma parte destes eleitores é indiferente o perfil do candidato da oposição pois o que desejam é simplesmente uma mudança (na verdade, uma “limpeza”). Para estes eleitores, o voto em Ricardo Rio poderá ser a solução mais eficaz para realizarem o seu desejo.

Mas há outros eleitores que, apesar de discordarem da política de Mesquita, precisam de acreditar na alternativa. Para deixarem de votar nos partidos (de esquerda) precisam de ver e sentir que vai de facto haver uma mudança para melhor (e não uma simples mudança). Ora, ter um projecto para Braga não é uma missão muito difícil. Mesquita facilita bastante esta tarefa na medida em que, além das já três décadas de poder e do demasiado visível desordenamento urbano, tem vindo a rodear-se de uma equipa cada vez mais fraca e desgastada, apresenta cada vez menos promessas ambiciosas e parte dos seus projectos são reformulações de projectos falhados (Mercado do Carandá, renaturalização do Rio Este) ou até simples repetição de promessas anteriores (Parque Norte, Parque das Sete Fontes, Braga Digital).

É por isso extraordinário que Ricardo Rio, que há seis anos se apresenta como alternativa a Mesquita, ainda não tenha programa. Há mais de um mês que a secção Programa do seu site está em construção. Apenas hoje – a dez dias das eleições – será finalmente apresentado.

Mas para ter um projecto credível, além de ideias, é necessário uma equipa a sério. Convém não esquecer que por uma imposição legal (absurda), após as eleições o Presidente da Câmara não pode escolher livremente os seus vereadores. É por isso confrangedor ouvir aqui as declarações da desconhecida equipa de Rio - nem uma ideia para a cidade! Aliás é sintomático desta falta de estratégia a escolha de Miguel Bandeira para mandatário. Se Bandeira é, sem dúvida, uma grande mais-valia (e a meu ver, para qualquer lugar no município), não deixa de ser um desperdício que, a alguém com toda a sua experiência, visão e conhecimento da cidade, seja oferecido um lugar efémero e decorativo. Se, por exemplo, a coligação tivesse apresentado Miguel Bandeira como futuro Vereador do Urbanismo teria dado aos bracarenses um sinal firme de que tudo iria mudar com estas eleições.

Perante isto fica a dúvida: Ricardo Rio quer mudar a cidade ou só quer ganhar as eleições?

[artigo publicado hoje no Diário do Minho]

Escutas

| 9 Comentários | Partilhar
Resumindo: houve escutas porque, no Verão, uns tipos do PS apareceram a denunciar umas coisas que não ocorreram e que só souberam que ocorreram porque andaram a espiar. É isto, não é?

Democracia Imperfeita

| 5 Comentários | Partilhar
Há uns meses, Mesquita Machada foi à Avenida da Liberdade participar numa encenação mediática com vista à inauguração do prolongamento do túnel rodoviário. Mesmo depois de gorada a promessa de construir uma praça defronte do Theatro Circo, Mesquita subiu à varanda do mesmo para ali se emocionar numa espécie de acção de campanha para as eleições que se aproximam.

Apesar de se permitir a estes episódios, a Administração do Theatro Circo não se coibiu de impedir a realização de acções políticas do PSD, CDU e Bloco de Esquerda naquele espaço, alegando «a natureza específica e objectivos do equipamento». Se o argumento é esse, não creio que o Theatro Circo tenha sido construído para os Presidentes do Município chorarem diante do povo que se embevece com o seu líder.

Já todos sabíamos que a democracia em Braga não era perfeita... Mas tanto?

Cavaco Sob Escuta

| 2 Comentários | Partilhar
Às 20 horas de hoje, todo o país escutará atentamente Cavaco Silva.

Haja Decoro!

| 12 Comentários | Partilhar
Fada Radio model 652, "The Temple", 1946
© galessa's plastics

A Antena 1 organiza um programa de debate desportivo em que convida um adepto do Porto, outro do Benfica e outro do Sporting. Nesses programas, cada um deles destila argumentos em favor dos respectivos clubes, numa espécia de guerra a trêz vozes. Após queixas de vários ouvintes relativamente à falta de contraditório, Tiago Alves esclarece que «não se pretende analisar os jogos, mas sim o estado das equipas principais da Liga, as que jogam para o titulo e que ganham títulos na Europa, as que representam a esmagadora maioria dos portugueses.»

Em primeiro, Tiago Alves deve andar muito distraído na moderação do programa. Sempre que o oiço, são os jogos dos três clubes chamados grandes que são analisados. Em segundo, Tiago Alves devia saber que o Sporting de Braga já ganhou títulos na Europa e nos últimos tem estado sempre no pódio entre os clubes que mais contribuem para o ranking internacional de Portugal, motivo bastante para que o critério enunciado desqualifique gravemente o seu conhecimento da realidade desportiva nacional. E, em terceiro, o critério da «esmagadora maioria dos portugueses» está por demonstrar de forma objectiva. Adicionalmente, é preciso deixar bem claro que, ainda que a maioria apoie esses três clubes, a sua quota de adeptos não é de 100%, nem nada que se lhe possa comparar pelo que o critério da Antena 1 é inegavelmente inconsistente.

Tiago Alves aborda a questão da ausência de contraditório afirmando que «está salvaguardado e é praticado de forma muito estimulante, do meu de vista, por três adeptos de clubes rivais que estão no mesmo plano competitivo». O ridículo da afirmação é tamanho que esta visão só pode ser vista como anedótica. É mais ou menos como assumir que o CDS-PP não precisa de defender pontos de vista nos debates com o PS, porque o PSD já rebate os argumentos dos socialistas...

Por tudo o que pode ler-se na sua resposta, parece evidente que a posição assumida por Tiago Alves não passa de uma profissão de fé cega ao favorecimento dos três clubes chamados grandes por parte da estação de serviço público. Quando alguém não compreende que não é por serem Grandes Adeptos que deixam de ser Adeptos dos Grandes, está tudo dito. A ironia é que os impostos nos são cobrados compulsivamente e ninguém nos pergunta se somos adeptos de um clube que nao ganha títulos europeus ou de um clube que os ganhou quando os meus pais ainda nem sequer tinham nascido...

Virtuosismo

| 2 Comentários | Partilhar
A verdade é que a principal virtude dos responsáveis da arbitragem lusa é colocarem-se sob suspeição. [Mário Duarte, n'O Jogo]

Reorganização da Direita?

| 12 Comentários | Partilhar
A subida do CDS-PP é um motivo de preocupação para o PSD. Foi em parte graças à descrença na figura da Ferreira Leite e ao desnorte com que o PSD nos presenteou nos últimos anos que o CDS-PP encontrou margem para subir. Quando escrevi isto, ainda não se conhecia a real dimensão dos resultados. A maior "habilidade política", como lhe chamou o Pedro Morgado, a boa campanha que fez, como referiu o Bruno Gonçalves, e, acrescento eu, a melhor e mais coerente oposição ao governo, quando comparado com o PSD, foram factores-chave para este resultado. O autêntico bluff que a Manuela Ferreira Leite revelou ser (para quem ainda não o tinha percebido) ajudou de sobremaneira.

E é motivo de preocupação, pois o PSD foi ao tapete. Pode-se levantar, mas se não o fizer neste espaço de quatro anos, fica K.O., abrindo o espaço da direita ao CDS-PP. A avaliar pela enorme instabilidade interna dos últimos anos e pela dificuldade de encontrar um líder que seja pacífico para os "vários PSDs", este deverá mesmo ser um sério motivo de preocupação. Pese embora existir a possibilidade do Pacheco Pereira ter apreendido a lição com a derrota da sua líder e se abstenha de, no futuro, procurar fazer cair líderes, como fez com Marques Mendes e Filipe Menezes.

A não demissão da Ferreira Leite também será um motivo de preocupação acrescida. Sendo certo que começa agora um ciclo de quatro anos, pode suceder que não se dê apenas um êxodo de votantes para o CDS-PP, mas também de figuras que lá venham a encontrar um partido com o qual se identificam (e, seguramente, muitos haverão no PSD), enfraquecendo o PSD e fortalecendo o CDS-PP. Quanto mais tempo o PSD demorar a encontrar-se, pior para o PSD. Em bom português: o PSD que se ponha a pau!

O Dia Depois de Amanhã

| 2 Comentários | Partilhar
José Sócrates
© JN

No dia em que os portugueses escolheram a composição da nova Assembleia da República, muitas são as interrogações que ainda se colocam quanto ao futuro do país. Antes demais, convém deixar bem claro que a vitória do Partido Socialista tem um amargo sabor a derrota, só amenizado pelo autêntico desaire do PSD. José Sócrates tem um resultado inferior ao obtido por Ferro Rodrigues no ocaso do guterrismo e, ainda assim, o PSD mostrou-se incapaz de gerar uma alternativa credível que pudesse dar ao país um novo governo. Pior do que isso, o PSD afastou-se da matriz social democrata, entregando-se ao conservadorismo mais beato e inimigo das causas sociais e da liberdade individual. Manuela Ferreira Leite e José Pacheco Pereira são os grandes derrotados desta noite.

Custe a quem custar, é preciso dizer com muita clareza que o grande vencedor da noite é o CDS-PP e Paulo Portas. A habilidade política garantiu-lhe uma aumento significativo do número de votos, a quase duplicação do número de deputados e, mais importante, a quase imprescindibilidade para a solução governativa do país. Ainda no campeonato dos pequenos partidos, o Bloco de Esquerda duplica o número de deputados, ultrapassa a CDU, mas não chega ao pódio. 

É pouco provável que os próximos dias, em plena campanha autárquica, sejam pródigos em novidades quanto ao futuro governo do país, mas, quanto a mim, as soluções plausíveis são apenas três: 1) o Partido Socialista governa sozinho, viabilizado pela abstenção do PSD no Orçamento; 2) o PS governa com base em acordos de incidência parlamentar pontuais com diferentes partidos; 3) o PS governa em coligação com o CDS-PP. Veremos.

Umbigo

| 1 Comentário | Partilhar
A Região de Basto conseguiu 2 deputados pelo círculo de Braga: Isabel Coutinho pelo PS e Altino Lemos Bessa pelo CDS-PP.

Manuel Monteiro

| 3 Comentários | Partilhar
Depois de tanto alarido, de tanto marketing e de ter iniciado a campanha muito mais cedo do que qualquer outro candidato, é impossível não fazer qualquer referência ao resultado ridículo que o Manuel Monteiro teve no distrito de Braga. Não se limitou a "falhar a eleição". Se se vai dizendo que a Manuela Ferreira Leite morreu politicamente, o Manuel Monteiro teve hoje o seu velório.

Mais 4 Anos Socialistas

| 25 Comentários | Partilhar
Passados 4 anos de uma desastrosa política socialista, um Primeiro-Ministro com tiques autoritários como nunca antes visto e sem qualquer reforma significativa realizada após 4 anos de mandato, a reeleição de José Sócrates é uma má notícia para Portugal e para todos os que ansiavam por uma mudança de líder, uma mudança de política e a rejeição dos sucessivos ataques às liberdades dos cidadãos e da liberdade de imprensa, que este governo demonstrou sem qualquer pudor.

A derrota clara do PSD, um péssimo resultado, não deixa a Manuela Ferreira Leite qualquer solução que não seja a sua demissão. Perante este PS, perante este governo, perante este Primeiro-Ministro, esta derrota é devastadora. Amanhã poderemos discutir as causas deste resultado. Neste momento, é com pena que vejo MFL recusar-se a assumir a responsabilidade desta derrota com a sua demissão. A sua liderança é neste momento insustentável.

O crescimento do Bloco de Esquerda, mais que duplicando o número de deputados no parlamento deve assustar qualquer eleitor moderado. Um partido composto por marxistas, maoístas e trotskistas conseguir cerca de 10% dos votos é um caso inédito na Europa e é certamente preocupante.

Esta noite, muito infeliz para o país na minha opinião, certamente tem algumas notícias que são reconfortantes. É certo que o PS não atingiu a maioria absoluta, uma pequena, muito pequena vitória da oposição. A boa notícia é o crescimento do CDS, aparentemente a terceira força política. Foi o partido que realizou a melhor campanha, que defendeu boas ideias em várias áreas e que merece o resultado que obteve.

Sebastianismo Revisitado: a Confirmação do Mito

| 0 Comentários | Partilhar
Entre pérolas como “aquilo que há a fazer é travar, tudo menos avançar”, “romper com todas as soluções adoptadas pelo PS em termos de política económica e social” ou até o próprio slogan de campanha "política de verdade" e tantas outras, a Manuela Ferreira Leite absolutizou o seu discurso, tornando-o na afirmação do tudo ou do nada. Um tudo ou nada que resulta, na generalidade dos casos, numa proposta baseada no desfazer e no não fazer. Um tudo ou nada de uma verdade absoluta que resulta em gravíssimas incongruências entre a política professada há meia dúzia de anos e a política defendida agora.

Dizia a Paula Teixeira da Cruz a 10 de Setembro no Correio da Manhã que "Não é aceitável que não se oiça um clamor de exigência de cidadania, de exigência de explicitação do que se quer para o país e com quem".

Quem estava descontente com o PS e com o Sócrates e procurava votar numa alternativa de governo, o PSD, esbarrava no obstáculo que era a sua presidente. No meio de inúmeras personalidades bem mais clarividentes, ela destacava-se pela sua manifesta incapacidade de ser clara, de definir um rumo e, sobretudo, de o explicar. É certo que ouvindo, por exemplo, as suas muletas Rangel ou Pacheco Pereira ficamos com uma percepção mais clara do que é que o PSD entendia fazer. Mas quem é que se propunha a governar e a liderar? Era ela? Ou eram eles?

A tudo isto acresce a sombra do seu medíocre passado enquanto política e governante. Foi má ministra da Educação e das Finanças. Enquanto ministra de Estado e parte do governo, foi preterida por Durão Barroso na sua sucessão, preferindo entrega-lo a um vice-presidente estranho ao governo.

Na altura das directas fiquei com a ideia clara de que a eleição da Ferreira Leite, que pouco ou nada disse e pouco ou nada a fez para as ganhar, era uma demonstração bacoca de enorme fé num mito. Ao longo das presidências de Marques Mendes e Felipe Menezes sempre pairou a ideia de que a Ferreira Leite é que seria a presidente ideal, congredora, uma miraculosa salvadora. Por alguma razão o mito de D. Sebastião é exactamente isso: um mito.

Esta é uma derrota pessoal da Ferreira Leite. O PSD perdeu as legislativas nas directas e a vitória pessoal do Paulo Rangel é a excepção que confirma a regra.

A Noite Negra do Cavaquismo

| 9 Comentários | Partilhar
Quero ver que desculpa vai ter Manuela Ferreira Leite para não se demitir hoje, e Cavaco Silva amanhã.

Segurança

| 4 Comentários | Partilhar
Aparentemente e na minha opinião, a política de segurança propagada pelo CDS-PP será a principal razão para a subida e por o resultado que se prevê não ser só aquele do costume, um pouco acima das sondagens, mas antes, possivelmente, um resultado histórico para o CDS-PP. Esta ideia confirmar-se-á se, de facto, a subida do CDS-PP se verificar nos centros urbanos.

Mas creio existir algum demérito por parte dos outros partidos, pois houve uma relativa omissão sobre esta matéria nas respectivas campanhas e, na percepção da opinião pública, este facto terá acentuado a ideia de que o CDS-PP tería uma preocupação genuína e que os outros a não tinham.

As Eleições no Minho: PS Segue na Frente

| 4 Comentários | Partilhar
23h50m. O PS também venceu em Viana do Castelo, mantendo 3 deputados. PSD é segundo com 2 eleitos e CDS-PP mantém o deputado do Alto Minho.

23h43m. O Partido Socialista venceu em Braga com uma votação (41,73%) superior à média nacional e mantendo o mesmo número de deputados na Assembleia da República. O PSD perdeu votos e também um deputado que é capitalizado pelo CDS-PP. O Bloco de Esquerda é a quarta força política do distrito e o CDU é quinto, conseguindo manter o seu deputado.

21h30. Em Braga com 310 freguesias apuradas (205 por apurar): PS 42,31%; PSD 30,46%; CDS 9,54%; BE 7,83%; CDU 4,54%; PND 0,78%.

20h30m. Projecção para Braga: PS 8; PSD 7; CDS-PP 2; BE 1; CDU 1. Manuel Monteiro falhou eleição.

20h17m. Em Braga com 61 freguesias apuradas (433 por apurar): PS 44,3%; PSD 30,51%; BE 6,88%; CDS 8,9%; CDU 4,12%; PND 0,77%.

20h. Conhecidos os primeiros resultados nacionais, aguardamos a votação no distrito de Braga.

18h. No Arco de Baúlhe são os mais velhos que mais votam.

17h50m. Em 2005, o Partido Socialista venceu no círculo de Braga com 45,42% dos votos, elegendo nove deputados. O PSD elegeu sete com 32,88% dos votos. CDS-PP e CDU elegeram um deputado cada, com 7,82% e 4,78%, respectivamente. O BE com 4,61% ficou a escassos votos de conquistar um deputado.

14h30m. Em Vilar de Mouros, a mesa eleitoral distribuiu boletins de voto das Eleições Europeias. Trata-se de um caso inédito, ainda à espera de resolução. O PPV vai apresentar queixa.

08h. Já se vota em Portugal para escolher o futuro do país. O Minho elege 25 dos 230 deputados que compõem a Assembleia da República. Braga é o terceiro maior círculo eleitoral do país, com 19 mandatos. Viana do Castelo elege 6 deputados. Nenhum órgão de informação do Minho faz a cobertura online destas eleições em directo. Saiba tudo no Avenida Central.

Legislativas 2009: PS Vence Eleições

| 0 Comentários | Partilhar
Previsões [Projecções]

20h07m. Todas as sondagens avançam com a vitória do Partido Socialista. O Bloco de Esquerda ascende ao terceiro lugar. E o CDS-PP deverá ser a quarta força mais votada, ultrapassando a CDU.

20h. O Partido Socialista venceu as eleições legislativas com uma vantagem na ordem dos 10%. Esta previsão tem um ano, mas parece que acertou em cheio.

Notas Breves

| 1 Comentário | Partilhar
Um vencedor claro, o Partido Socialista e José Sócrates. Uma derrota clara para o PSD e para Manuela Ferreira Leite. A liderança de MFL está a partir de agora em risco, mesmo que consiga aguentar-se até às autárquicas.

CDS e BE claramente demarcam-se nos respectivos campos, com ganhos consideráveis, caso se confirmem as sondagens.

Legislativas 2009: em actualização

| 0 Comentários | Partilhar
19h10m. A maior abstenção de sempre em legislativas: Abstenção entre 36,9 a 41,1 por cento. Registados vários problemas na Madeira.

17h10m. A afluência às urnas era de 43% às 16 horas (mais de quatro milhões de votantes). Até essa hora, votaram menos 380.000 eleitores do que em 2005, ano em que a percentagem de afluência era de 50,9%. PSD de Leiria apresenta queixa contra PS.

14h. Ao meio dia tinham votado mais de 21,29% dos portugueses (em 2005 eram 21,9% à mesma hora). Apesar da diminuição em termos percentuais, há mais 200.000 votantes. Há dois episódios que marcam o dia eleitoral no Algarve: tentativa de furto de votos em Loulé e cartaz político à porta da mesa de voto em Castro Marim. Mantém-se também os problemas com o Cartão do Cidadão.

13h30m. Cavaco Silva, José Sócrates, Manuela Ferreira Leite e Jerónimo de Sousa também votaram de manhã e todos apelaram ao voto nestas eleições. Não há notícias de boicotes eleitorais e apesar do prometido ainda não foram divulgados os números da afluência às urnas.

12h55m. Durão Barroso espera uma participação importante. Francisco Louçã votou apelando ao voto. Mário Soares está muito optimista relativamente ao futuro.

11h20m. Paulo Portas foi o primeiro líder a votar e apelou aos portugueses para "falarem através do voto".

11h11m. PSD de Paredes, acusado de fazer campanha em dia de reflexão, nega as acusações.

11h10m. As várias opções para a formação de governo. O Público também faz notícia do facto de haver muitos judeus que não vão votar por motivos religiosos.

08h. Os portugueses escolhem o Governo para os próximos 4 anos. O Avenida Central acompanhará o processo eleitoral ao longo de todo o dia, com actualização em directo de todas a informações relavantes recolhidas nos jornais nacionais, blogues de referência, twitter e facebook. A partir das 19h, Pedro Morgado estará com Gabriel Silva e Luís Aguiar Conraria na análise dos resultados em directo na Rádio Universitária do Minho.

Eleições 2009 no Avenida Central

| 4 Comentários | Partilhar
A convite do Pedro Morgado estarei neste espaço, para além do meu twitter, a comentar a noite eleitoral. Por um dia, este blog contará com uma voz à direita a escrever neste espaço directamente de Lisboa. Stay tunned.

Estados de Alma

| 0 Comentários | Partilhar
Este é o dia em que o país desenha o seu futuro numa perspectiva de um, dois, três ou, na melhor das hipóteses, quatro anos. O dia está solarengo. O humor dos portugueses nem por isso.

Legislativas 2009 na Imprensa Internacional

| 0 Comentários | Partilhar
Em Espanha, o El Pais destaca a provável vitória de Sócrates sem maioria absoluta, enquanto o El Mundo diz que José Sócrates é o grande favorito para vencer as eleições de hoje. O diário catalão La Vanguardia fala na vantagem de Sócrates devido à debilidade da direita portuguesa.

Em Franca, o Le Monde diz que José Sócrates joga a maioria nestas eleições, salientando que os apelos ao voto útil marcaram as campanhas dos dois maiores partidos. O France 24 prefere destacar o facto de José Sócrates estar à beira de perder a maioria absoluta com que governou o país nos últimos quatro anos.

Nos Estados Unidos da América, The Wall Street Journal fala das eleições de um país pobre e a atravessar sérias dificuldades económicas. O New York Times não preparou nenhum trabalho próprio para a cobertura destas eleições, limitando-se a citar a agência Reuters.

A agência internacional Reuters escreve sobre as dificuldades do país, destacando uma provável vitória de José Sócrates. A Associated Press repete o destaque das questões económicas e fala numa vitória dos socialistas.

A Mão Que Embala o Benfica

| 23 Comentários | Partilhar
Árbitro
© Pankcho

«A alegria “encarnada” não disfarçava, porém, o mau espectáculo da primeira parte, que teve outro protagonista — o árbitro João Capela que, em 26 minutos, mostrou sete amarelos e expulsou Pouga, deixando o Leixões sem um dos avançados. A quantidade de admoestações não seria problema, se o critério fosse perceptível.» [Público]

«Nos primeiros 30 minutos houve uma dualidade de critérios que não se justifica. Houve muitas faltas a favor do Leixões que não foram assinaladas e cartões amarelos que não percebi, porque os árbitros têm de ter uma atitude diplomática. Os meus jogadores não foram maldosos e não se justificou o cartão no sururu, assim como a expulsão de Pouga. Foi um pouco a pedido dos jogadores do Benfica...» [José Mota, treinador do Leixões]

«O Jorge Sousa é um dos melhores árbitros portugueses, mas enganou-se. O meu jogador corta a bola, e o Aimar aproveitou-se. Aliás, já tinha avisado antes para essas situações por parte de alguns jogadores do Benfica. Na segunda parte há uma mão na área do Benfica e é um lance que muitas vezes é marcado. Espero que, noutra altura, o árbitro se engane em nosso favor[Manuel Fernandes, treinador da União de Leiria]

A Mesma Avenida, Numa Nova Avenida

| 4 Comentários | Partilhar
Ao longo dos últimos anos, debatemos a actualidade da região, do país e do mundo com independência, pluralismo, rigor e também alguma irreverência. O respeito pela liberdade de opinião e a garantia da elevação do debate foram preocupações sempre presentes e para as quais contribuíram indelevelmente a qualidade dos autores que se juntaram ao projecto.

Inicia-se hoje mais um capítulo da história do blogue Avenida Central. Depois de um excelente trabalho do Designer Cláudio Rodrigues, esta Avenida acolhe novas funcionalidades, mais interactividade, mais opinião e mais informação.

No dia em que se decide o futuro do país, o Avenida Central, tal como sucedeu nas Eleições Europeias, terá uma emissão especial de cobertura total das Eleições Legislativas com informações dos principais órgãos de comunicação social, do twitter e do facebook e também com os comentários dos nossos autores habituais e também de alguns convidados especiais.

Ao longo dos próximos dias, anunciaremos também os novos autores do blogue Avenida Central. reforços de peso em nome do pluralismo ideológico e geográfico.

SuperBraga Continua Líder

| 2 Comentários | Partilhar
Braga vs Porto - 2009/10 - Liga Sagres - 1-0
© Claques de Portugal

Foi uma grande partida de futebol, com duas equipas a procurarem a vitória no primeiro tempo. Vítimas de um erro próprio, o Olhanense viu-se reduzido a 10 unidades, resistindo estoicamente às investidas atacantes do Sporting de Braga. A sorte e os ferros da baliza ajudaram a conservar um resultado que havia de ser desfeito por Alan no decorrer do quarto minuto de descontos.

Feitas as contas e depois de um jogo épico em Olhão, o Sporting de Braga segurou, no último minuto, a liderança isolada da Liga Sagres com seis vitórias em outras tantas partidas. Vencer consecutivamente por seis vezes em jogos oficiais do primeiro escalão nacional é uma marca que ainda só tinha sido alcançada pelos três clubes chamados grandes. O Braga continua a consolidar a quarta posição no panorama futebolístico nacional e nesta época, sendo muito realista nas poucas hipóteses de vencer a Liga, bem pode ser o ano da conquista de um quarto troféu secundário para juntar ao palmarés do clube (Taça de Portugal em 1966, da Taça da FPF em 1975 e da Taça Intertoto em 2008/09).

A ler: Sampdoria, Juve, Chelsea y Braga, pleno de triunfos, no lne; Last-gasp Braga make it a perfect six, no Portugoal; Alan key in Braga win, ESPN; Super Braga, Le Figaro; La sensation Braga fait trembler Porto et Benfica, sport.fr.

Dois Ponto Zero | 29

| 1 Comentário | Partilhar
A ler: Eleições no sofá: tudo o que os media lhe oferecem, no i. El socialista Sócrates llega al final de la campaña portuguesa como favorito, no El Pais. "Sim" ao tratado sobe na Irlanda, "não" também, no Público.

A reflectir: Em dia de reflexão, aceitamos a sugestão do Tiago Ramalho e propomos uma leitura dos blogues Jamais (PSD), Rua Direita (CDS-PP) e Simplex (PS). Sugerimos também uma leitura do dossier Legislativas 2009 do blogue Avenida Central.

A acompanhar: Emissão Especial do Avenida Central para as Eleições Legislativas. Mais de 15 horas de emissão com todas as actualizações em directo, informações do twitter e facebook e comentários.

Tanha

| 2 Comentários | Partilhar
tanha
© Dario Silva, Setembro 2009.

Apeadeiro de Tanha, Linha do Corgo.

Abaixo a Manuela, Pim!

| 15 Comentários | Partilhar
Porque discordo profundamente das políticas propostas na área da saúde, com um propositado discurso dúbio sobre a privatização e consequente enfraquecimento do Serviço Nacional de Saúde, nomeadamente nas áreas da oncologia, saúde mental, infecciologia e cuidados intensivos;

Porque discordo profundamente do desmantelamento progressivo do sistema público de Segurança Social, conforme substanciado com a abertura ao "plafonamento" do valor das contribuições e das pensões mais elevadas;

Porque discordo profundamente da visão do PSD para as obras públicas, excessivamente crítico da construção de uma rede de comboios de alta velocidade que cobre uma parte significativa do território, mas convenientemente conivente com a construção de um novo aeroporto para Lisboa;

Porque discordo profundamente das propostas atávicas e conservadoras sobre a família, numa visão que alimenta a exclusão, que mantém a discriminação, que instiga o preconceito e que impõe valores religiosos mesmo aos cidadãos que não têm religião;

Porque repudio a farsa do apoio eleitoralista aos professores e o taticismo com que retirou o apoio sempre reiterado às políticas do Ministério da Educação em matéria de avaliação dos docentes;

Porque repudio a inclusão dos amigaços arguidos nas listas do PSD em clara contradição com o discurso da verdade tão propalado e tão pouco cumprido;

Por tudo isto e porque representa a ala mais direitista e conversadora do PSD, considero que Manuela Ferreira Leite foi uma oportunidade perdida para o PSD e para o país.

Braga Joga Liderança no Algarve

| 3 Comentários | Partilhar
Olhão recebe o líder que, muito sensatamente, não é candidato ao título. Como bem se percebeu na última jornada, os enganos vão continuar a fazer inocentemente o seu trabalho.

Porque Votar é Preciso

| 20 Comentários | Partilhar
manuela ferreira leite psd

Não há muito a dizer depois da campanha eleitoral. Não há muito a dizer depois dos episódios que a marcaram. Não há, sequer, muito a dizer sobre as mudanças de estilo de Sócrates. Não há muito a dizer do "programa" de governo do PS, do seu carácter inovador, da sua aposta no investimento público e demais benesses que os "colunistas" lhe prevejam. Não há muito mais a dizer sobre a licenciatura do candidato socialista, sobre os projectos de casas aberrantes que aprovou, sobre os "Charruas", "Antónios Balbinos Caldeiras" e "Joões Migueis Tavares" deste mundo, que se viram saneados ou processados pelo mero exercício da liberdade de opinião. Não há muito a dizer sobre jornais silenciados e jornalistas afastados. Não há muito a dizer sobre as promessas não cumpridas, sobre os "jamais", os "camelos" e os Magalhães ioiô. Não há muito a dizer sobre o desprezo pelos professores, médicos, funcionários públicos e demais categorias profissionais que se queiram nomear. Não há muito a dizer sobre as ingerências em processos judiciais como o Freeport, sobre as pressões inaceitáveis exercidas sobre titulares de um pilar sagrado do Estado, como é o da justiça. Não há muito a dizer sobre a agricultura, sobre os milhões perdidos em favor de Bruxelas. Não há muito a dizer sobre a bandalheira do QREN. Não há muito a dizer sobre a taxa de desemprego recorde. Não há muito a dizer sobre o défice, nem tão pouco sobre as ajudas selectivas a determinadas empresas em desfavor da livre concorrência.

Em suma, não haverá muito a dizer sobre um país que opte por reconduzir como Primeiro-Ministro uma máquina de propaganda ao invés de um(a) líder. Mas há algo que todos podemos fazer. Todos podemos votar e dizer basta. E isso, caros (e)leitores é dizer muito.

As Propostas do Bloco

| 22 Comentários | Partilhar
Francisco Louçã
© José Goulão

«Promoção de consumos conscientes, informados e responsáveis de substâncias como tabaco, álcool, drogas e medicamentos»
Eu nem quero acreditar no que leio... O Bloco não só propõe a liberalização do consumo das "drogas leves" como também a promoção de consumos conscientes, informados e responsáveis. A promoção do consumo de drogas é sempre perversa. Penso que é do mais elementar bom senso colocar a tónica nas politicas de desincentivo ao consumo de drogas.

«Diversificar os currículos, os conhecimentos e as práticas, iniciando um debate em torno das medicinas não convencionais, tantas vezes omitidas e ocultadas, e abrindo espaço para a sua implementação e complementaridade.»
Não me parece que seja missão dos políticos desocultarem as ciências ocultas por muita crença que tenham nelas. Deixemos à ciência e às universidades a demonstração da eficácia deste tipo de práticas, coisa que, até ver, não tem sido bem sucedida nem aqui nem em nenhuma outra parte do mundo. Ao que parece, o Bloco quer desocultar por decreto o que ainda ninguém conseguiu demonstrar com senso da evidência.

«Redução do sistema de deduções e benefícios ao estritamente necessário nas despesas de saúde e educação»
É inqualificável que num programa de 110 páginas, o Bloco não defina o que é estritamente necessário em matéria de saúde e educação. Reduzir os benefícios fiscais é penalizar ainda mais a pequena parcela dos portugueses que, por via dos impostos, sustentam a sua saúde e a sua educação bem como a saúde e educação dos outros. Será que as ciências ocultas se incluem no estritamente necessário do Bloco?

«Assumir o controlo público da investigação científica e da tecnologia, dando prioridade às alternativas no campo das energias renováveis e da eficiência energética que permitam o uso democrático dos recursos»
Controlo público da investigação científica? Onde é que eu já vi isto? URSS? China? Coreia do Norte?

«Criação de um banco de cérebros em Portugal para promover uma investigação científica séria, eficaz e segura na área das Neurociências (como Alzheimer e Parkinson), acabando com o sacrifício de centenas de animais por ano para efeitos deste estudo»
Este Bloco de Esquerda é mesmo um perigo. Primeiro dizem que querem controlar a investigação científica e, umas linhas abaixo, demonstram que não percebem mesmo nada de investigação científica. Quem lê esta frase até pensa que a investigação que se faz em Portugal não é séria, eficaz e segura, o que é verdadeiramente ultrajante para todos os investigadores em neurociências do país.

«Obrigar a TV Cabo a aceitar a transmissão das emissões, em igualdade de circunstâncias, de todos os canais que se candidatem a elas, desde que garantam viabilidade económica e técnica»
Eu presumo que os accionistas da TV Cabo, agora Zon, não são estúpidos e aceitam transmitir canais com viabilidade económica. Ainda assim, gostava de perceber porque é que o Bloco só exige à Zon e não pede o mesmo à Meo... Preconceito ideológico?

«Impedir posição dominante no mercado das rádios de âmbito nacional»
Mais uma medida interessante. Estão a pensar proibir as pessoas de ouvir Rádio Renascença e RFM e obrigá-las a sintonizarem Antena Minho e Rádio Voz do Neiva?

«O Bloco de Esquerda reconhece e defende os legítimos direitos dos autores a manterem o controlo da reprodução, comunicação e distribuição das suas obras» desde que esses autores não se tenham dedicado ao desenvolvimento de software. Pelos vistos, ser informático e desenvolver software é uma profissão mal amada pelo Bloco que propõe «a rejeição das patentes de software

Na BlogConf com António José Seguro

| 8 Comentários | Partilhar
1. Vítor Pimenta, das terras de Basto, abre a conferência questionando os 500€ anuais que gasta nas portagens entre Braga e Cabeceiras.
«Os deputados eleitos nos 4 maiores distritos representam 50% do número de deputados do país. Portanto, temos um país desequilibrado. É necessário um planeamento estratégico que não atenda apenas às necessidades dos grandes aglomerados urbanos. Por outro lado, o país tem apostado mais no desenvolvimento da rodovia do que na ferrovia. Uma pessoa que vai de Guimarães ao Porto demora 30 minutos se for de carro e mais de uma hora se for de comboio... Contudo, foi necessário fazer opções e o país optou pela rodovia. Eu considero que o facto de haver um acesso de Cabeceiras à autoestrada é um beneficio que a ser utilizado tem que ser pago. O compromisso que temos é tudo fazer para fechar o anel ferroviário entre as quatro principais cidades do distrito (Braga, Barcelos, Guimarães e Famalicão). Quanto ao resto do distrito, vamos tentar que os horários sejam mais adequados às necessidades das pessoas.»

2. Cláudia Rocha Gonçalves questiona António José Seguro sobre as políticas de urbanismo.
«(...) A regionalização poderia ajudar a que o planeamento fosse feito de forma mais correcta. O desenvolvimento deve ser perspectivado numa lógica supramunicipal e não como uma soma de interesses municipais.»

3. Perguntei sobre as propostas do PS e dos deputados socialistas de Braga para a Ciência e o desenvolvimento industrial de base tecnológica.
«(...) O Quadrilátero Urbano (Braga, Guimarães, Barcelos e Famalicão) tem sido decisivo para os investimentos serem feitos numa lógica regional e supramunicipal. O distrito tem imenso potencial em termos científicos. (...) Continuar a aposta no Instituto de Nanotecnologia e reforçar o apoio ao I3D.»

Estado de Maturação

| 3 Comentários | Partilhar
Teoricamente as Legislativas têm como objectivo ocupar as bancadas da Assembleia da República com ilustres representantes do povo mas, na prática, o que está agora em causa é escolher quem vai governar Portugal, se Ferreira Leite se Sócrates. [Maria José Nogueira Pinto, DN]

Assim dá a MJNP início à sua crónica de hoje no DN, antes de discorrer sobre um e outro candidato. É um pouco preocupante quando se chega ao ponto em que se aceita esta subversão das eleições legislativas como algo natural, ainda que se admita que "teoricamente" não deveria ser assim.

De facto, não é só o governo que sai das eleições, apesar de parecer. A ocupação das bancadas não é só um número que é atribuído a cada partido, apesar de parecer. Elegem-se representantes dos distritos que raras vezes os representam, sobrepondo os interesses dos seus constituintes aos dos seus partidos.

Se isto é assim e conscientemente se aceita que assim funcione então não é um problema de "maturidade democrática". Simplesmente se "optou" por uma maturação neste sentido. Quando se chega a este ponto, já só lá se vai com uma reforma do sistema.

Legislativas 2009: O Que Está em Causa? | 3

| 21 Comentários | Partilhar
Quando for votar no próximo dia 27 de Setembro terá nas suas mãos a decisão sobre o futuro do país. A governabilidade deve ser uma preocupação de todos os eleitores, conhecida que é a perspectiva de não existir qualquer coligação viável para além do Bloco Central. Como LR defende, o crescimento das franjas radicais e populistas como BE e CDS-PP (e também MEP e PPV) constitui-se como a via mais directa para o Bloco Central.

Adicionalmente, como o método de eleições por círculos distorce a composição da Assembleia da República, há distritos em que o voto responsável é aquele que contribui para a estabilidade do país. Se um eleitor de esquerda votar no Bloco em Viana do Castelo, está a desperdiçar um voto na esquerda já que o Partido Socialista é o único partido de esquerda em condições de eleger deputados naquele distrito. Votar Bloco em Viana do Castelo é aumentar a probabilidade do país passar a ser governado por uma coligação entre o PSD e o CDS. O mesmo se aplica aos votos do CDS-PP no distrito de Bragança, por exemplo, onde votar CDS é desperdiçar um voto e contribuir para que o PS se mantenha no governo.

Num momento em que o país precisa de estabilidade para fazer face aos graves problemas estruturais que a conjuntura económica veio expor e agravar, a governabilidade do país não pode ser negligenciada no momento de votar.

Design Socialmente Responsável

| 0 Comentários | Partilhar

© Nuno Coelho

Uma Terra Sem Gente Para Gente Sem Terra (exposição)
Nuno Coelho e Adam Kershaw
[até 1 de Novembro, Palácio do CC Vila Flor, entrada livre]

Não Há Umbigo Como Este

| 7 Comentários | Partilhar
jorge jesus
© O Jogo

Crónica de uma Cidade Perdida

| 18 Comentários | Partilhar
«Já com equipamentos instalados junto ao Parque da Cidade, a Bracalândia, o parque temático de diversões que se mudou de Braga para Penafiel, será inaugurada a 13 de Março de 2010. Esperam-se 250 mil visitas por ano.» [JN]

Como é possível ter-se desperdiçado um potencial de 250.000 visitas anuais e dezenas de empregos? Esta é a pergunta que a esmagadora maioria dos bracarenses gostava de ver respondida desde o momento em que se anunciou a saída da Bracalândia do concelho de Braga. Na verdade, ainda ninguém compreendeu como é que a Câmara deixou fugir o parque de diversões mais emblemático do Norte de Portugal e Galiza. O erro estratégico da equipa liderada por Mesquita Machado representa uma enorme perda de potencial turístico e económico para o concelho de Braga. Potencial que dificilmente será recuperado nos próximos anos.

O Têxtil ao Poder

| 14 Comentários | Partilhar
Paulo Serra CDS PP

É assim em todo o lado, já se sabe. Em quase todas as autarquias, os edis são pessoas com um passado brilhante em termos empresariais. Daí a maior parte deles estar preparado, em termos de agenda, para aceitar um exigente desafio como o de gerir uma cidade. Poucos se notabilizam pela sua caminhada na política, algo que é mais frequente na política nacional.

Aqui no Norte, logo depois de terminar o Minho, a Trofa (palavra que, em árabe, significa fronteira) é um exemplo cabal da ascensão deste tipo de figuras. Numa cidade que muito alicerçou a sua elevação a cidade nas indústrias têxteis presentes nas suas imediações, é natural que comecem a surgir agora na ribalta os responsáveis pelo sucesso empresarial da região.

No futebol, destacou-se Rui Silva, líder do Grupo Ricon, um dos mais importantes do país, que produz e detém participações em marcas como Gant ou Decenio. Dados de 2007 explicam o sucesso da empresa, presente em vários mercados mundiais. Desde que se tornou presidente do Trofense, Silva canalizou verbas da Ricon para patrocinar as camisolas da sua equipa. Sem problemas quanto ao financiamento, a equipa reforçou-se e logrou atingir a 1ª Liga na época transacta.

Surge agora Paulo Serra, cuja empresa Paulo Serra e Irmãos detém uma outra importante marca de vestuário, a Cheyenne. Com um passado, porém, ligado à política, não se pode dizer que Serra seja virgem nestas andanças. Mas reforça a ideia de que os empresários têxteis da Trofa, em algum ponto da sua vida, se irão ligar a outra forma de poder. E lança a dúvida sobre se a apetência para a gestão empresarial se conjugará com a política. A ver vamos se o candidato do CDS tem oportunidade de desfazer a incógnita.

Quem diz da Trofa, diz de Famalicão, que tem o presidente de Câmara mais rico do país, graças à sua fábrica de calçado. Os exemplos florescem por todo o lado. O orçamento para campanhas parece, assim, ser inesgotável.

Da Insegurança na Cidade de Braga | 2

| 9 Comentários | Partilhar
Resistance is futile
© Myxi

A propósito da proposta de instalar um sistema de videovigilância no centro de Braga, António Vilaça, Presidente da Associação Comercial de Braga, afirma que «quando se encerram ruas ao trânsito deve repensar-se a questão da vivência e da segurança. Nada foi feito nesse âmbito, quer pelas autarquias, quer pelos programas comunitários de modernização dos centros históricos

Esta constatação de Abílio Vilaça não é novidade para ninguém e a desertificação do centro histórico da cidade de Braga é a consequência natural das políticas de urbanismo adoptadas pela Câmara Municipal de Braga ao longo das últimas décadas. É urgente implementar um programa de repovoamento do centro histórico que ajude a recuperar a dignidade perdida e que lhe devolva a vida de outros tempos. E, para que tal se concretize, a evidência dos últimos anos demonstra que são necessários novos protagonistas.

Por muito popular que seja e por muito útil que se venha a demonstrar, a videovigilância não passa de um paliativo que não resolve os problemas estruturais que estão na base da morte do centro histórico de Braga. Além do mais, o medo que se sente é catalizador desta paranóia consubstanciada pela completa 'big brotherização' das nossas vidas.

A ler: A Desertificação do Centro de Braga [1]; A Desertificação do Centro de Braga [2]; A Desertificação do Centro de Braga [2] Braga por uma Rua; Braga a Cair; Urbanismo & Saúde Mental.

Belém

| 3 Comentários | Partilhar
Em vez de desfazer equívocos no mesmo dia em que o Público lançou a "encomenda", Cavaco Silva arrastou a paranóia a corroer o que restava da imagem do Governo e da Democracia Portuguesa. Se isso pode não dizer nada da neutralidade do Presidente da República, diz muito da sua incapacidade política. Com Fernando Lima a sair, resta saber o que Cavaco Silva ainda está lá a fazer.

Da Insegurança na Cidade de Braga

| 14 Comentários | Partilhar
Na sequência dos actos de vandalismo dos últimos tempos, Mesquita Machado avançou com a ideia de colocar um sistema de videovigilância no centro da cidade de Braga. O anúncio não pode deixar de ser encarado como eleitoralista já que os problemas de insegurança não são recentes nem estão limitados ao centro histórico. Relembranos que Gualtar, a freguesia onde ocorreram 2 dos 3 episódios de vandalismo, foi recentemente notícia nas televisões devido ao clima de insegurança motivado por ondas de assaltos mais ou menos cíclicas.

O Aeroporto de Tódolos Galegos

| 12 Comentários | Partilhar
Manuel Bragado explica no Faro de Vigo como é que o Aeroporto Sá Carneiro se está a converter no grande terminal da Galiza e Norte de Portugal, deixando para trás Vigo, Santiago e Corunha. Se dúvidas ainda houvesse, fica claro que a aposta numa gestão autónoma do Aeroporto do Porto deve ser considerada estratégica para o desenvolvimento desta EuroRegião.

Do lado português, falta resolver o problema das assessibilidades ao Aeroporto. Depois do Metro, é urgente fazer chegar o comboio de Alta Velocidade, bem assim as ligações suburbanas de Braga, Guimarães, Caíde e Aveiro. A modernização da Linha do Minho, com melhoria da ligação ferroviária entre Porto e Vigo é outro dos vectores estratégicos para a afirmação do Aeroporto Sá Carneiro como a grande interface de ligação ao mundo do Noroeste Peninsular.

Braga Continua Líder

| 17 Comentários | Partilhar


O Sporting de Braga venceu esta noite o Futebol Clube do Porto numa partida de grande nível disputada no Estádio Axa. Com esta vitória o Braga alcança uma marca verdadeiramente histórica: este arranque de sonho é o melhor da sua História e as cinco vitórias consecutivas são uma marca inédita na vida do clube minhoto.

Foi com os argumentos sérios do futebol que o Sporting de Braga silenciou as insinuações sobre a independência do clube e o carácter do seu treinador com que alguns se vinham entretendo ao longo dos últimos tempos.

Registe-se, para memória futura, que Pedro Proença voltou a esquecer-se de marcar uma grande penalidade escandalosa por falta de Álvaro Pereira sobre Alan, o herói da noite que havia de marcar o golo da vitória em dia de aniversário.

A ler: Um líder com tempo para a ovação, O Jogo.

No Douro, Esqueceram-se

| 4 Comentários | Partilhar
campanha2
© Dario Silva, 19-09-2009

A vida continua, o tempo é de trabalho e de colheita.O local chama-se Quinta de Campanhã e daqui se avista a Régua e a estação do Godim. Na outra encosta repousam-se os olhos na auto-estrada 24 (grátis), no rio Corgo, na linha do Corgo, no apeadeiro de Tanha.E hoje, para além de outras coisas certamente interessantes que aconteceram em Portugal, a CP operou o primeiro Comboio das Vindimas, uma experiência degustada por 250 pessoas.
Parabéns.

Em Directo do Estádio Axa

| 7 Comentários | Partilhar
Guerreirinho do Minho
© Pedro Morgado

No País das Corporações

| 17 Comentários | Partilhar
022 manifestacao professores 2008 novembro 15
© fliscorno

Já aqui defendi por várias vezes os professores, vítimas de um sistema que nunca os avaliou durante anos e da inabilidade política de uma Ministra da Educação que o bom senso aconselharia a ter substituído. Contudo, numa democracia com maturidade deve haver um tempo para as lutas profissionais e um tempo para o debate sobre os projectos de Governo para o futuro do país.

Converter as eleições num plebiscito à reforma da educação e aos interesses particulares dos professores é um acto demasiado egoísta. Lamento profundamente que os professores, que alguns professores, estejam a instrumentalizar a campanha eleitoral em função dos interesses da sua corporação. É sinal de que não conseguem perspectivar o futuro do país para além da educação do seu próprio umbigo.

Legislativas 2009: Sondagens | 2

| 6 Comentários | Partilhar
Segundo a última sondagem conhecida, o Partido Socialista será o vencedor das próximas eleições legislativas com 33% do votos, seguido do PSD com uma votação na casa dos 30%. O Bloco de Esquerda é o terceiro partido mais votado com 12%, seguindo-se a CDU com 9,2% e o CDS-PP com 7%. Neste estudo de opinião, os votos noutros partidos, brancos e nulos atingem uma fasquia próxima dos 10%, o que, a verificar-se, seria inédito em termos de eleições legislativas.

ConFusões

| 6 Comentários | Partilhar
"Nunca retirando a Guimarães o berço da independência, porque não há razão para isso, porque foi realmente por S. Mamede que se deu o facto, mas dando o berço da nacionalidade à cidade de Viseu enquanto não se descobrir outra" [João Silva de Sousa]

"Confesso que fico confundido, não conseguindo perceber bem a diferença entre as expressões “berço da independência” e “berço da nacionalidade”. Poderia tentar avançar com várias hipóteses explicativas, mas iria acabar por concluir que seriam manifestamente artificiosas. O que constato é que há em Viseu quem, depois de proclamar a sua cidade como berço de Afonso Henriques, pretende também apropriar-se de uma das marcas de Guimarães, o título de Berço da Nacionalidade. Há em tudo isto uma incompreensível confusão: a condição de Berço da Nacionalidade de Guimarães não resulta do nascimento de Afonso Henriques, mas do facto de ter sido a partir daí que Portugal iniciou a sua marcha para a independência, com D. Afonso Henriques. Ou será que também se pretende mudar a batalha de S. Mamede e trasladar o Castelo de Guimarães para Viseu? Não se percebe como Viseu possa invocar a condição de Berço da Nacionalidade. Até porque a fundação da nacionalidade resulta de um movimento encabeçado por D. Afonso Henriques contra D. Teresa e, como o próprio Almeida Fernandes afirma na obra em que avançou com a sua tese viseense, naquela altura, os senhores de Viseu terão estado com D. Teresa, contra Afonso Henriques. Tendo estado do outro lado da barricada, portanto, não se vê qual a legitimidade que Viseu poderia invocar para passar a ostentar tal título." [António Amaro das Neves, Memórias de Araduca]

Dilemas Bioéticos Eleitorais

| 6 Comentários | Partilhar
Dia 27 os eleitores portugueses podem: prolongar a vida ao socratismo e eutanasiar o cavaquismo; eutanasiar o socratismo e ressuscitar o cavaquismo; refecundar o bloco-centrismo (cavaquismo embrionário) para o abortar às 10 semanas.

Legislativas 2009: Sondagens

| 10 Comentários | Partilhar
Sondagem Legislativas
© DN

Do Urbanismo e Das Receitas por Catálogo

| 2 Comentários | Partilhar
"A simetria é um sintoma particular, macroscópico, de um tumor que prolifera capilarmente e cujas metástases são infinitas: a geometria. Com efeito, poder-se-ia interpretar a história das cidades como uma colisão entre a geometria (como invariável do poder ditatorial ou burocrático) e as formas livres (que se harmonizam com a vida humana). Durante centenas de milhares de anos, a comunidade paleolítica desconhece a geometria. Porém, logo que se dão as fixações, neolíticas e os caçadores-cultivadores se submetem a um chefe de tribo, temos o tabuleiro do xadrez. Todos os absolutismos politicos geometrizam, ordenam a estrutura urbana em eixos e mais eixos paralelos e orotgonais. Todos os quartéis, cárceres e edificios militares são rigidamente geométricos. Não se permite a um cidadão que se volte à direita ou à esquerda com um movimento natural, seguindo uma curva: tem de se dar um salto de 90 graus, como se fosse uma marioneta. De maneira similar, os tecidos urbanos estão desenhados em forma de grelha; em casos excepcionais, são realizados segundo um esquema hexagonal ou triangular. Nova Iorque é um tabuleiro de xadrez que permite apenas a diagonal da Brodway. A Paris Imperial baseia-se nos cortes cruéis que, sadicamente, esquartejam o tecido popular preexistente. A colonização da América Latina produziu-se através de leis peremptórias, que impunham a priori formas geométricas às cidades, qualquer que fosse a topografia."

Bruno Zevi, em “A Linguagem Moderna da Arquitectura”

Muito se defende a ortogonalidade e a perpendicularidade no urbanismo. Embora seja o modo mais fácil de organizar a cidade, e o aspecto bidimensional do desenho ou o da fotografia panorâmica seja interessante, à escala humana surgem inumeras potencialidades visuais e de enquadramento inerentes a cada local que a imposição da ortogonalidade ignora. O projecto de uma rua em Braga tem potencialidades a explorar diferentes do projecto de uma rua em Barcelona.

Com efeito, as ruas mais interessantes que me lembra percorrer não são ortogonais, não se revelando totalmente à primeira vista, apelando à nossa curiosidade. A de Janes em Braga, e a Calçada de São Francisco em Lisboa, à saida da ortogonalidade da Baixa, são exemplos.
por Bruno Gonçalves, em Contentor

Estranhas Coincidências | 4

| 32 Comentários | Partilhar
Cláudio, o Público não é um jornal. É um boletim de campanha do PSD e uma expiação de ódio ao Partido Socialista de José Sócrates.

Estranhas Coincidências | 3

| 13 Comentários | Partilhar
Num fim de tarde onde surge uma notícia de fraude eleitoral no PSD o jornal Público prefere destacar o caso ressesso da licenciatura de José Socrates, devido a uma declaração proferida pelo líder da JSD, no jantar de campanha que teve lugar no início da noite de hoje.

Onde os Ciclos não são Curtos

| 2 Comentários | Partilhar
Se os ciclos de notícias têm sido curtos em Portugal (Moura Guedes e Madeira, por exemplo), que se pode esperar dos media de um outro país? O erro da Ferreira Leite promete não desvanecer até ao final.

A Verdade do PSD

| 12 Comentários | Partilhar

© João Henriques
O voto num determinado candidato pode custar 25 ou 30 euros. O PSD tem sido marcado por tantas disputas internas nos últimos anos, para a direcção nacional e para a distrital de Lisboa, que para melhorar o resultado eleitoral houve quem comprasse votos a militantes angariados em bairros sociais, denunciam militantes e ex-militantes do partido (...). [Sábado]

A revista Sábado avança em exclusivo com uma reportagem sobre negócio de compra de votos no PSD que envolvem directa ou indirectamente alguns candidatos às próximas eleições legislativas. É este o PSD de Verdade que Manuela Ferreira Leite quer oferecer a Portugal.

A ler: António Preto acusado de comprar votos a 25 euros no PSD, Público; Da Desilusão, Avenida Central, Eleições internas: votos do PSD valem 25 a 30 euros em Lisboa, iOnline; Militantes acusam Preto de comprar votos, Diário de Notícias.

Debater Ideias: Saúde

| 10 Comentários | Partilhar
Há duas visões sobre o futuro do Serviço Nacional de Saúde (SNS) em confronto nestas eleições. O PS defende o reforço do Serviço Nacional de Saúde enquanto o PSD defende o aumento progressivo do recurso aos privados, substituindo-se, em alguns casos, ao SNS.

Como se sabe, os privados apenas apostam nos serviços de saúde mais lucrativos. As doenças oncológicas, a saúde mental e os cuidados intensivos são áreas que os hospitais privados normalmente negligenciam devido aos enormes custos que acarretam. Como pensam os que defendem a privatização da saúde garantir o financiamento de tratamentos de excelência no sector público quando pretendem entregar parte dos serviços potencialmente mais lucrativos aos privados?

Portugal de Verdade

| 0 Comentários | Partilhar

TGV: Histórias de Verdades Convenientes

| 12 Comentários | Partilhar
Confesso não entender a posição da Manuela Ferreira Leite em relação ao TGV. O problema não é a justificação dada: «O país tem um nível de endividamento tal que não pode neste momento construir» [IOL]. É uma justificação perfeitamente legítima e, realmente, um receio dos eleitores. O problema é que, não obstante o circunstancialismo da crise económica, a preocupação com o excessivo endividamento do país já é uma realidade há décadas. É-o hoje, como o era há 6 anos atrás. No que toca ao problema do endividamento, nada mudou. Ao circunstancialismo da crise, acresce o de o PSD ter passado para a oposição e as eleições se aproximarem.

É claro que não há problema algum em fazer evoluir as suas opiniões, mas, como é igualmente claro, desde que as razões para essa súbita mudança sejam devidamente explicadas. E o problema é que essa mudança não foi explicada e só por alguma espécie de delírio é que se poderá pensar que Portugal não estava endividado no início da década. Facto que torna ainda mais necessárias estas explicações, pois já na altura era uma posição perfeitamente defensável. Até porque hoje se dá um outro circunstancialismo: o de o PSD não ser governo como o era nessa época.

Acontece que face às posições adoptadas pela Ferreira Leite no passado recente como responsável pela pasta das Finanças, de cuja anuência semelhante decisão política estará sempre dependente, face às decisões publicadas em Diário da República e ao acordado a nível internacional, é absolutamente necessário explicar esta volta de 180º. A força das declarações de passadas tornam manifestamente insuficientes as parcas explicações hoje dadas.

Pois não só ela e o governo acreditavam na viabilidade da construção de 4 linhas de TGV, como consideravam que: «A rede ferroviária de alta velocidade assume-se como um projecto de investimento estruturante que permite o desenvolvimento de competências empresariais próprias, assegurando a participação de empresas e indústrias locais nas diversas fases do projecto incluindo execução e operação, contribuindo para o crescimento do produto interno bruto e induzindo a criação de emprego sustentado, factor decisivo da coesão social do País.» [Resolução do Conselho de Ministros n.o 83/2004]; entre outras considerações como: «[o TGV] irá representar um aumento em 2,8 por cento do PIB, criar cerca 91.500 postos de trabalho, beneficiar 81 por cento da população» [Público]

Por tudo isto e ainda que o argumento "endividamento" seja em si mesmo válido, a posição da Manuela Ferreira Leite é, salvo melhores explicações da própria, insustentável.

Inquirida sobre o assunto, decidiu fugir para a frente e atacar Espanha - e não só - ao mesmo tempo que dava um tiro no pé, pois o problema do endividamento não é novidade, ao confessar ter participado numa decisão que, na sua tese, visa o melhor interesse de Espanha, que conhecerá bem, e um interesse que terá prosseguido no passado. Abrindo assim um incidente internacional ainda como candidata e deixando dúvida: se se propõe a rasgar acordos internacionais em que ela participou e com os quais concordou, como governante, o que poderá acontecer a outros acordos internacionais? Quando seria de esperar que ela desalinhasse do PNR e recuasse um pouco na questão de Espanha, apenas reforçou essa ideia nos dias seguintes. Existe uma diferença enorme entre fazê-lo assim, unilateralmente, ou sentado à mesa com a outra parte. A demonstração deste radicalismo e inépcia diplomática é um mau agoiro. A Ferreira Leite conseguiu pegar no TGV e criar um problema para ela própria.

Qual é o Contributo Que Pretendem Fazer?

| 1 Comentário | Partilhar
"A história da América não é a história dos que desistiram quando as coisas se tornaram difíceis. É a das pessoas que continuaram, que insistiram, que se esforçaram mais, que amavam demasiado o seu país para não darem o seu melhor.É a história dos estudantes que há 250 anos estavam onde vocês estão agora e fizeram uma revolução e fundaram este país. É a dos estudantes que estavam onde vocês estão há 75 anos e ultrapassaram uma depressão e ganharam uma guerra mundial, lutaram pelos direitos civis e puseram um homem na Lua. É a dos estudantes que estavam onde vocês estão há 20 anos e fundaram a Google, o Twitter e o Facebook e mudaram a maneira como comunicamos uns com os outros.Por isso hoje quero perguntar-vos qual é o contributo que pretendem fazer. Quais são os problemas que tencionam resolver? Que descobertas pretendem fazer? Quando daqui a 20 ou a 50 ou a 100 anos um presidente vier aqui falar, que vai dizer que vocês fizeram pelo vosso país?As vossas famílias, os vossos professores e eu estamos a fazer tudo o que podemos para assegurar que vocês têm a educação de que precisam para responder a estas perguntas. Estou a trabalhar duramente para equipar as vossas salas de aulas e pagar os vossos livros, o vosso equipamento e os computadores de que vocês precisam para estudar. E por isso espero que trabalhem a sério este ano, que se esforcem o mais possível em tudo o que fizerem. Espero grandes coisas de todos vocês. Não nos desapontem. Não desapontem as vossas famílias e o vosso país. Façam-nos sentir orgulho em vocês. Tenho a certeza que são capazes."

(do discurso do presidente Obama no início do ano escolar americano)

Os Deputados do Minho

| 0 Comentários | Partilhar
O Deputado do Minho

Da certeza de que Lisboa é Capital, Manuel Monteiro passou à estratégia d'O Deputado do Minho. Não é o único. A sina dos candidatos paraquedistas demonstra bem a falta de capacidade política dos nossos dirigentes locais. Nem PS, nem PSD, nem Bloco, nem CDS-PP conseguiram para Braga um candidato com forte ligação ao distrito. Quanto a isto, fica a ideia de que é tudo muito conveniente, mas muito pouco convincente.

Estranhas Coincidências | 2

| 6 Comentários | Partilhar
Numa noite, duas agências de bancos ligados ao Partido Socialista e a sede do município socialista de Braga foram incendiadas. Na mesma noite, vários cartazes políticos foram vandalizados. Há uma rotunda, por exemplo, em que todos os cartazes do PS, PSD e MPT foram vandalizados enquanto os cartazes de outros partidos permaneceram imaculados.

A ler: Actos de vandalismo em Braga podem ter motivações políticas, no Público.

Estranhas Coincidências

| 0 Comentários | Partilhar
«O líder do Partido Nacional Renovador (PNR), José Pinto Coelho, destacou hoje a "coincidência" de opiniões com a presidente do PSD relativamente ao TGV e à suposta influência dos espanhóis na política portuguesa.» [DN]

Ódios de Deus

| 11 Comentários | Partilhar
iraqi gay
© Bilal Hussein/AP

Centenas de homossexuais têm sido perseguidos, humilhados, torturados e assassinados por milícias islâmicas no Iraque, numa barbárie que tem requintes da pior malvadez. Segundo conta o jornal The Guardian [via], as milícias infiltram-se em chatrooms na internet para melhor atingirem os seus alvos, espalhando o terror entre a comunidade homossexual daquele país.

As organizações de Direitos Humanos não se cansam de denunciar casos de violência contra gays nos países islâmicos perante a passividade quase completa das Nações Unidas. Em Dezembro de 2008, foi aprovada, sem qualquer consequência, uma moção contra a homofobia e a discriminação pela orientação sexual que contou com a oposição de alguns países da Liga Árabe e do Vaticano.

A violência contra homossexuais e a promoção da homofobia é um dos traços que mais fortemente tem unido a maioria dos dirigentes e dos apoiantes mais fervorosos das três grandes religiões do livro. Refira-se, a título de exemplo, que o Vaticano tem sido muito activo na campanha contra o reconhecimento de direitos civis aos homossexuais, mas não se lhe conhece qualquer intervenção concreta relativamente aos atentados contra a vida que são perpetrados quotidianamente nos países que continuam a criminalizar (com pena de morte), a perseguir e a matar sumariamente os homossexuais.

Braga Continua Líder

| 27 Comentários | Partilhar
Uma, duas, três, quatro. São já quatro as vitórias consecutivas do Sporting de Braga neste arranque da Liga Sagres. Na manhã de hoje, horário atípico para o futebol de primeira em Portugal, o Sporting de Braga sofreu muito para vencer um Marítimo forte e candidato à mesma Europa que os minhotos.

A vitória é justa, mas o jogo fica marcado por uma lance polémico. Aos oitenta minutos, depois de uma manhã de desacerto sempre em prejuízo do Sporting de Braga, Carlos Xistra marcou uma grande penalidade muito contestada pelos madeirenses. Seja como for, a vitória assenta bem ao Sporting de Braga que dominou grande parte da jogo e segue firme na liderança do campeonato.

Adenda - A grande penalidade foi «muito contestada» mas existiu mesmo. Depois de rever as imagens penso que o árbitro esteve bem porque o jogador do Marítimo impede Meyong de jogar a bola.

Marcha Tipo 80

| 9 Comentários | Partilhar
t80
© Dario Silva, 22-09-09

Aos mesmos 54 km que separam Porto Campanhã de Braga, um comboio de via métrica desce de Manresa em direcção a Barcelona. É um comboio "regional" no sentido em que é sustentado pelo governo autonómico da Catalunha (cujo feriado comemorativo aconteceu ontem).

A FGC gere 183 km de vias, 74 estações, 85 comboios dos quais oito são locomotivas para serviço de mercadorias e 187 vagões. Em 2007, transportou 79 milhões de passageiros (acompanhando uma clara tendência de subida), quase metade do tráfego da CP.

Esta rede regional de via estreita, a que se junta a FEVE (a maior rede métrica da Europa) entre outras, utiliza maioritariamente carril de 54 kg/m (como os bons carris da Linha do Douro e Minho e, anteriormente, Braga), cantonamento automático, travessas de betão monobloco (como as da nossa Linha do Norte, apenas mais pequenas) e comboios eléctricos.

Também transportam bicicletas (dentro dos comboios) que circulam em "marcha tipo oitenta", 80 km/h.

Legislativas 2009: O Que Está em Causa? | 2

| 14 Comentários | Partilhar
«Marcelo Rebelo de Sousa está convencido de que vem aí um tempo de ingovernabilidade depois das eleições legislativas de dia 27. Em declarações ao DN, o antigo presidente do PSD sustenta que "vai haver um Governo minoritário, com dificuldades para aprovar no Parlamento o seu programa, o primeiro Orçamento e o segundo, se chegar lá. Quer ganhe o PSD quer ganhe o PS, não há coligações possíveis"[DN]

No dia 27 de Setembro, a escolha será entre José Sócrates e Manuela Ferreira Leite, entre um governo de esquerda ou um governo de direita. Embarcar em aventuras alicerçadas na pior demagogia pode comprometer muito seriamente a estabilidade do país.

Legislativas 2009: Sondagem do Minho

| 5 Comentários | Partilhar
MFLPorto
© verdade

Segundo a sondagem que o Expresso divulga, o Minho vai virar à direita nas próximas eleições legislativas. Em Braga, o PSD deverá liderar a contagem dos votos, elegendo oito deputados; o PS garante sete mandatos e o oitavo será disputado com o CDS-PP que garante o deputado actual, mas poderá chegar aos dois dependendo da votação dos socialistas. CDU e Bloco de Esquerda elegem um deputado cada. De fora da Assembleia da República fica a Nova Democracia de Manuel Monteiro que não elegerá nenhum deputado de acordo com a sondagem do Expresso.

Em Viana do Castelo, vitória laranja com a eleição de três deputados. O PS fica-se pelos dois mandatos e o CDS-PP mantém o deputado actual.

Braga em Pormenor

| 3 Comentários | Partilhar
Estátua do Anjo
© Bruno Gonçalves

Arrancou hoje o projecto Braga em Pormenor, um blogue que promete ampliar todos os detalhes da cidade dos arcebispos que possam passar despercebidos ao olhar menos atento. Os zooms estão a cargo de Cláudia Gonçalves e Bruno Gonçalves, colaboradores do Avenida Central, assim como de António Pedro Faria, Lupa, Lúcia Pinto e Ivan.

Legislativas 2009: O Que Está em Causa?

| 5 Comentários | Partilhar
«O eleitorado não parece preocupado com a ingovernabilidade, seja por ausência de maioria absoluta seja pela dificuldade em se conseguir um acordo pós-eleitoral consistente.» [Expresso]

De todas as sondagens conhecidas, resulta claro que nem PS nem PSD poderão governar com estabilidade coligados com outro partido à esquerda ou à direita que não os próprios PS e PSD coligados entre si. O assunto é sério e deve fazer pensar o eleitorado do centro. Mesmo não havendo dúvidas de que os partidos do centro merecem ser castigados por forma a expurgarem-se da clientela bafienta que os sustenta, das juventudes partidárias medíocres que os projectam e da profissionalização política que os corrói, parece evidente que esta não é a melhor oportunidade para aplicar o correctivo.

A decisão do próximo dia 27 de Setembro é, cada vez mais, uma escolha entre José Sócrates e Manuela Ferreira Leite. Aconteça o que acontecer, um deles será Primeiro Ministro e conduzirá o governo durante um, dois, três ou quatro anos, dependendo da composição da próxima Assembleia da República. Mais do que o interesse particular desta ou daquela corporação, é a governabilidade do país que está em causa quando chegar a hora dos portugueses escolherem a constituição da Assembleia da República. Como tal, pense muito bem antes de entregar o seu voto a alguns aventureiros políticos que andam por aí...

Verdade, Mas Pouca

| 4 Comentários | Partilhar
«En Madeira, la línea que separa medios de comunicación y propaganda es imperceptible. El Telejornal de la cadena pública RTP Madeira es conocido popularmente como TeleJardim. De la decena de emisoras de radio privadas, todas reciben subsidios del Estado. El Jornal de Madeira, antaño propiedad de la Iglesia, es el único diario estatal en Portugal como instrumento de propaganda política. La ley impide que sea gratuito y se vende al precio simbólico de 10 céntimos[El Pais, via Jugular]

O passeio de Manuela Ferreira Leite num carro de Estado ao lado de Alberto João Jardim foi verdadeiramente tenebroso. Para além da desnecessária convivência com a ala mais lúgubre do PSD, a paladina da verdade fechou os olhos à asfixia democrática madeirense com uma complacência que incomoda. Neste texto, Carlos Abreu Amorim resume a contradição: «ser a favor da verdade e da transparência no Continente e embuçar a situação quase-chávista na Madeira é avaliar os eleitores como um bando de lerdos

Fast Forward 2009

| 3 Comentários | Partilhar


Já começa a mexer edição de 2009 do festival Fast Forward, que tem sido um dos maiores êxitos culturais de Braga, crescendo de ano para ano. Para os interessados, vão ser realizados workshops nas semanas que antecedem o festival. Enquanto que as inscrições decorrem até dia 11 de Outubro. Mas entretanto, podem recordar algumas das curtas premiadas em anos anteriores.

Tibães: A Antítese de Braga

| 6 Comentários | Partilhar
O processo de recuperação do Mosteiro de Tibães é o exemplo do que deveria ter sido feito em termos de protecção do património da cidade e do concelho. O mérito é do(s) Ministério(s) da Cultura.

Música & Artesanato

| 3 Comentários | Partilhar

Os Deolinda e os Donna Maria, duas bandas revelação da música popular portuguesa, são as principais atracções do programa de animação da Feira de Artesanato e Gastronomia de Vila Nova de Famalicão [CM VNFamlicão]

Hoje e amanhã, pelas 22.00, no Antigo Campo da Feira de Vila Nova de Famalicão, sendo que a Feira ainda decorre até domingo. O preço de 1€ não será de todo problema para quem gostar das bandas.

Horizonte Longínquo

| 3 Comentários | Partilhar

A Concordância

| 5 Comentários | Partilhar
ermesinde
© Dario Silva, 09-09-09

A partir de hoje, e pela primeira vez, a Concordância de Sangemil dispõe de serviço comercial de passageiros; por agora, as viagens atingem Leça do Balio e num prazo breve chegarão a Leixões (local que o Metro do Porto identifica como Senhor de Matosinhos).

Prometidos estão alguns apeadeiros/interfaces com a rede de metro e autocarros.

O bilhete mais completo do mundo - o Andante - é válido neste novo eixo ferroviário que coloca o Minho e o Douro muito mais próximos de Matosinhos, Hospital de São João, Efacec, São Mamede de Infesta, Leça do Balio e do Aeroporto de Pedras Rubras.

Nas horas de ponta e almoço circulam dois comboios por sentido; nas horas calmas passa um comboio a cada 60 minutos que, em Ermesinde, se relaciona com os serviços suburbanos de Braga, Guimarães e Marco e com os serviços Regionais, Interregionais e Internacionais do Minho e Douro.

Outro Caminho

| 2 Comentários | Partilhar
Uma semana volvida sobre Famalicão, o clube, ter voltado a estar nas notícias, por ter sido o último clube a encaixar 8 golos do Benfica num jogo da Liga antes do Vitória de Setúbal, é interessante avaliar de que forma se encontra o desporto em Famalicão. Em intervenções anteriores já aqui abordei a ciclovia de Famalicão, que se baseia no canal ferroviário da Linha da Póvoa. A nível de atletismo e futebol, há projectos magnificentes para construir uma nova Cidade Desportiva, que, contas feitas, se orçará em 30 milhões de euros (a título de estimativa camarária).

Honestamente, o actual estádio municipal 22 de Junho é, de facto, um equipamento velho, sem capacidade de acomodar com conforto e segurança os espectadores e jornalistas. Nem mesmo os jogadores dispõem de um balneário moderno. Mas a equipa do FC Famalicão encontra-se este ano na 3ª Divisão devido a uma decisão de secretaria, senão estaria a disputar o campeonato Distrital da AF Braga.
Como se vê na ligação do primeiro parágrafo, os tempos áureos do Famalicão terminaram há muito (desde a subida à 1ª Divisão, foi sempre a descer). O bater no fundo aconteceu há um par de anos, com a descida aos Distritais. Entretanto, as crises directivas e dívidas (ao Fisco, por exemplo, foram 350 mil euros) quase levaram à extinção da equipa. Uma decisão administrativa, como já foi referido, voltou a recolocar o clube nos campeonatos nacionais.

Ora, com tanta incerteza a pender sobre esta equipa, não seria mais racional canalizar o investimento para outras modalidades desportivas, reconvertendo, por exemplo, o actual estádio? (Uma espécie de lifting/upgrade, como o que foi efectuado no D. Afonso Henriques, em Guimarães).

Apesar de no novo estádio poderem vir a actuar todas as equipas do concelho que competem nos Nacionais (Joane, Oliveirense, Ribeirão e Famalicão), seria, porventura, mais inovador e importante apostar numa pista de atletismo de pista coberta, por exemplo. Seria a primeira em Portugal construída do zero. Alguém duvida da visibilidade que tal empreitada teria? Os atletas de alta competição portugueses, que tanto pedem ao Governo uma pista onde não chova nem faça frio, poderiam ter em Famalicão a sua nova Meca.

Por vezes é preciso inovar. Não questiono que um novo Estádio seja bom para o concelho. Mas é a obra óbvia, para uma cidade cuja principal equipa não tem categoria para encher um estádio com 12 mil lugares (no curto-prazo, pelo menos) - será, como termo de comparação, o novo Estádio do Algarve (embora, vá lá, este ano o Olhanense jogue lá por ser do Algarve, apesar de ainda ter de andar vários quilómetros para lá chegar).

Na verdade, é preciso ver mais além. Explorar áreas que não estejam ainda muito desenvolvidas, coisas em que ninguém pense. E, claro, vai sempre ser um exercício interessante verificar se, daqui a uns tempos, o custo da obra se cifrou realmente perto dos 30 milhões de euros.
"Mi vida en tus manos", um filme de Nuno Beato

Pesquisar no Avenida Central




Subscreva os Nossos Conteúdos
por Correio Electrónico


Contadores